Resenha: O Símbolo Perdido – Dan Brown

Oi pessoal, tudo bem?

Uma das minhas metas desde 2015 (!!!) era não comprar mais tantos livros e me concentrar no que eu tinha na minha estante. Digamos que isso tenha dado certo parcialmente: eu realmente não comprei livros por impulso, comprei apenas livros “de colecionador” (como Harry Potter e a Pedra Filosofal – Edição Ilustrada, O Livro dos Personagens de Harry Potter, etc.). Porém, acabei colocando várias leituras na frente do que eu tinha na estante: livros de parcerias ou que ganhei de presente, por exemplo. Mas, para o post de hoje, eu trouxe a resenha de um livro que ganhei há anos e que estava na minha estante esperando pacientemente pra ser lido: O Símbolo Perdido.

o simbolo perdido dan brown.png

Sinopse: Em O Símbolo Perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon – eminente maçom e filantropo – a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. Mal’akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo.

Em O Símbolo Perdido, a nova aventura do simbologista Robert Langdon após O Código da Vinci, nós somos apresentados aos mistérios da maçonaria. O professor é levado a acreditar que vai dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos a pedido de seu velho amigo Peter Solomon – um maçom de alto grau -, mas lá ele descobre que seu amigo foi sequestrado por um homem que se apresenta como Mal’akh. Ele está em busca de um velho segredo maçom (a Pirâmide Maçônica) e acredita que Robert Langdon é o único que pode decifrá-lo.

Dan Brown é um autor que utiliza de diversos elementos reais para dar veracidade às suas histórias e nos fazer acreditar que tudo que estamos lendo é verdade. Obviamente não é o caso, mas a sensação ao ler suas obras é essa. Eu já havia lido Anjos e Demônios há alguns anos e lembro de ter adorado, então comecei O Símbolo Perdido tendo ciência desse estilo do autor. Apesar do tema não ser tão envolvente pra mim – maçonaria –, Dan Brown continua utilizando dos recursos que vi em Anjos e Demônios: mistérios envolvendo lugares reais, longas explicações históricas e capítulos com desfechos instigantes, que te fazem não fechar o livro enquanto você não descobre o que aconteceu.

Outro aspecto positivo da narrativa de Dan Brown que se faz presente em O Símbolo Perdido é o uso de mais de uma perspectiva pra narrar a história. Apesar de grande parte do livro se passar sob a ótica de Robert Langdon, vemos também o que se passa com Katherine Solomon, irmã de Peter; Sato Inoue, a diretora do Escritório de Segurança da CIA; Bellamy Warren, o Arquiteto do Capitólio; e, é claro, Mal’akh. O que eu mais gosto nesse tipo de narrativa é que ela permite que o leitor possa ter uma visão mais ampla da história, dos personagens e de seus objetivos, sem ficar preso à visão limitada do protagonista.

Porém, apesar desses pontos positivos, o livro também possui alguns aspectos que eu não curti (e que me fizeram quase desistir da leitura): o início é MUITO arrastado. Leva mais ou menos 100 páginas pra que as coisas comecem a acontecer, pois até então os personagens ficam discutindo no mesmo ambiente. É bem cansativo. Porém, para ser justa, depois que a ação começa, ela não para mais! Dan Brown dedica longos parágrafos a explicar aspectos históricos para tentar “enganar” o leitor de que tudo que está dizendo – inclusive as conspirações – são reais, então muitas vezes parecia que o livro não era mais uma ficção, mas um livro didático. 😛 De modo geral, gosto dessas explicações, porque elas conseguem nos deixar mais imersos na história, mas em O Símbolo Perdido especificamente eu achei cansativo, porque o desenrolar da trama demorou a acontecer. E, por último, o vilão foi extremamente previsível. Eu estava na metade da leitura e já sabia quem ele era (até twittei sobre isso HAHAHA), o que tirou totalmente o impacto de sua revelação.

Em suma, O Símbolo Perdido é uma leitura despretensiosa, na qual Dan Brown segue o mesmo molde ao qual está acostumado a escrever. Tem momentos mais cansativos no início, mas depois o desenrolar da trama se dá de maneira frenética e envolvente, em especial graças aos capítulos com desfechos cheios de cliffhangers. Pra quem gosta do estilo do autor ou curte leituras repletas de mistérios e ação, O Símbolo Perdido é uma boa escolha! 

Título Original: The Lost Symbol
Autor: Dan Brown
Editora: Sextante
Número de páginas: 496

Anúncios

31 comentários sobre “Resenha: O Símbolo Perdido – Dan Brown

  1. Olá, Priih.
    Eu gosto muito dos livros do Dan Brown, principalmente os da série do Robert Langdon. Gosto muito do estilo dele misturar coisas reais com ficção, e também o estilo dele de seguir pistas por todos os lugares. Esse foi o que menos gostei dele, mas ainda assim é bom. Meu favorito dele é Anjos e Demônios.

    Blog Prefácio

  2. Oie Pri =)

    Em minha opinião esse é um dos melhores livros do Dan Brown e acho uma pena ele ainda não ter sido adaptado para as telas. Acredito que todos os livros dele são meio cansativos no inicio.

    Lembro que tive que ler o Código da Vinci para faculdade e quase morri de tédio nos primeiros capítulos rs… Mas depois que a história ganha ritmo a gente lê rapidinho.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias…
    @mydearlibrary

  3. Oi, Priih.
    Esse talvez seja o único livro que já li dos que você resenhou 😦
    Li logo que foi lançado, pois gostava bastante do estilo do autor e ainda gosto, mas ele não lançou mais livros desde “Inferno”.
    Esse talvez seja seu livro mais fraco, tem algumas partes de ciência noética, que é meio forçado, mesmo assim gostei.
    Bela resenha.
    Abraço.
    http://www.diegomorais18.blogspot.com.br

  4. Hey Pri querida! ❤ Tudo bom contigo?
    Sabe que eu fujo desse livro desde que eu ganhei? Confesso que o tamanho e a minha experiencia com o autor não me chamam tanto a atenção… Li ponto de impacto do autor e acreditoo ue poderia tr sido mais legal, então fico com um pézinho atrás Mas bom sabe que quando a ação começa, não para mais, ufa! rsrsrs

    É legal, né?? Bom onhecer, vai que você gosta e não esperava por isso?
    verdadeee
    contos são um ótimo pedido e livros da Amazon também! 🙂
    beijocas
    Pâm – http://www.interruptedreamer.com

  5. Vejo todo mundo elogiando os livros do Dan e me sinto um extraterrestre por nunca ter lido hahaha mas pra falar a verdade, não é muito o meu estilo de leitura, e pra ajudar, eu sou muuuito chata com inícios de livros, então só de saber que o início é arrastado eu já fico com um pé atrás… Adorei a resenha, viu?!
    Um beijão,
    Gabs do likegabs.blogspot.com ❣

  6. Eae Priih!!!!!
    Sabe que de todos os livros do Dan Brown, esse foi o que menos gostei.
    Não sei, talvez pelo excesso de nacionalismo que eu senti inserido na historia, não consigo dizer bem ao certo, mas algo nele não me atraiu e sei que não foi só a mim, uma vez que pularam ele na hora de fazer a adaptação.
    Penso que existe uma magia em percorrer as ruas europeias atras de teorias da conspiração de artistas famosos do velho continente que atrai todo mundo, não tem jeito…
    bjos LP
    quatroselos.blogspot.com.br

  7. Oi, Priih

    Eu comecei a ler O Código da Vinci e nunca terminei, pois assim como você achou o começo desse arrastado, achei o começo daquele arrastado também.
    Também gosto muito quando os autores inserem elementos reais nas narrativas, fica bem mais crível, mas há algo nas histórias dele que sempre me dão a impressão que é a mesma história que está sendo contada, dá pra entender? hahahha

    Beijo
    – Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

  8. Priih caraio, vou me limitar a dizer que eu, vc é a Carol precisamos fazer alguma coisa juntos pra comemorar os quase dois anos que nos acompanhamos? Vou pensar em algo e não aceito não como resposta
    Bjos LP
    (oblogvctemquesaberqualésenaovaipartirmeucoraçao)

  9. Oi Priih!
    Eu também me concentrei em ler os livros que tenho, não comprei quase nada e ainda doei um monte. Foi muito bom!
    Eu sou fã do Dan Brown mas não lembro de ter lido esse livro ainda. Apesar de ser previsível (como todos do autor) vou procurar ler.

    Feliz Natal para você e sua família 🙂
    Beijos,
    Sora – Meu Jardim de Livros

  10. Olá,
    Tenho Anjos e Demônios há anos na estante me esperando haha
    Esse ai eu comprei numa promo da Americanas, mas ainda não li. Mas acho que vou curtir sim. Estranho não terem feito filme dele, ainda.

    Feliz Natal.
    Que a ceia em família, seja lindamente abençoada ♥
    Nana – Obsession Valley

  11. Oi Priih, sua linda, tudo bem?
    Eu sou fã do autor e concordo com o que você disse, por ele citar alguns fatos reais você tem a impressão de que tudo é real. E os cenários são personagens à parte, que garantem todo o clima de mistério e aventura de seus livros, para mim, o cenário é um dos diferenciais de suas obras. Que pena que o início foi um pouco parado, mas como eu adoro história, acredito que não será um problema para mim. Estou louca para ler esse livro. Sua resenha ficou ótima!!!

    Um Feliz Natal com muito amor, alegria, união e saúde para você e sua família.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s