Dica de Série: O Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder

Oi gente, tudo bem?

Não tá fácil botar em dia os conteúdos do que andei lendo e assistindo nos últimos meses, mas juro que tô tentando. 😂 E é claro que uma das grandes apostas da Amazon não poderia ficar de fora do meu radar, especialmente porque sou apaixonada pela trilogia dos filmes originais: estou falando dela, a série O Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder (que aflição desse “de”, gente, custava colocarem “do”???).

Sinopse: Tendo início em uma época de relativa paz, a série acompanha um grupo de personagens que enfrentam o ressurgimento do mal na Terra-média. Das profundezas escuras das Montanhas de Névoa, das majestosas florestas de Lindon, do belíssimo reino da ilha de Númenor, até os confins do mapa, esses reinos e personagens criarão legados que permanecerão vivos muito além de suas partidas.

Os primeiros minutos de Os Anéis de Poder impressionam: uma narração acompanhada de cenas belíssimas mostra como era o mundo antes da primeira guerra contra Morgoth, o grande responsável pelo mal que assolou a Terra-Média. Ele era um ser poderoso, uma das criações de Eru (o equivalente a Deus na mitologia do Tolkien) e o mentor de Sauron, um vilão que conhecemos bem. Após a queda de Morgoth, Sauron parece ter desaparecido junto de seu mestre, mas uma guerreira élfica não acredita nisso e está obstinada em sua busca para encontrá-lo para se vingar da morte de seu irmão mais velho – essa guerreira é Galadriel, em uma das novas facetas que a série dá a um personagem conhecido pelos fãs.

Confesso pra vocês que tive bastante dificuldade de associar a Galadriel dos filmes com a Galadriel guerreira. Vale lembrar que a versão televisiva da personagem é muito jovem, ainda imatura e impetuosa, enquanto sua contraparte cinematográfica já é uma líder de seu povo em uma idade bem mais “avançada”. Mas quisera eu que meu problema com Galadriel fosse apenas essa nova característica: a verdade é que achei a personagem birrenta, insolente e tediosa, e a atuação linear e insossa de Morfydd Clark não ajudou em nada para mudar minha opinião.

Os Anéis de Poder tem vários plots paralelos: Galadriel tentando convencer o reino de Númenor a combater Sauron; Elrond (sim, o pai da Arwen) tentando salvar seu povo com a ajuda de seu grande amigo, o príncipe anão Durin IV; a chegada de um Estranho caído do céu e sua interação com o povo nômade conhecido como “pés-peludos”; o povo das Terras do Sul tentando sobreviver a um ataque orc iminente. Com episódios de cerca de 1h de duração, a série peca em trazer muitos elementos e desenvolvê-los com grande lentidão, tornando difícil a vontade de maratonar ou não instigando uma grande curiosidade pro próximo episódio. Outro ponto problemático é que muitos eventos da trama ficam subentendidos e não são bem explicados, especialmente para os espectadores que não leram os livros. Isso me incomoda bastante, porque cada mídia precisa funcionar de maneira independente, mesmo que seja uma adaptação. Não foram poucas as situações em que me senti boiando na trama e com a impressão de que só quem leu O Silmarillion tava conseguindo compreender o todo. :/

Como aspecto positivo, não posso deixar de fora o capricho visual em cada cena e cada figurino. A Amazon não poupou esforços pra fazer de Os Anéis do Poder uma produção imersiva e deslumbrante, e enquanto assistia às belezas do mundo imaginado por Tolkien eu só conseguia pensar que se pausasse o episódio em qualquer momento ele me garantiria um lindo wallpaper hahaha! Além disso, a diversidade de corpos e cores de pele também são pontos de destaque, algo em que o gênero fantasia sempre pecou e que felizmente parece estar querendo se redimir nessa produção. 

Enquanto assistia Os Anéis do Poder, me peguei em mais de um momento me perguntando pra onde a série desejava ir. Eu não li O Silmarillion e não tava preocupada com fidelidade em relação ao material original; eu só queria uma boa história baseada no mundo de O Senhor dos Anéis. Apesar de ter momentos bacanas, no geral a série não conseguiu me cativar. O que salvou minha experiência foi o final, que trouxe um plot twist legal e referências bacanas à trilogia que me fazem querer saber como os roteiristas vão se aproximar dela. Mas, se não fosse por isso (e pelo meu amor ao mundo de O Senhor dos Anéis) eu provavelmente abandonaria. :/ E vocês, gostaram de Os Anéis de Poder? Me contem nos comentários!

Título original: The Lord of the Rings: The Rings of Power
Ano de lançamento: 2022
Criação: Patrick McKay, John D. Payne
Elenco: Morfydd Clark, Ismael Cruz Cordova, Charlie Vickers, Markella Kavenagh, Daniel Weyman, Nazanin Boniadi, Robert Aramayo, Owain Arthur

Publicidade

6 comentários sobre “Dica de Série: O Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder

  1. Oi, Prihh! Tudo bem?
    Não tive a oportunidade de assistir! E que pena que não agradou tanto, espero que em próximas temporadas isso possa ser melhorado.
    Entendi suas ressalvas.
    Tenho muita vontade de ler os livros do Tolkien. Dele, li apenas um ensaio sobre contos de fadas e gostei bastante. Espero conseguir em algum momento.

    beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s