Resenha: A Breve Segunda Vida de Bree Tanner – Stephenie Meyer

Oi, gente!

Eu gosto muito da saga Crepúsculo (apesar de não ser tão fã hoje dia quanto era aos 14 anos), mesmo sendo uma série que causa diversas controvérsias e é mal vista por diversos fãs de vampiros em geral. Então, eu decidi tentar ler os outros dois livros que eu ainda não tinha lido da Stephenie Meyer: A Hospedeira (que eu comecei em 2013 e nunca consigo terminar) e A Breve Segunda Vida de Bree Tanner, que é o livro escolhido pra resenha de hoje. 🙂

Imagem

Sinopse: Pela primeira vez Stephenie Meyer oferece aos fãs uma nova perspectiva do universo de “Crepúsculo”. Na voz de Bree Tanner, uma jovem vampira integrante do violento exército de recém-criados que assola a cidade de Seattle no terceiro volume da série, “Eclipse”, somos apresentados ao lado sombrio da saga. Bree vive nas trevas, sedenta por sangue. Não conhece sua verdadeira natureza e não pode confiar nos de sua espécie. Sua breve história acompanha a semana que antecede o confronto definitivo entre os recém-criados e os Cullen – a última semana de sua existência.

Bom, o final do livro não é um spoiler pra ninguém que tenha lido Eclipse, além da própria sinopse do livro revelar qual é o destino de Bree. O interessante desse spin-off não é o desfecho, mas sim a trajetória. Ele nos permite conhecer melhor as reações e o comportamento de um vampiro recém-criado (já que a Bella é uma exceção a todas as regras), além de abordar por outra perspectiva experiência de ser um vampiro, que não necessariamente condiz com a realidade perfeita vivida pelos Cullen.

A história é narrada em primeira pessoa por Bree, que é uma narradora muito melhor do que Bella. Ela é uma garota muito jovem que passou por diversos problemas familiares, sendo abusada fisicamente pelo pai e tendo que fugir para não correr o risco de ser espancada até a morte. Bree teve experiências muito traumatizantes, até ser encontrada por Riley (o amante de Victoria, a vampira sedenta por vingança contra Bella e os Cullen). A garota, que passava fome nas ruas, ficou encantada com um homem tão charmoso, estonteante e sedutor, e aceitou na mesma hora quando ele lhe ofereceu comida. Depois desse encontro, Bree foi levada à Victoria (tratada nesse livro apenas por ela) e sentiu toda a dor e agonia da transformação em vampira. Todos esses acontecimentos fazem de Bree uma personagem muito mais comedida, desconfiada e verossímil do que Bella. Entretanto, alguns clichês se repetem: ela é a garota que se esconde e não quer chamar a atenção e, ainda assim, consegue um amigo e também um pretendente.

Diego (o pretendente lol) é um personagem bastante carismático. Assim como Bree (e provavelmente como todos os outros recém-criados, que eram escolhidos na “escória”, como a própria protagonista diz), sua origem é triste e complexa, tendo a salvação em Riley. Ao contrário da jovem vampira, Diego confia muito em Riley, sendo inclusive seu braço direito. Entretanto, não posso deixar de comentar o quanto me frustrei com o relacionamento dele com Bree. O início do contato entre os dois foi muito coerente, cheio de desconfiança e cautela por parte da garota, considerando que ele era uma pessoa de confiança de Riley. Contudo, em apenas 24h (literalmente, ou muito próximo disso) os dois se apaixonam. Depois de uma madrugada conversando e um dia juntos, Bree fica totalmente encantada com Diego, tendo seus sentimentos correspondidos. Um clichê de Crepúsculo totalmente desnecessário de ser repetido, mas ok. Devo ter sido ingênua por pensar que isso não aconteceria. 😛 O lado bom é que o romance dura muito pouco, pois acontecimentos levam o casal a se separar. A maior parte do livro foca nos pensamentos de Bree tentando entender tudo o que se passa à sua volta e quais são as reais intenções de sua criadora e de Riley. Porém, o final do casal é realmente triste. Mesmo eu achando o seu início forçado, não pude deixar de me comover com o destino dos dois, que tinham tantos planos, como qualquer jovem que deseja explorar a vida e o mundo. Digamos que meu maior receio com relação a Diego se provou verdadeiro, e eu sofri junto com Bree ao constatar isso.

Os outros recém-criados são personagens bastante rasos e estereotipados. Existem duas gangues entre eles, sendo comandadas por Raoul e por Kristie, vampiros rivais. Raoul é o típico “valentão”, sempre causando brigas e discórdia. Kristie não é muito diferente, mas é mais caracterizada por tentar sempre agradar a Riley e não questionar nada do que lhe é dito, mesmo com evidências contrárias a um palmo de seu nariz. O recém-criado mais interessante (aliás, o personagem que mais me chamou a atenção no livro inteiro) é Fred, um vampiro com habilidades especiais. Ele é capaz de causar enjoo àqueles que tentam olhar pra ele, podendo passar completamente despercebido. Bree, na sua tentativa de não chamar a atenção de ninguém, sempre fica próxima a ele. No início do livro, ela se refere a ele como Freaky Fred, talvez por não saber que essa “repulsa” é causada propositalmente pelo rapaz. Mas o mais interessante acontece ao longo da história, em que ela se aproxima de Fred e constrói com ele uma espécie de “amizade silenciosa”. Essa mudança na visão de Bree é facilmente percebida quando ela muda o tratamento de “Freaky Fred” para apenas “Fred”. Eu achei muito fofa essa mudança de perspectiva, principalmente por Fred ser um personagem carismático e solidário, ao permitir que Bree fique sempre junto a ele.

Um questionamento que me fiz durante a leitura: por que só Bree, Diego e Fred são capazes de pensar? Bree é a vampira mais jovem, então teoricamente ela deveria ser uma das menos aptas a um pensamento racional, considerando que a sede e o sangue são os únicos pensamentos dos recém-criados. Talvez tenha sido a pressa de Stephenie para concluir o livro, ou graças às poucas páginas planejadas para ele. De qualquer forma, era um pouco cansativo ver como Riley manipulava facilmente todos os outros vampiros com desculpas esdrúxulas.

Outro ponto interessante é que, nesse livro, os vampiros de Meyer são muito mais próximos da visão de vampiro que a maioria das pessoas tem. Ao contrário dos Cullen, o grupo de Riley é sedento por sangue e vê os humanos como nada além da refeição. Eles caçam, matam e escondem os corpos de forma muito natural. Depois de 4 volumes em que o vampirismo era visto de uma forma totalmente romantizada, posso dizer que achei bem mais cruel a descrição feita em A Breve Segunda Vida de Bree Tanner.

O livro não é dividido em capítulos, o que eu achei um pouco cansativo. Há alguns anos (leia-se: desde que entrei na faculdade e passei a ter mil textos pra ler e trabalhos pra fazer) que eu não consigo mais parar e devorar um livro de uma vez só. A história não é muito envolvente, mas é interessante e se encaixa muito bem nos acontecimentos de Eclipse, explicando inclusive alguns fatos sobre os Volturi (sério, eles conseguem ser ainda mais desprezíveis) e também mostrando todo o caráter e bondade de Carlisle e Esme. É uma pena que o destino de Bree não tenha sido um pouco melhor, porque mesmo sabendo o final da vampira foi impossível não torcer para que ela tomasse decisões diferentes ao longo da trama para evitar seu desfecho trágico. Para quem gosta da saga Crepúsculo ou da escrita da Stephenie Meyer, considero A Breve Segunda Vida de Bree Tanner uma boa pedida, pois é um livro curto e fácil de ser lido. Foi uma sensação muito bacana poder viver novamente um pedaço dessa história. 😀

Série: Crepúsculo
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 192

Anúncios

34 comentários sobre “Resenha: A Breve Segunda Vida de Bree Tanner – Stephenie Meyer

  1. Uau! Em pensar que tenho este livro desde quando terminei de ler a Saga da qual sou fã tabém e nunca terminei, estou com o livro pela metade e tenho certeza que assim que resolver reler terei que começar tudo de novo, de tanto tempo que não o pego na mão!

    Mas lendo a sua resenha me deu a vontade de termina-lo de umas vez, pois é um livro tão curtinho né?!

    Se eu acabar lendo/relendo ele dou minha opinião sobre lá no blog e vc comenta lá o que acha?!

    Obrigada pela visita 😉
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    • Oi, Joi!
      Eu nunca tive muita vontade de ler esse livro, mas achei que seria uma boa opção, já que estou optando por livros mais curtinhos ultimamente.
      Como você também gosta da série, acho que vai curtir bastante esse novo ponto de vista (que, diga-se de passagem, é bem menos cansativo do que o de Bella). 😀
      Claro, comento sim. Vai ser um prazer!
      Beijos

  2. Nossa que bom ler uma resenha sobre esse livro, deu até saudades. Li esse livro a anos e concordo com vc em vários pontos, principalmente em torcer para um final diferente, mesmo sabendo que isso não aconteceria. Também estranhei não ser dividido em capítulos, mas me acostumei ao longo da leitura.
    Como assim vc não terminou a leitura da Hospedeira???? Eu amei o livro e gostei do filme. Mas respeito pq cada um tem um gosto.
    Bjos

    Adoro vim aqui!!!!!
    Leituras, vida e paixões!!!!!

    • Oi, Aline!
      Essa questão do final é triste, né? Aquele sentimento de impotência, por saber que tudo que você está lendo e todos os sonhos dela são “inúteis”, pois tu já sabe que o fim é trágico. 😦
      Sério, não consigo terminar A Hospedeira! E não é por achar “chato”, eu tava gostando bastante da história, mas… Em 200 e poucas páginas muito pouco aconteceu! Tô achando tudo enrolado demais e não aguento mais ler sobre a Peg e a Mel nas cavernas (que é a parte em que estou). T_T Mas vou tentar continuar, prometo! hahaha
      Beijos

    • Oi, Joyce!
      Esse livro é bem interessante e a narrativa de Bree é bem melhor que a de Bella.
      Além do mais, é bem menos focado no romance e mais nas experiências e dúvidas de ser um recém-criado. 😀
      Se você ler, me conta o que achou, hein!
      Beijos

  3. Oi Pri,
    Li esse livro há uns bons anos atras, quando ainda era doida pela Saga Crepúsculo, rs!
    Gostei bastante de ter essa perspectiva da um vampiro recém-criado e o livro, apesar de breve, foi bem interessante. O final, narrado pela personagem, me causou mais impacto do que quando lido em Eclipse e me fez gostar ainda mais do livro.
    É legal para quem gosta da saga e quer saber um pouquinho mais ou relembrar todo o universo dos vampiros!
    Ps.: Espero que você consiga terminar de ler A hospedeira porque é MARAVILHOSO! rs

    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    • Oi, Ká!
      Nossa, o final realmente mexe com o leitor. É tão triste a Bree aceitando o seu destino…
      Quando eu era realmente fã de Crepúsculo, por mais contraditório que pareça, eu não tinha interesse nesse livro. Agora, anos depois, na busca por livros curtinhos, me ocorreu que poderia ser uma leitura interessante. 🙂
      Sobre A Hospedeira: juro que vou tentar terminar! Eu tava gostando da história, mas a sensação que eu tinha era de pura enrolação… acabou me cansando. T_T
      Beijão

  4. Oie Pri =)

    Ganhei esse livro faz tempo, mas como a saga Twilight não é uma das minhas favoritas eu sempre acabo deixando ele para lá rs…

    Mas um dia eu ainda leio ele XDD

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias…
    @mydearlibrary

    • Oi, Ane!
      Quando eu tinha meus 14, 15 anos eu gostava muuuito da saga Crepúsculo!
      Hoje em dia eu ainda gosto, mas nem perto do que era antes. Até sinto uma vontadezinha de reler às vezes, mas já não tenho mais paciência hahaha!
      A Breve Segunda Vida de Bree Tanner tem um clima bem diferente dos outros livros. Os vampiros são mais “vorazes” e é bacana ver o comportamento de um recém-criado “normal” (já que a Bella foge de todos os padrões).
      Se você ler, me conta depois tá? 😀
      Beijos

    • Oi, Anna!
      Eu não sei se recomendaria Crepúsculo a alguém hoje em dia hahaha!
      Ainda gosto, mas fui realmente fã lá pelos 14, 15 anos. Mas esse livro que resenhei é bacana, porque tem um clima bem diferente do resto da série. 🙂
      Sobre A Hospedeira: ainda não consegui terminar, mesmo achando a história interessante. Ele tá muito cansativo, não consigo me motivar a continuar. Espero conseguir terminar uma hora dessas. =P
      Beijos

  5. Oi Pri!
    Também sou dessas que começou A Hospedeira e nunca conseguiu terminar haha. Por muito tempo gostei da saga Crepúsculo, mas hoje em dia perdi o gosto pela história ou qualquer outro livro relacionado. Pensei em ler A Breve Segunda Vida de Bree Tanner logo quando lançou, mas acabei esquecendo da existência dele e bom… não li até hoje e acho que não irei lê-lo tão cedo.

    Beijos,
    http://www.epilogosefinais.com/

    • Oi, Bianca!
      Poxa, que bom saber que não fui a única a não concluir a leitura hahaha! Eu estou na metade, pretendo retomar da onde parei (porque a história estava tão repetitiva que eu me lembro direitinho do que acontecia quando fechei o livro de vez). >_<
      Eu também não tenho o mesmo interesse que tinha em Crepúsculo como há alguns anos atrás. Mas a busca por livros curtinhos (já que ando bem atarefada) me fez pensar: por que não? E, no fim das contas, achei interessante. Não espetacular, não inesquecível, mas bacana, pelo menos pra conhecer um lado vampiresco menos nobre e escrito pela Meyer (eu quase não achei que fosse possível hahaha)
      Beijos!

    • Se você gosta de Crepúsculo, talvez valha a pena adquirir esse volume.
      Ele é curtinho e bem fácil de ser lido. É uma perspectiva interessante do mundo criado pela Meyer.
      Beijos

    • Oi, Karine!
      Também torci muito pra que ela tivesse um fim diferente, que tivesse tomado decisões diferentes, que tivesse percebido antes a morte de Diego e fugido com Fred… infelizmente, como já sabíamos, isso não aconteceria. 😦
      Sobre A Hospedeira: esse é o motivo! A história me prendia, eu tava achando bacana, mas o ritmo era quase uma tortura pra mim. Eu parei na metade e, bem… não aguentava mais ler cenas lentas dentro das cavernas de Jeb. x_x
      Mas ainda pretendo retomá-lo, a história é interessante o suficiente pra eu insistir nela. ^^
      Beijos!

  6. Sempre tive uma implicância gigantesca com Crepúsculo, pois assisti os filmes e fiquei enjoada com a Kristen Stewart e sua terrível atuação. Mas ok. Resolvi ler a saga e até que gostei, sou muito mais a Bella do livro, ainda que chata do mesmo jeito AHSUAH. Eclipse é meu favorito, gostei bastante ❤
    Não sabia desse outro livro da série, mas fiquei curiosa *_*

    • Oi, Sofia!
      Nossa, os filmes me causam asco até hoje! Robert Pattinson, que foi ótimo como Cedrico Diggory, também está péssimo! E nem vou entrar no mérito da Kristen… mas uma coisa que me dá agonia é a maquiagem! Gente, parece que passaram reboco nos vampiros HEUAHEAHEA! Enfim, mas tenho que admitir que amei Amanhecer parte 1 e 2.
      Se Eclipse é o seu favorito, talvez você goste ainda mais depois de ler A Breve Segunda Vida de Bree Tanner! É muito legal ver os bastidores e a preparação dos recém-criados, e também a manipulação que eles sofrem. Além de vivenciar cenas menos “nobres” dos vampiros, é claro. 😀
      Beijos!

  7. Oii tudo bem ?
    Nossa, amei a sua resenha, super bem explicada. Não sou fã de Crepusculo (tá, confesso, eu assisti os filmes), mas os livros não me interessei de ler, pq Bella me dá sono (essa é a verdade), sempre me irritei com a Bella no filme, e isso me tirou a curiosidade nos livros, mas de qualquer maneira esse parece ser legal.

    Ivana
    http://omundinhoderebecca.blogspot.com.br

    • Oi, Ivana! Tudo ótimo, e com você?
      Os filmes são um péssimo parâmetro, porque muitos fãs dos livros não curtem os filmes. Eu mesma só gosto dos 2 últimos. >_<
      Como você já viu os filmes e conhece a história de Eclipse, não teria nenhum problema lendo a história de Bree Tanner. 😀 É bem bacana enxergar pela visão de uma recém-criada (que é totalmente diferente da Bella, diga-se de passagem). Se você resolver ler, me conta o que achou hein? =)
      Beijos

  8. Hey
    Comprei esse livro por 4 reais na Bienal haha
    Mas ainda não tirei um tempinho para ler.
    Eu gostei da Bree em Eclipse, o plot dela foi interessante…taí uma saga que eu gostaria de reler.. Crepúsculo, para ver como seria minha opinião atualmente.. li com uns 16 anos haha

    bjs
    Nana – Obsession Valley

    • Oi, Nana!
      Jura? Nossa, irresistível o preço hahaha
      Eu comprei A Hospedeira por um preço bem baixo, acho que 11 ou 12 reais…
      De vez em quando tenho vontade de reler Crepúsculo, mas não tenho mais a mesma paciência pra Bella que eu tinha aos 14 anos. E hoje vejo o quanto o relacionamento dela com o Edward era doentio hahaha
      De qualquer forma, ainda gosto da história. Foi bem interessante ver o ponto de vista da Bree, acho que você vai gostar. 🙂 Além da narrativa ser bem melhor do que a de Bella!
      Beijos

  9. Acho que essa foi a resenha mais completa que já li desse livro! Sério!! Confesso que não sou muito fã dos livros da Meyer (aliás, gosto muito mais de “A Hospedeira” do que a “Saga Crepúsculo”), mas confesso que me afeiçoei um pouco a Bree. É uma pena que a narrativa fique meio perdida do meio para o final e, claro, não tem como ficar incomodada ao saber o que está por vir no desfecho. De qualquer forma, eu adorei a resenha!! Ah, e muito obrigada por ter passado no blog, fiquei muito feliz com o seu comentário (: Bjs

    • Oi, Jéssica!
      Nossa, seu comentário me deixou muito feliz! Obrigada mesmo! 😀
      Também achei a narrativa um pouco enrolada da metade pro final, mas a Meyer conseguiu me emocionar quando a Bree se dá conta de que está sozinha no mundo de novo, sem Diego. Eu queria tanto que ela tivesse tomado outras decisões, mas sabia que seria impossível, porque né…
      Sobre A Hospedeira: juro que vou tentar continuar! O problema não foi a história (que tava interessante), mas o ritmo. Achei enrolado demais. 😦
      Imagina, foi um prazer visitar o seu blog!
      Beijos!

  10. Oi Priih

    Os primeiros livros da minha estante foram da saga Crepúsculo. Apesar de algumas ressalvas, ainda acho a história bem legal.
    Talvez por saber exatamente o que acontece com a Bree eu não sinta vontade nenhuma de ler o livro sobre a breve vida dela.
    O que acontece com A Hospedeira que você não consegue terminar? Acho o melhor livro da autora e fiquei muito triste com essa história de continuação. O livro tem um final redondinho e não precisava ser prolongado. Espero que você consiga terminar e poste uma resenha aqui sobre ele.

    Beijos

    • Oi, Caline!
      Faço minhas as suas palavras: “Apesar de algumas ressalvas, ainda acho a história bem legal.” Claro que não sou tão fã quanto era aos 14 anos, mas ainda gosto da história. Talvez um dia eu acabe lendo novamente (quando tiver paciência pra Bella hahaha).
      O mais legal do livro da Bree não é o desfecho, mas a trajetória. É bem bacana ver como um recém-criado se comporta, já que a Bella é totalmente fora dos padrões e um modelo de vampira. Eu quase não acreditava que a Meyer pudesse escrever sobre vampiros de forma mais “cruel”. 😛
      Sobre A Hospedeira: eu acho o livro muito enrolado! Não aguentava mais ler sobre a Peg e a Mel nas cavernas… mas a história tava bacana, ainda vou criar coragem pra continuar, e será um prazer escrever sobre ele! Jura que vai ter uma continuação? Estou chocada, não sabia! :O
      Beijos

  11. Oi Jio
    Eu também gostei muito da saga crepusculo apesar de ter tido um certo preconceito (e demora) para le-los, pois vi o filme antes e não gostei do filme . Este livro eu acho primordial para quem leu e gostou da saga pois ele tampa os buracos deixados na historia, e vemos fatos que até entam eram desconhecidos. Esse povo que leu o livro no passado e hoje fica escuachando, não merece nem ser citado,cada um tm o direito de gostar do que quiser. mei a resenha, deu até saudade da historia.
    Bjs
    http://meupassatempoblablabla.blogspot.com.br

    • Oi, Adriana!
      Eu comecei a ler antes de virarem filmes, talvez por isso não tenha sofrido ou sentido o preconceito inicial. Mas, de fato, os filmes são horríveis! E concordo plenamente com você: cada um tem direito de ler e apreciar o que quiser!
      Fico super feliz que tenha gostado da resenha! 😀
      Beijos

    • Oi, Amanda!
      Obrigada pelo comentário, fico feliz que tenha gostado da resenha. =D
      Acho difícil alguém não ter torcido pela Bree, né? A vida dela foi toda tão triste… 😦
      Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s