Resenha: Laranja Mecânica – Anthony Burgess

Oi, gente!

Essa semana foi um pouco corrida pra mim, pois consegui uma bolsa pra trabalhar na universidade. No fim das contas, não pude iniciar nenhum livro novo, o que não foi algo tão ruim, já que acabei optando por escrever sobre um livro que tá no meu Top Favoritos: Laranja Mecânica, de Anthony Burgess.

Imagem

Sinopse: Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex – soberbamente engendrada pelo autor – empresta uma dimensão quase lírica ao texto. Ao lado de “1984”, de George Orwell, e “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley, “Laranja Mecânica” é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século XX. Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick, é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.

Como a própria sinopse já nos informa, Laranja Mecânica é narrado em primeira pessoa por Alex. O adolescente de 15 anos é líder de uma gangue, composta por ele e mais três “druguis” (ou amigos): Georgie, Tosko e Pete. O grupo se ocupa de frequentar bares que servem moloko (leite com drogas adicionadas) e cometer diversos tipos de delitos, como assaltos, brigas com outras gangues, espancamentos e estupros. Em uma noite, a gangue decide assaltar a casa de uma mulher, mas ela consegue chamar a polícia. Na tentativa de fuga, Alex é traído por seus companheiros e é capturado, sendo condenado posteriormente a 14 anos de prisão. Contudo, seu comportamento na prisão continua violento e indomável, fazendo com que o governo decida usá-lo como cobaia em um novo experimento que propõe acabar com os instintos violentos do indivíduo: o Tratamento Ludovico. A técnica consiste em forçar o sujeito a assistir filmes violentos exaustivamente e sem possibilidade de fuga (pois a cobaia fica presa a uma cadeira e impossibilitada de virar a cabeça). Além disso, são injetadas drogas que causam sensações de mal estar e náusea. A partir de então, Alex se vê perdendo totalmente o livre-arbítrio, já que é praticamente forçado a agir de forma gentil e comedida, a fim de evitar a sensação traumatizante causada pelo experimento.

Laranja Mecânica é um clássico futurista. Em uma sociedade violenta, construída com maestria por Anthony Burgess, o leitor pode vivenciar sentimentos extremos e moralmente condenáveis graças à narrativa de Alex. Os jovens praticam “ultraviolência” (um termo utilizado no livro para se referir a atos de extrema violência) por pura diversão, sem nenhum tipo de intervenção por parte do Estado ou até mesmo de suas famílias. Quem ousa confiar em adolescentes batendo à sua porta acaba tendo um destino bastante terrível, como ocorre com um casal – em que a mulher acaba sendo violentada e o marido espancado – e com a própria mulher que consegue chamar a polícia.

Ainda abordando o tema da imersão na história, tudo fica mais complexo e ainda mais verossímil com a linguagem utilizada no livro. Vocês devem ter notado algumas expressões que usei até agora, como druguis, moloko e ultraviolência. Esses são apenas alguns termos que aparecem ao longo da história. Anthony Burgess criou uma linguagem própria, chamada Nadsat, uma espécie de mistura entre o inglês e o russo. Alex e seus companheiros dialogam principalmente por meio das gírias dessa linguagem, fazendo com que o leitor se sinta perdido ao tentar compreender o que aqueles adolescentes realmente estão dizendo. E é justamente essa a intenção: causar estranheza, desconforto e incompreensão ao leitor, fazendo com que ele mergulhe de cabeça nessa sociedade e nesse mundo futurista imaginado por Burgess. O livro acompanha um dicionário nadsat nas páginas finais, então o leitor pode optar por consulta-lo ou não. Eu consultei, porque a sensação de estranheza realmente me incomodou. Entretanto, não demorou muito para que eu decorasse a maioria das palavras e não precisasse mais recorrer a esse recurso, já que comecei a me sentir “parte” daquela realidade.

Outros aspectos muito importantes abordados pelo autor são o posicionamento do governo, a abordagem falha do sistema carcerário e a utilização de presos como cobaias em um experimento que fere diretamente o livre-arbítrio. Uma passagem que gosto muito no livro é: “Será que um homem que escolhe o mal é talvez melhor do que um homem que teve o bem imposto a si?”. Acho que ela define bem o questionamento que o livro propõe: afinal, temos o direito de impor um comportamento a alguém? De retirar todo o livre-arbítrio, seja de quem for? Alex não foi curado, muito menos reestabelecido pelo sistema carcerário. Ele foi moldado contra a sua vontade, agindo de uma forma pacífica apenas para evitar o terror experimentado por ele ao longo do Tratamento Ludovico. Os crimes podem ser evitados, mas a essência do indivíduo permanece lá, piorada por uma experiência traumatizante.

Quem já viu o filme sabe o que acontece com os resultados obtidos pelo Tratamento Ludovico em Alex. Mas é importante ressaltar que o filme acaba no penúltimo capítulo do livro. Como eu li depois de ter assistido ao longa de Stanley Kubrick, fiquei muito surpresa e realmente feliz com o último capítulo. Laranja Mecânica é uma leitura obrigatória a todos que se interessam por clássicos e por realidades futuristas. A leitura, apesar da linguagem nadsat, é muito fluida e a crítica é facilmente compreendida, mas nem por isso o impacto dela é menor. O livro nos leva a diversas reflexões e a diversos sentimentos contraditórios: existe a raiva de Alex e a vontade de vê-lo sendo punido, mas também existe a pena que sentimos ao vê-lo tendo todo o controle sobre suas ações sendo tirado dele e a incapacidade de se integrar novamente à sociedade. Laranja Mecânica é um dos meus livros favoritos e é uma leitura mais do que recomendada! 😀

Editora: Aleph
Número de páginas: 200

Anúncios

32 comentários sobre “Resenha: Laranja Mecânica – Anthony Burgess

    • Oi, Lucas!
      Concordo plenamente. E o último capítulo acalenta o coração, coisa que eu jamais esperaria da história (até por ter visto o filme). Este, aliás, é bem fiel e aborda maravilhosamente a história. Recomendo! 🙂

    • Oi, Raquel!
      Acho que, junto com os clássicos mencionados na sinopse, são as primeiras distopias mesmo. Só falta eu ler “Admirável Mundo Novo”, porque “1984” é um dos meus favoritos. ♥
      Leia o livro sim, o final vai te surpreender. 😉
      Beijão

  1. Oiie!!
    Que resenha fodastica, já outras resenhas, até mesmo minha prima prima me falou do livro e eu não dei a minina, mas sua resenha me faz nascer uma enorme vontade de ler e conhecer o livro e se eu tiver a oportunidade creio que tbm entrara para os meus favoritos.
    Ao final da resenha eu que são só 200 paginas, agora fiquei mais curiosa em saber como o autor escreveu tão bem em poucas paginas.
    Mas uma vez parabéns pela ótima resenha.

    Brubs
    contodeumlivro.blogspot.com.br

    • Oi, Brubs!
      Nossa, fico super feliz que tenha gostado da resenha. *-*
      Você me deixa muito contente por estar mais curiosa em relação ao livro depois de ter lido o meu texto, obrigada mesmo pelos elogios! 😀
      Beijão

  2. Oii Pri, tudo bem ?
    Já tinha ouvido falar 100000 de vezes sobre o filme e o livro, mas acredita que eu nunca fui saber do que se tratava e sei lá, imaginava algo diferente. Fiquei surpresa coma história e sua resenha ficou ótima. Deu pra entender muita coisa. E que bom que vc gostou e recomenda, parece ser muito bom o livro mesmo. Confio nessa dica sua ….Quem sabe mais pra frente eu leia ele, quando estiver no clima, porque pelo visto tem bastante violência também né?
    Gosto desses livros que fazem a gente refletir, formar opinião, sempre vale a pena.

    Beijos, Ivana

    http://omundinhoderebecca.blogspot.com.br

    • Oi, Ivana! Tudo ótimo, e com você?
      Fico muito feliz que tenha gostado da resenha! Realmente, é um livro forte, violento e com uma história marcante, mas acho que você não vai se arrepender. 😉
      Quando tiver a oportunidade de ler, me conta o que achou, hein?!
      Beijos

  3. Já ouvi falar muitas vezes do livro, mas acredita que é a primeira resenha que leio? A história é forte e este tratamento é mais uma tortura mental pelo visto. Depois de seu comentário que o filme termina antes do final real da história, eu vou optar por conhecer a trama pela livro, afinal quero saber o desfecho do protagonista.

    Bjos!!
    Cida
    http://www.moonlightbooks.net/

    • Oi, Cida!
      Exatamente isso, o protagonista passa por uma tortura mental que se torna física.
      Digamos que o desfecho do filme seja menos otimista do que o desfecho do livro, mas ainda assim é perfeitamente compreensível. Eu, como sonhadora eterna, me emocionei mais com o do livro. 😀
      Beijão

    • Oi, Gabi!
      Fico muito feliz que você tenha gostado da resenha, mesmo não curtindo o estilo. 😀
      Quem sabe um dia você não tenha uma súbita curiosidade, né? hahaha
      Beijos!

    • Oi, Marcelo!
      Obrigada pelo elogio, fico feliz que tenha gostado!
      Se um dia você tiver a oportunidade e estiver curioso pelo gênero, eu diria que vale muito a pena dar uma chance. Se isso acontecer, me conta o que achou hein! 😛
      Beijos

  4. Eu sei que muita gente elogia, assim como você, esse livro com força, mas ainda assim tenho receio de ler. Não porque ache que não vou gostar, mas pelos sentimentos de desconforto que muitos dizem sentir no decorrer da obra. Enfim, espero ter um momento da minha vida que eu fale “Quero ler Laranja Mecânica para ontem” e acho que sua resenha contribui para a aproximação desse dia. hehe.
    Beijos,K.
    Girl Spoiled
    http://girlspoiled.blogspot.com.br/

    • Oi, Karine!
      Acho uma boa você esperar por um momento em que esteja disposta a mergulhar em uma história densa e profunda, e espero que esse dia chegue logo! 😀 Fico muito feliz por saber que minha resenha estimulou a sua curiosidade. *-*
      Beijos!

    • Oi, Elidiane!
      Sendo fã do gênero, acho que você vai curtir muito a narrativa do Anthony Burgess. 😀
      Quando tiver a oportunidade de ler, agarre-a, pois acredito que você vai gostar!
      Beijos

  5. Oi Pri,
    Já vi MILHÕES de comentários positivos sobre esse livro, de como a história, o desenvolvimento e a escrita do autor são envolventes e como a leitura é válida.
    Achei, inclusive, sua resenha maravilhosa! Mas, infelizmente, não acho que seja meu tipo de livro. Não faz meu gênero literário e sempre que penso na premissa dele, nada me anima.
    Ainda não tive a oportunidade de lê-lo e acredito que ficaria dividida em começar ou não a leitura.
    De qualquer forma, é sempre bom saber que muitos realmente recomendam tão fortemente a obra, rs!
    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    • Oi, Ká!
      Fico muito feliz que, mesmo não sendo o seu tipo de livro, você tenha gostado da resenha! Muito obrigada pelo elogio. ❤
      Ler algo forçado nunca é bacana, maaaaas se um dia você acordar e, do nada, sentir vontade de encará-lo, dê uma chance! Acho que vale muito a pena!
      Beijos

  6. Oi, Flor! Tudo bom?
    Adorei o seu site, tenho um no WordPress também, mas não consegui fazer login para te seguir por ele, então o fiz pelo Bloglovin!
    Muitos dos meus amigos já comentaram sobre o livro, conheço até mesmo um que tem uma tatuagem, linda também! Não tive a chance de ler o livro ainda, apesar da minha vontade ser grande, mas por tudo que li e vi no filme, e história é bem trágica e pesada. Quero chegar muito mais ao fundo dela pois me despertou um grande interesse, agora só falta comprar o livro, porque sua resenha já plantou a sementinha do desejo literário AHAHA! Linda resenha!

    Beijinhos,
    http://www.percepcoes.blog.br/

    • Oi, Fernanda! Tudo ótimo, e com você? ^^
      Muito obrigada por me seguir no BlogLovin’, farei o mesmo com o seu blog. 😀
      Fico muuuito feliz em saber que consegui plantar a sementinha da curiosidade e do desejo literário em você HAHAHA *-*
      Acho que você não vai se arrepender quando investir nessa leitura. Além do mais, o final acalenta o coração e é bem mais otimista do que o final do filme. Então, no fim, tudo vale a pena e a leitura fica gravada na nossa mente!
      Beijão!

  7. Oi Priih

    Laranja Mecânica está no topo da minha lista de prioridades para 2014. Estou tentando me segurar para assistir ao filme apenas quando tiver lido o livro.
    É um livro que pela sua resenha traz importantes reflexões e questionamentos. Olhando nosso sistema carcerário dá para fazer algumas ligações entre o livro e nossa realidade, adoro livros que tenham essa característica.
    Excelente resenha

    Beijos

    • Oi, Caline!
      Você está totalmente correta, podemos fazer diversos paralelos com o que ocorre em nossa sociedade e até projetar o que o futuro poderia trazer (uma das características que mais gosto em distopias). Acho que você não vai se arrepender de tê-lo colocado como prioridade em 2014. 🙂
      Muito obrigada pelo elogio, fico feliz que tenha gostado da resenha! *-*
      Beijos

  8. Oie Priih =)

    Eis um clássico que vergonhosamente eu ainda não li.
    Tenho muita curiosidade pois, só leio resenhas e criticas positivas dele.
    Gosto de livros trazem de uma forma sutil mais bem elaborada reflexões sobre a nossa realidade.

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias…
    @mydearlibrary

    • Oi, Ane!
      Muito obrigada pelo elogio, fico muito contente por você ter gostado! *-*
      Eu acho que você vai gostar muito da leitura, principalmente se aprecia esse tipo de reflexão e de questionamento. Laranja Mecânica cumpre ambas as funções com maestria. Espero que tenha a oportunidade de lê-lo em breve! 😀
      Beijos!

  9. Wow…. esse livro subiu vertiginosamente na minha lista de prioridades agora. Parabéns pela . Adoro essas leituras que trazem reflexões.resenha, fiquei muito interessada em ler.

    • Oi, Anna!
      Fico muito feliz em saber que gostou da resenha e que ela instigou sua curiosidade! 😀
      Se você gosta desse tipo de reflexão e de histórias distópicas, Laranja Mecânica é uma excelente escolha!
      Beijos

  10. Pingback: TAG: Cinco Perguntas | Infinitas Vidas

  11. Pingback: TAG: Hall of Shame Literário | Infinitas Vidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s