Adeus, 2016

E chegamos ao último dia de 2016.
2016, esse ano amargo e ingrato, que trouxe tantos infortúnios e sapos bem difíceis de engolir. Que trouxe uma crise política e econômica gigantesca, além de insegurança, ódio, falta de empatia e intolerância. Esse ano que nos fez viver um 7×1 constante, mostrando que não era prudente perguntar “ainda tem como piorar?”.

Porém, como tudo na vida tem um outro lado, esse ano também trouxe conquistas e bons momentos. Não consigo ser totalmente otimista falando a respeito porque, no geral, a sequência de dificuldades foi bem sufocante. Mas, ao olhar pra trás, consigo enxergar todas as vezes em que me reergui, sacudi a poeira e segui em frente – assim como muitos de nós, que vêm sofrendo baques constantes durante esse ano.

you are stronger than you think 2.png

E, pra divulgar e enaltecer celebrar essas alegrias e me despedir de uma maneira positiva de 2016, fiz uma pequena listinha com as conquistas desse ano e com as metas para 2017!

Conquistas de 2016

  • Andei pela primeira vez de avião e tirei férias com meu namorado: eu nunca tinha oficialmente “tirado férias” e, em fevereiro, meu namorado e eu fomos para João Pessoa, na Paraíba. Fiz dois posts contando um pouquinho sobre essa experiência maravilhosa, que você pode conferir aqui e aqui.
  • Passei pela transição capilar: hoje, 31 de dezembro de 2016, faz um ano desde que fiz minha última escova progressiva. Ao longo desse ano eu tive vários problemas com a minha autoestima, grande parte deles relacionados à minha insatisfação capilar (que me acompanhava há alguns anos). Em abril, decidi começar a fazer Low Poo e já estava determinada a não fazer mais nenhuma química de transformação. Em agosto, fiz meu Big Chop (ou grande corte) e tirei a química restante. Foi libertador e estou amando meu cabelo curto e minhas ondas. 😀
  • Parei com o anticoncepcional: seguindo essa vibe de aceitação e autoconhecimento, resolvi parar com a pílula anticoncepcional, que eu tomava desde os 15 anos. Tive muitos medos e algumas crises de ansiedade bem fortes, mas passaram. Apesar do meu corpo ainda não estar 100%, eu estou muito feliz com os resultados até agora. 🙂
  • Comecei uma atividade física: depois de sentir dores no joelho e no ciático, percebi que estava mais do que na hora de abandonar o sedentarismo. Em pleno mês de novembro me matriculei em uma academia perto do trabalho (pra não ter desculpa!) e estou seguindo firme e forte, mesmo preferindo ficar no sofá em frente à Netflix. E já estou vendo resultados! \o/
  • Entrei em um processo de autoconhecimento difícil, mas recompensador: como citei ali em cima, nos tópicos sobre transição capilar e anticoncepcional, nesse ano eu realmente olhei pra dentro de mim mesma. Tive momentos bem tensos durante esse processo, mas sempre que olho pra trás eu sinto que eles valeram a pena. E estou só no começo!
  • Fiz minha tatuagem de Harry Potter: há anos eu queria marcar minha saga favorita na pele, e esse ano finalmente fui em frente com essa vontade.
  • Dei conta da minha meta de leitura no Skoob: apesar de minha meta ter sido composta por apenas 11 livros, esse número representa uma grande conquista pra mim. Já falei por aqui anteriormente que, desde que entrei na minha primeira faculdade (lá em 2011), meu ritmo de leitura decaiu muito, e eu venho lutando para reconquistá-lo. Por isso, dada a minha rotina e o meu pouco tempo livre disponível (eu basicamente leio no ônibus, a caminho do trabalho ou da faculdade), fiquei muito contente por ter vencido esse desafio. 😀
  • Assisti a vários filmes no cinema e concluí várias séries: vocês já perceberam o quanto amo ir no cinema e maratonar séries, né? Em 2016 fui ao cinema várias vezes e também comecei e concluí diversas séries incríveis, que pretendo resenhar pra vocês aqui no blog (ainda que com atraso).

Ditas as minhas conquistas, apresento pra vocês as metas para o novo ano! \o/

Metas para 2017

  • Manter o ritmo de leitura de 2016 e, se possível, melhorá-lo.
  • Resenhar aqui no blog as séries que assisti durante 2015 e 2016, mas que não me organizei para publicar (aguardem por reviews de Agent Carter, Jessica Jones, Luke Cage, Sherlock, Madoka Magica e How I Met Your Mother!).
  • Trazer e manter uma novidade pro blog/pra minha rotina (já tenho ela em mente!).
  • Fotografar mais.
  • Continuar o processo de autoconhecimento que comecei esse ano, sempre buscando melhorar a minha saúde e encontrar um equilíbrio.

O post ficou um pouquinho longo, mas espero que vocês tenham gostado. 🙂
Estou feliz por estar me despedindo desse ano difícil, principalmente por saber que, no fim das contas, ele trouxe coisas muito bacanas pra minha vida!

Aproveito para desejar a todos um Feliz Ano Novo! Que 2017 seja repleto de leituras bacanas, filmes e séries envolventes, momentos de alegria e muitas conquistas! Obrigada a todos por me acompanharem ao longo desse ano, espero contar com a presença de vocês também no ano que se inicia! ❤

Beijos cheios de carinho! :*

Um ano de transformações

Há algum tempo eu ando com vontade de postar mais uma das minhas reflexões por aqui, e acredito que hoje seja a oportunidade perfeita pra isso. Por quê? Hoje é meu aniversário! 🙂

Eu adoro comemorar meu aniversário. Gosto de ter meus amigos perto de mim, da atenção que ganho no dia, do carinho que recebo. Mas, acima de tudo, gosto da perspectiva de recomeço que o aniversário traz. Mesmo sabendo que as coisas não mudam a partir de um dia específico, pra mim essa data representa esperança e renovação.

Falando em mudanças, eu já comentei por aqui que eu costumo não gostar delas, lembram? O curioso é que 2016 foi um dos anos em que eu mesma mais mudei.
Botei um piercing, depois tirei.
Fiz uma nova tatuagem.
Tirei o aparelho dentário.
Mudei meu cabelo uma vez. Mudei meu cabelo de novo.
Tomei decisões importantes referentes ao meu corpo.
Pensei em abrir mão de algumas coisas, depois me convenci a persistir.

Enfim, 2016 tem sido um ano difícil  e inquietante. Minha ansiedade nunca esteve tão intensa e eu nunca tive tanta dificuldade em lidar com isso. Ainda assim, esse último ano que vivi também foi um ano de transformação. Apesar de todas as coisas que me jogaram pra baixo, eu continuei  (e continuo) tentando. E eu me orgulho disso.

Talvez esse post não faça muito sentido. Eu sei, nem eu mesma faço às vezes. Ainda mais nos últimos tempos. Ainda mais dos 22 aos 23. Espero que a jornada até os 24 seja mais tranquila, mais equilibrada, mas que eu continue com essa coragem pra mudar (que nem eu sabia que tinha!) o que for necessário pra que eu me sinta bem. E eu desejo o mesmo pra você. Que nós sempre sejamos capazes de dizer adeus pro que nos machuca e dizer olá pras infinitas possibilidades que o novo traz. 🙂