#Lista 5: Melhores séries de 2018

Oi gente, tudo bem?

Continuando a retrospectiva de 2018, fiz uma lista com as séries de que mais gostei em 2018. Meu critério de escolha foi ter começado a assisti-las esse ano, e elas estão organizadas pela ordem cronológica em que eu as comecei. 😀

Alias Grace

poster alias graceReview

Essa minissérie, baseada em um livro de mesmo nome de Margaret Atwood, tem um enredo instigante, um elenco primoroso e uma produção incrível. Grace, nossa protagonista e narradora, é uma personagem ambígua, que nos mantém desconfiados e incertos o tempo todo.

The Alienist

poster the alienistReview

Pra quem me acompanha, não é novidade o quanto eu gosto de tramas policiais. Esta se passa no início do século 20 e traz uma equipe improvável se unindo para capturar um serial killer. Gostei demaaais!

Brooklyn Nine-Nine

brooklyn nine-nineReview

Brooklyn Nine-Nine ganhou meu coração de modo arrebatador. Essa série de comédia, que acompanha os detetives da 99ª delegacia de polícia do Brooklyn, tem ótimos personagens, o tipo de humor que eu gosto e um carisma sem igual.

The Handmaid’s Tale

the handmaids tale

Ainda farei um post exclusivo pra falar sobre essa série, que comecei a assistir poucos dias depois de ter terminado de ler O Conto da Aia. A série conseguiu mexer muito comigo, tanto quanto o livro (ou até mais), e eu estou dando um tempo pra minha cabeça antes de começar a segunda temporada. Sim, é forte. Sim, é doloroso.

My Hero Academia

my hero academia

Faz tempo que eu não falo de animes por aqui, né? Comecei a assistir My Hero Academia (ou Boku no Hero) por insistência do meu namorado e, quando percebi, estava viciada. Os episódios são muito envolventes e os personagens conquistam o espectador enquanto estudam para tornarem-se grandes super-heróis.

Mom

mom

Uma das melhores surpresas desse ano, Mom é uma dramédia SENSACIONAL. Trazendo como plot principal o relacionamento disfuncional de mãe e filha, ambas alcoólatras, Mom consegue te levar do riso às lágrimas em instantes. Amo real oficial!

E vocês, já assistiram a alguma dessas séries?
Quais vocês mais curtiram esse ano? 😀

Beijos e até o próximo post!

Anúncios

Dica de Série: The Alienist

Oi pessoal, tudo bem?

Em primeiro lugar, eu gostaria de agradecer imensamente a quem respondeu à Pesquisa de Opinião no post anterior! ❤ Pude tirar uns insights ótimos graças às respostas de vocês, e prometo me esforçar pra deixar o Infinitas Vidas cada vez melhor. Muuuito obrigada! 😍 E agora vamos à dica de hoje!

Que eu amo histórias de investigação não é novidade, por isso fiquei louca de vontade de conferir The Alienist, da Netflix. Hoje vim contar o que achei dessa série e, já adianto: vale a pena! 😉

poster the alienist.png

Sinopse: Na trama, quando uma série de horríveis assassinatos de garotos prostitutos assombra a cidade, o recém-nomeado Comissário de Polícia Theodore Roosevelt encarrega o psicólogo criminal (também conhecido como alienista) Dr. Laszlo Kreizler (Brühl) e o jornalista John Moore (Evans) para conduzir a investigação em segredo. Eles contam com a ajuda de uma equipe singular, incluindo a intrépida Sara Howard, uma jovem secretária da equipe de Roosevelt que está determinada a se tornar a primeira detetive de polícia da cidade de Nova York. Usando os conhecimentos emergentes de psicologia e as primeiras técnicas de investigação forense, este grupo investiga um dos primeiros serial killers de Nova York.

The Alienist se passa no século 19, em uma época no qual as doenças mentais eram um terreno nebuloso e desconhecido. Os médicos que se encarregavam de tratar essas doenças eram conhecidos como alienistas, e um desses profissionais protagoniza a trama. Lazslo Kreizler é um alienista com experiência no tratamento de crianças; quando um jovem garoto de programa é encontrado morto de forma brutal, o Dr. Kreizler percebe semelhanças com um antigo caso que acompanhou, o que o perturba, mas também atiça sua curiosidade. Contando como aliados o ilustrador John Moore (um homem de bom coração, que enfrenta dificuldades com o alcoolismo), Sara Howard (a primeira mulher a ser admitida como funcionária do Departamento de Polícia) e dois irmãos peritos em ciência forense, Laszlo Kreizler se vê adentrando em um terreno perigoso, cheio de crueldade e corrupção.

the alienist.png

Os personagens têm grande destaque nessa série, e provavelmente foi isso que mais me deixou envolvida com a trama. Laszlo é o típico homem brilhante, mas com problemas de relacionamento interpessoal. Há mistérios em seu passado que o personagem se recusa a revelar, e seu modo racional muitas vezes afasta quem está ao seu redor. John é extremamente carismático e com forte senso de justiça. Porém, a perda de seu irmão e a traição de sua ex-noiva deixaram nele marcas profundas, que ele tenta compensar com bebida e sexo sem sentido. Sara é uma personagem determinada e independente, mas com traumas de infância que moldaram muito de sua personalidade. Ela não suporta depender de homens, e muito menos ser menosprezada por eles. O machismo do ambiente de trabalho (e fora dele) a perseguem, mas ela sabe lidar com isso sem baixar a cabeça. Por fim, temos os carismáticos irmãos Isaacson: dois jovens brilhantes e cheios de ideias inovadoras sobre a ciência forense. Apesar do menor desenvolvimento, gostei muito deles.

the alienist 3.png

As atuações são primorosas. Daniel Brühl dá vida a um Laszlo cheio de nuances, com qualidades e defeitos que o tornam um personagem totalmente cinza. Luke Evans, por sua vez, traz um John cativante, por quem é impossível não sentir afeição. Confesso que a atuação de Dakota Fanning não me convenceu durante a maior parte da série, me lembrando muito a Jane, de Crepúsculo. Entretanto, na reta final ela conseguiu me emocionar.

the alienist 2.png

A trama tem pontos muito fortes e alguns pontos fracos. A excelente ambientação, os figurinos impecáveis e imponentes, a fotografia escura e a trilha sonora aflitiva causam muitos sentimentos ao espectador, combinando perfeitamente com a época na qual a série se passa. A própria Nova York do século 19, com seus prostíbulos, pessoas pobres, carruagens pra todo lado e prédios em construção acaba sendo um personagem vivo e pulsante na trama. Além disso, The Alienist trata de corrupção policial, evidenciando como nomes importantes da sociedade nova-iorquina têm prioridade em relação a assassinatos de jovens prostitutos. Em meio a tudo isso, Ted Roosevelt (o futuro presidente dos EUA, na trama comissário de polícia), tenta fazer o seu melhor – ainda que rodeado de funcionários não confiáveis. O ritmo da série e o desenrolar da investigação também são envolventes e provocam um senso de urgência, já que o próximo assassinato é iminente, e essa ameaça paira o tempo todo no desenrolar dos episódios.

the alienist 4.png

Entretanto, há alguns pontos negativos também. A série nos entrega um suspeito que encaixa com todas as características para, depois, descartá-lo sem consequências. Fiquei incomodada com isso, especialmente porque não vi razão de tal trama sequer existir. Além disso, a investigação fica um pouco confusa quando o trio protagonista chega perto de descobrir a identidade do assassino; e talvez eu tenha sentido isso justamente por causa das evidências que apontavam para outra pessoa.

the alienist 6.png

Apesar das poucas ressalvas, eu amei The Alienist. A série tem um desfecho satisfatório, concluindo bem sua trama, mas com uma leve abertura que pode ou não dar margem para futuras investigações. Com personagens bem construídos, uma ambientação impecável e um desenrolar envolvente, The Alienist é uma ótima pedida pra quem aprecia séries investigativas. 😉

Título original: The Alienist
Ano de lançamento: 2018
Criador: Hossein Amini
Elenco: Daniel Brühl, Luke Evans, Dakota Fanning, Brian Geraghty, Douglas Smith, Matthew Shear, Robert Wisdom, Q’Orianka Kilcher, Matthew Lintz