Dica de Série: Sex Education

Oi gente, tudo certo?

Meu vício mais recente tem nome: Sex Education. E hoje vim contar pra vocês as razões para darem o play nessa série o quanto antes. 😉

sex education poster

Sinopse: Em Sex Education, Otis (Asa Butterfield) é um adolescente socialmente inapto que vive com sua mãe, uma terapeuta sexual. Apesar de não ter perdido a virgindade ainda, ele é uma espécie de especialista em sexo. Junto com Maeve, uma colega de classe rebelde, ele resolve montar sua própria clínica de saúde sexual para ajudar outros estudantes da escola.

Sex Education é protagonizada por Otis, um rapaz tímido e reservado. Apesar de estar no auge da puberdade, sexo é uma questão delicada pra ele, especialmente porque sua mãe, terapeuta sexual, fala abertamente sobre o assunto, o que causa ainda mais constrangimento no garoto. Porém, quando Otis dá um conselho valioso a um colega de escola e passa a ser conhecido como uma espécie de “guru do sexo”, Maeve (uma garota badass que enfrenta sérios problemas financeiros) enxerga uma oportunidade de negócio, e eles viram uma dupla que passa a capitalizar as sessões clandestinas de terapia sexual.

sex education 2

Eis um exemplo de série que eu gostaria MUITO de ter assistido na adolescência. Ela utiliza o plot dos conselhos sexuais para mergulhar em todas as dúvidas, mitos e tabus que envolvem o assunto e que muitos jovens não têm coragem de admitir. A importância de saber do que você gosta, o prazer feminino, o sexo lésbico, a bissexualidade e a gravidez na adolescência são alguns dos tópicos abordados – nenhum deles de modo estereotipado.

sex education

Além do sexo, a produção também traz debates sobre saúde mental. Os traumas de Otis (que aconteceram na infância mas ainda impactam sua adolescência), as crises de pânico de Jackson (um atleta promissor sufocado pela cobrança materna) e até mesmo o bullying causado e sofrido por Adam (um personagem que ganha complexidade ao longo dos episódios) são alguns exemplos do aprofundamento dos personagens e das consequências de não dar a devida atenção àquilo que machuca. A adolescência é um período conturbado por si só, uma fase na qual buscamos entender quem somos e consolidar nossa identidade. Quando existem feridas expostas sobre as quais não falamos e não tratamos, esse processo (cheio de hormônios e dúvidas) ganha novos níveis de dificuldade.

sex education 3

Sex Education também nos faz refletir sobre situações que fazem parte do nosso cotidiano, mas não deveriam fazer. Um plot emblemático é o de Aimee, melhor amiga de Maeve: após sofrer assédio sexual no ônibus, a jovem não percebe que está sofrendo profundamente com o trauma. Assim como a maioria de nós, mulheres, é ensinada desde cedo, Aimee se culpa pelo que aconteceu ao mesmo tempo em que relativiza a situação, achando que o agressor era só mais um “maluco” que não fez nada de tão sério assim. Quantas de nós já não fomos assediadas e tivemos como primeiro instinto sentir vergonha ou buscar justificativas (na roupa, no horário, no local)? Sex Education faz um excelente trabalho ao evidenciar que isso não é normal e não deve ser ignorado. Entretanto, a situação não é mostrada de modo ingênuo, e vemos na tela as dificuldades da vida real: a burocracia pra denunciar esse tipo de agressão, as dúvidas veladas das autoridades (também mostradas em Inacreditável) e o receio da vítima em se expor à toa.

sex education 4

Agora vamos aos maravilhosos personagens? A série tem uma representatividade enorme não apenas no que diz respeito à orientação sexual, mas por contar também com pessoas de todas as cores e formas. Eric, o melhor amigo de Otis (também conhecido como MELHOR personagem da série) merece destaque: negro e gay, o jovem sente na pele a opressão causada pelo preconceito e pela ignorância. Em uma cena dolorosa de assistir, Eric vivencia o quanto as pessoas podem ser cruéis com o que é diferente do padrão hegemônico. Porém, é lindo presenciar quando o personagem cura suas feridas e passa a sentir orgulho de si mesmo de novo. E eu não poderia deixar de falar de Maeve, a cabeça por trás da clínica sexual: abertamente feminista, a jovem é independente e batalhadora. Vivendo sozinha devido ao problema com drogas de sua família, a garota passa por inúmeras situações difíceis. Quando uma professora vê seu potencial sendo desperdiçado e a incentiva a ir mais longe, é um verdadeiro alento, especialmente quando pensamos em quantos professores exercem esse importante papel fora da tela.

sex education 5

Por fim, vamos a um comentário rápido sobre a fotografia e a ambientação. Sex Education é uma série um tanto anacrônica, e você nunca sabe qual é a época real em que a trama se passa: existem smartphones, mas o visual dos lugares e das pessoas é super oitentista. Os cenários são lindos, com florestas e campos que encantam a cada episódio.

Sex Education é mais um exemplo de série que sabe fazer humor sem ofender, que equilibra cenas engraçadas com assuntos relevantes e intensos e que brilha por trazer representatividade e diversidade. E não importa o quanto você seja experiente, tenho certeza que Sex Education vai te ensinar lições valiosas – sobre amor próprio, sobre respeitar o próximo, sobre machismo, sobre tabus… e sobre sexo. Recomendo demais!

Título original: Sex Education
Ano de lançamento: 2019
Direção: Laurie Nunn
Elenco: Asa Butterfield, Emma Mackey, Ncuti Gatwa, Gillian Anderson, Connor Swindells, Aimee Lou Woods, Kedar Williams-Stirling