Livros leves para ler na quarentena

Oi pessoal, tudo bem?

Imagino que, assim como eu, a maior parte de vocês esteja enfrentando o isolamento social autoimposto, a atitude mais responsável e empática a tomar nessa pandemia de coronavírus (caso seja possível, claro – sabemos que nem todas as empresas estão zelando pela saúde de seus funcionários e da sociedade como um todo).

O momento é ansiogênico e, ao que tudo indica, ainda vai durar bastante. Por isso, resolvi reunir uma lista de leituras leves e divertidas que podem animar um pouquinho o dia a dia de vocês. Afinal, em meio a tanta insegurança, um pouco de distração vai bem, né?

@mor – Daniel Glattauer

@morResenha | Compre aqui

Nesse romance epistolar narrado por meio de e-mails, conhecemos Emi e Leo: ela envia um e-mail por engano para ele, que responde. Essa troca de mensagens dá origem a uma amizade que rapidamente se transforma em “um algo a mais” estimulante para ambos os lados. Porém, os obstáculos em suas vidas pessoais e o medo de se conhecerem pessoalmente tornam a dinâmica um pouco mais complicada.

A Queda – Garth Nix

a queda garth nixResenha | Compre aqui

O primeiro volume da série A Sétima Torre é uma ótima pedida pra quem adora fantasia. A trama nos apresenta a um universo novo e criativo, em que itens místicos chamados Pedras-do-Sol são responsáveis pelo calor, pela luz e pelo poder das pessoas que vivem no lugar conhecido como Castelo. Quando o jovem Tal vê a segurança de sua família em perigo, ele resolve escalar o Castelo em busca de uma Pedra-do-Sol mais poderosa. Entretanto, a jornada não termina bem, e ele acaba caindo fora dos limites do seu lar, em meio à imensidão do gelo. Lá ele descobre que existe um mundo além das paredes do Castelo, com povos (e ameaças) bem diferentes.

Biblioteca Sobre Rodas – David Whitehouse

biblioteca sobre rodasResenha | Compre aqui

Um livro fofo que aborda as diferentes formas de ser família. Tendo como principal cenário uma biblioteca itinerante, a trama desenvolve a amizade do solitário Bobby Nusku com Rosa e sua mãe, Val. Enquanto fogem vivem uma aventura a bordo da biblioteca, o caminho dos três cruza com o de Joe, um fugitivo. Por mais improvável que pareça, esses quatro elementos (somados ao cachorro preguiçoso, Bert) criam vínculos que até então não tinham. É uma trama bem fantasiosa, mas fofa.

Confissões de Uma Garota Desastrada – Emma Chastain

confissoes de uma garota desastrada emma chastainResenha | Compre aqui

Bem-vindo ao túnel do tempo que vai te levar de volta à adolescência. Confissões de Uma Garota Desastrada é leve e bem-humorado, e narra o ano escolar de Chloe Snow. Em meio a um novo crush, dificuldade de lidar com o divórcio dos pais e brigas com a melhor amiga, o livro aborda vários assuntos que qualquer adolescente já viveu. É aquela leitura rápida e gostosinha que faz a gente relaxar.

Extraordinário – R. J. Palácio

extraordinario rj palacioResenha | Compre aqui

Cheio de lições, Extraordinário é uma leitura para todas as idades e momentos. Acompanhamos os desafios de Auggie, um menino que vai enfrentar o desafio de ir para uma escola regular pela primeira vez, após anos estudando em casa. Como se isso já não fosse desafiador o bastante, Auggie nasceu com malformações congênitas em seu rosto que chamam a atenção por onde ele passa. O livro então discorre sobre bullying, sobre o amor da família e dos amigos e sobre enfrentar os desafios de cabeça erguida. É lindo!

Lendo de Cabeça Para Baixo – Jo Platt

lendo de cabeça para baixo jo plattResenha | Compre aqui

Após ser abandonada no altar, Ros vê sua vida de ponta cabeça. Deprimida e sem perspectivas, ela é convencida por um amigo próximo a investir em uma livraria, de modo que ocupe a cabeça e conheça novas pessoas. Lá, Ros faz amizades que pouco a pouco vão devolvendo a cor aos seus dias; além delas, seu novo (e gatíssimo) vizinho também se mostra um incentivo interessante. É um chick-lit engraçado e que deixa o coração quentinho.

Curtiram as dicas, pessoal?
Se quiserem, posso trazer uma parte 2. Me contem nos comentários! 😉

Beijos e até o próximo post. 😘

Livros para ler no Carnaval

Oi gente, tudo bem?

Pensando em quem também é do Bloquinho da Netflix e dos Livros e prefere curtir o Carnaval longe da folia, preparei uma lista de leituras fluidas e envolventes para ler no feriadão. Espero que gostem! 😀

E Não Sobrou Nenhum

e nao sobrou nenhum agatha christie

400 páginas | Resenha |  Compre aqui

Esse é um dos meus livros favoritos e eu li mais da metade dele em uma única tarde. Foi meu primeiro contato com Agatha Christie e já pude perceber porquê ela é chamada de Rainha do Crime. Minha dica é: não se assustem com o número de páginas, tenho certeza que a leitura será fluida. Afinal, será impossível segurar a curiosidade até descobrir quem é o assassino da Ilha do Soldado.

Mentirosos

mentirosos e lockhart

272 páginas | Resenha | Compre aqui

Um livro que me surpreendeu pelo final, Mentirosos também é uma boa opção para o feriadão. Com menos de 300 páginas, a obra consegue manter o leitor confuso até o último (e surpreendente) capítulo.

O Sorriso da Hiena

capa o sorriso da hiena gustavo avila

304 páginas | Resenha | Compre aqui

Aqui, acompanhamos o dilema moral de um psicólogo que é instigado por um serial killer a estudar a origem da maldade humana. Como não ficar curiosa(o) com uma trama assim? Além disso, a narrativa é ágil e o livro não é muito longo, o que super favorece uma maratona de Carnaval.

Outros Jeitos de Usar a Boca

outros jeitos de usar a boca rupi kaur

208 páginas | Resenha | Compre aqui

Apesar de eu não ser a maior fã de poesia, essa obra me tocou. Com poemas que retratam as diferentes experiências (e dores) do ser mulher, Rupi Kaur não nos poupa com suas palavras – em alguns momentos doces, em outros contundentes.

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

a sutil arte de ligar o foda-se

224 páginas | ResenhaCompre aqui

Mais um exemplar de obras que não costumo ler, mas que acabei gostando. O livro é curto, chama a atenção já pelo título e traz um cinismo interessante sobre a vida e sobre a importância que damos a certas coisas. Aprendi algumas lições bem valiosas com ele!

Clube da Luta Feminista

clube da luta feminista

336 páginas | Resenha | Compre aqui

Uma das minhas leituras favoritas do ano passado, eu recomendo esse livro pra todo mundo! Jessica Bennett explora as diversas facetas do machismo no ambiente corporativo e nos mune com táticas para combatê-lo. É um livro importante, mas fácil de devorar graças à sua narrativa divertida.

A Revolução dos Bichos

a revolução dos bichos george orwell

152 páginas | Resenha | Compre aqui

Um dos meus livros favoritos da vida, essa fábula é uma obra fácil de ler, mas isso não diminui em nada sua mensagem poderosa. George Orwell utiliza diversas alegorias para falar sobre a hipocrisia humana e sobre o que acontece quando certos tipos sobem ao poder.

Para Todos os Garotos Que Já Amei

capa para todos os garotos que ja amei

320 páginas | Resenha |  Compre aqui

Não podia faltar um romance bem água com açúcar nessa lista, né? A história inusitada de Lara Jean e Peter Kavinsky cai muito bem um feriadão, já que é difícil largar o livro até a história terminar. E, se você quiser conferir a adaptação, ela está disponível na Netflix. 😉

@mor

@mor

188 páginas | ResenhaCompre aqui

Eu li esse livro há uns anos, mas ainda o adoro! Nele, duas pessoas começam a trocar e-mails após um erro de digitação da protagonista, que desejava entrar em contato com uma revista. Acompanhar os diálogos dessa amizade virtual é muito divertido – especialmente quando os sentimentos começam a mudar.

Confissões de Uma Garota Desastrada

confissoes de uma garota desastrada emma chastain

320 páginas | Resenha | Compre aqui

Uma opção de livro bem leve sobre a adolescência, que traz diversas situações pelas quais a maioria de nós já passou: a ansiedade sobre o primeiro beijo, o primeiro crush, o afastamento natural de algumas amizades… É um livro despretensioso, ótimo para passar o tempo com leveza.

Gostaram das dicas? Já leram alguma das obras sugeridas?
Me contem nos comentários!

E bom Carnaval. 🎉

Resenha: @mor – Daniel Glattauer

Olá, pessoal. 😀

O livro escolhido para a resenha desta semana é @mor, do escritor austríaco Daniel Glattauer. Já tinha lido algumas resenhas a respeito, mas nenhuma delas tinha despertado a minha curiosidade. Porém, para testar o Kindle da minha cunhada e experimentar a leitura em um eReader, acabei começando @mor de forma despretensiosa, já que era um dos livros mais curtos da biblioteca dela. Bem, a leitura foi uma grata surpresa, pois era justamente o que eu estava precisando pra ajudar na recuperação da minha ressaca literária! ♥

Imagem

Sinopse: Num e-mail enviado por engano, começa um relacionamento virtual que testa as convicções de Leo Leike e Emmi Rothner. Ele, ainda digerindo o fracasso de seu último relacionamento, responde de forma espirituosa a duas mensagens enviadas por engano por ela, que, inicialmente, só queria cancelar uma assinatura de revista. Depois, Emmi inclui Leo por engano entre os destinatários de um e-mail de boas festas. Na terceira troca de e-mails, o mal- entendido dá lugar à atração mútua, reforçada pelo fato de um nunca ter visto o outro. A cada dia, Leo e Emmi se sentem mais impelidos a marcarem um encontro. Após trocas contínuas de mensagens, está claro para ambos que o marido dela e as feridas emocionais dele não serão obstáculos para que marquem um encontro. O único obstáculo real é a insegurança de ambos quanto à transformação da fantasia em realidade. A expectativa é uma faca de dois gumes e a realidade pode não estar à altura.

@mor é um romance epistolar, ou seja, ele é desenvolvido através de cartas (nesse caso, de e-mails). Tudo começa quando Emmi Rothner troca o endereço “Like” por “Leike”, enviando um pedido de cancelamento de uma revista a Leo, e não à editora. Meses depois, ela acaba enviando a ele outro e-mail não intencional, desejando “Feliz Natal e Próspero Ano Novo” (frase esta que vai iniciar todo o diálogo dos dois). Leo decide respondê-la e, aos poucos, os dois começam a trocar e-mails com uma frequência crescente.

Emmi é uma personagem jovial, espontânea, viva e muito confiante (até demais, às vezes). Em alguns momentos do livro ela consegue realmente ser chata e egoísta mas, de certa forma, é ela quem instiga e estimula a conversação, sempre provocando Leo com sua ironia e seu sarcasmo. Ela é casada e tem uma família formada, e alega ser feliz no casamento durante (quase) toda a narrativa. Entretanto, com o passar do tempo, ela vai se tornando cada vez mais dependente do contato diário que mantém com Leo através da sua caixa de entrada.

Leo, em contrapartida, é muito mais comedido. Professor universitário e psicólogo da Linguagem, na maioria dos seus e-mails ele parece controlar o que fala e como fala, de forma a não expor nada além do necessário. Recém-saído de um relacionamento bastante conturbado, ele vai se abrindo com Emmi no decorrer da história e deixando de ser tão reservado. Ele consegue, por muitas vezes, domar o temperamento controlador e impulsivo que Emmi demonstra em diversos e-mails.

Existem alguns personagens secundários que são mencionados ao longo da trama, mas que têm uma importância crucial na vida dos protagonistas. Um deles, inclusive, faz uma aparição surpreendente no final do livro, gerando uma reviravolta muito importante. Contudo, o foco de @mor realmente está na construção de uma relação virtual, do quão presente uma pessoa pode estar – física ou emocionalmente – e como a convivência, seja da forma que for, pode mudar a vida de alguém.

Emmi e Leo ficam realmente ligados um ao outro ao longo da troca de e-mails e, com o passar do tempo, começam a pensar um no outro também de uma forma carnal, não somente afetuosa, com uma necessidade crescente de se encontrarem pessoalmente. Porém, um grande dilema sempre permeia o pensamento de ambos: e se eles decepcionarem um ao outro? E se o encontro marcar o fim da relação virtual estável e necessária que eles formaram? E se a magia se dissipar no momento em que se puserem um de frente para o outro? São questões totalmente coerentes, considerando que eles passam meses a fio trocando apenas e-mails, somente imaginando como o outro deve ser. E é bastante complicado abrir mão de uma imagem perfeita do outro criada pela nossa imaginação, já que talvez o indivíduo real nunca seja capaz de se equiparar à idealização feita. O medo de destruírem aquilo que a caixa de entrada possibilitou faz com que, por diversas vezes, Emmi e Leo evitem o encontro. Porém, os sentimentos dos dois vão se tornando cada vez mais confusos, fazendo com que a vontade de se encontrarem seja quase incontrolável.

O mais legal de @mor é que a história e os personagens são muito reais. O nascimento e o amadurecimento dos sentimentos dos dois são graduais (o que pode incomodar um pouco, pois o livro demora a “pegar no tranco” e tem seu verdadeiro clímax somente no final), sendo fácil acreditar nas motivações e nas ações tomadas por eles. Além disso, cada um tem seus próprios conflitos pessoais: Leo, com seu antigo relacionamento doentio, para o qual ele vive voltando; Emmi, com seu marido e seus enteados, temendo trai-los ou trair a si mesma. E esses problemas dão mais verossimilhança aos protagonistas, fazendo com que o leitor torça por eles, mas também entenda quão complicada é a situação de ambos e quanta coisa está em jogo.

Apesar do ponto negativo que eu mencionei, sobre o grande ápice da história acontecer somente no final, @mor é um livro curto e envolvente. Acredito que seja uma ótima pedida para aqueles que buscam um romance leve e diferente. A escrita em forma de e-mails é bem divertida e fluida. O final do livro é totalmente angustiante e implora pela continuação, mas infelizmente eu só encontrei o segundo volume em português de Portugal (que eu detesto e não consigo encarar). Como eu disse no início do post, @mor era justamente o que eu precisava, e superou muito as minhas (antes baixíssimas) expectativas!

Série: Emmi & Leo
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 188
Adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! 🙂