Séries que abandonei #2

Oi meu povo, tudo bem?

Preparados pra mais uma listinha de desistências televisivas? Hoje vim dividir com vocês algumas séries que eu simplesmente aceitei que não tinham mais a ver comigo. Sabem como é… acontece! 🤷‍♀

Please Like Me

Adoro comédias e vi Please Like Me sendo bastante elogiada, mas assisti a uns 3 ou 4 episódios e não demos match. Acho que a personalidade irritante e egoísta do protagonista foi o fator de decisão mais crucial.

La Casa de Papel

Review

Apesar das várias cenas forçadas, como a Tokio invadindo a Casa da Moeda de moto com um monte de policiais ao redor, achei a primeira temporada (dividida em duas pela Netflix) bem legal. Mas pra mim aquele final resolvia, sabem? Senti zero necessidade de continuação e fiquei com muita preguiça quando renovaram.

Shooter

Não sou nada fã de armas e afins, mas meu namorado gosta de filmes de ação e com isso acabei vendo Shooter com ele. Mesmo sem ser um estilo que eu normalmente consuma, a série é bem envolvente porque tem várias reviravoltas e momentos de tensão. Acontece que a série foi cancelada e isso me tirou todo o tesão de seguir assistindo. 😦

How to Get Away With Murder

Adoreeei a primeira temporada e curti a segunda também, mas quando cheguei na terceira eu já tava achando desgastante. How to Get Away With Murder virou muito novelão (pro meu gosto), por isso desisti dela.

The Walking Dead

Essa série já figurou entre as minhas favoritas, mas hoje sequer penso em retomar. The Walking Dead começou a pecar na repetição dos plots toda vez que uma nova ameaça surgia, e isso somado a episódios muito longos foi algo que me desanimou bastante.

O Mundo Sombrio de Sabrina

Review

Pra mim Sabrina foi decaindo da primeira temporada em diante. As situações foram ficando cada vez mais inverossímeis (mesmo pra um universo mágico) e a pegada adolescente foi ficando mais forte – e hoje em dia já não tenho muita afinidade com esse estilo. Quando vi as críticas bem ruins a respeito da series finale, fiquei com menos energia pra conferir a última temporada (na qual parei). Catei uns spoilers, descobri o que acontece e deixei por isso mesmo.

Fleabag

Sei que essa é uma série aclamada, mas vi uns 2 ou 3 episódios e não curti nenhum. Não sei se foi o estilo da série ou o jeito da própria Fleabag (que não me cativou), mas rapidamente decidi que não investiria mais tempo tentando gostar. Abandonei sem dó!

Agora quero saber quais são as séries abandonadas de vocês! 👀
Me contem nos comentários?

Dica de Série: La Casa de Papel

Oi meu povo, tudo bem?

Agora que passou um pouco o hype, vim contar o que achei de La Casa de Papel, uma série que deu o que falar. 🙂

poster la casa de papel.png

Sinopse: Oito habilidosos ladrões se trancam na Casa da Moeda da Espanha com o ambicioso plano de realizar o maior roubo da história e levar com eles mais de 2 bilhões de euros. Para isso, a gangue precisa lidar com as dezenas de pessoas que manteve como refém, além dos agentes da força de elite da polícia, que farão de tudo para que a investida dos criminosos fracasse.

A premissa de La Casa de Papel já é bastante instigante: criminosos que não se conhecem nem sabem nada uns sobre os outros são unidos pelo misterioso Professor e embarcam na ousada missão de roubar a Casa da Moeda da Espanha. Eles são identificados por nomes de cidades, não devem se relacionar intimamente uns com os outros e precisam seguir à risca as orientações de seu líder. Alguma dúvida de que isso pode dar errado? 😛 Ao longo dos episódios, acompanhamos a dinâmica dos personagens durante o assalto/sequestro e também momentos do passado que os levaram até ali.

la casa de papel.png

O maior mérito de La Casa de Papel são as reviravoltas, capazes de manter o espectador atento e interessado. Sempre que a inspetora Murillo ou algum de seus colegas investigadores chega perto de descobrir a verdade sobre o Professor, sentimos aquele frio na barriga de quem está torcendo pelos vilões (Dexter, lembrei de você!). Além disso, o plano do Professor é genial e cada etapa do processo está prevista e planejada. Toda vez em que o espectador imagina que algo vai sair dos trilhos, o líder do assalto vem para mostrar que sua astúcia e perspicácia não devem ser subestimadas.

la casa de papel 3.png

Infelizmente, eu detestei a personagem “principal” e seu par romântico. Tókio é uma mulher temperamental, egoísta e impulsiva, que vive para atrapalhar o plano e colocar os próprios sentimentos acima de todo o resto. Rio é um rapaz jovem e apaixonado que acaba fazendo todas as vontades de Tókio, mesmo que isso prejudique outras pessoas. Além disso, o garoto é extremamente sem sal. Falando em sem sal, tá pra nascer personagem mais sem graça que Alison Parker, uma refém que é peça-chave para o sucesso do plano. Por outro lado, o carisma de personagens como o próprio Professor, Denver e Nairóbi (uma das poucas a manter a cabeça fria e dona de uma das melhores frases da série) compensa.

la casa de papel nairobi.png

Se por um lado La Casa de Papel é capaz de nos manter entretidos, a reta final tem uma vibe totalmente novela mexicana (especialmente no final). Reviravoltas forçadas e vários Deus ex-machina surgem para solucionar os problemas do Professor e seus comparsas. O desfecho me deixou meio incrédula de tão fantasioso que foi mas, ainda assim, não chegou a estragar minha experiência.

la casa de papel 2.png

La Casa de Papel é uma série muito bacana, sim, mas cujo hype não necessariamente condiz com a qualidade do enredo. Existem situações extremamente nonsense que a série trata com a maior naturalidade. Apesar das ressalvas, acho que vale a pena conferir, especialmente por se tratar de uma temporada única com enredo fechado (que a Netflix resolveu dividir em duas sabe-se Deus por quê). Ah! E a abertura é maravilhosa. 😉

Título original: La Casa de Papel
Ano de lançamento: 2017
Criador: Álex Pina
Elenco: Úrsula Corberó, Álvaro Morte, Itziar Ituño, Pedro Alonso, Miguel Herrán, Alba Flores, Jaime Lorente López, Esther Acebo, Enrique Arce, María Pedraza