Review: Jurassic World: Reino Ameaçado

Oi galera, tudo bem?

Ontem fui conferir Jurassic World: Reino Ameaçado e hoje conto o que achei pra vocês, sem spoilers. 😉

jurassic world reino ameaçado poster.png

Sinopse: Três anos após o fechamento do Jurassic World, um vulcão prestes a entrar em erupção põe em risco a vida na ilha Nublar. No local não há mais qualquer presença humana, com os dinossauros vivendo livremente. Diante da situação, é preciso tomar uma decisão: deve-se retornar à ilha para salvar os animais ou abandoná-los para uma nova extinção? Decidida a resgatá-los, Claire (Bryce Dallas Howard) convoca Owen (Chris Pratt) a retornar à ilha com ela.

O filme se passa 3 anos após seu antecessor, O Mundo dos Dinossauros. Claire e Owen não estão juntos, e ela trabalha em uma organização que luta pela preservação dos dinossauros. Os animais estão novamente ameaçados de extinção, pois um vulcão da Ilha Nublar foi reclassificado como ativo, e a qualquer minuto ele pode entrar em erupção. As esperanças de Claire se renovam quando Benjamin Lockwood, antigo parceiro de John Hammond (cuja companhia criou os clones dos dinossauros), oferece a Claire a chance de resgatar os animais da Ilha Nublar. Quem organiza toda a empreitada é o braço direito do idoso, Mills, que é também responsável por gerenciar a fortuna de Lockwood. Claire, então, procura Owen para ajudá-la na missão de trazer os dinossauros em segurança, e ele aceita. Entretanto, a ganância humana e a falta de escrúpulos levam os protagonistas a uma situação extremamente perigosa.

jurassic world reino ameaçado.png

Não posso negar, existem algumas coisas que são óbvias ao espectador logo de cara. O chefe da expedição tem todo o estereótipo de vilão traidor, e o alívio cômico do filme passa 80% do longa sendo apenas isso. Como críticas negativas, ressalto ainda as repetições no roteiro. T-Rex e Blue aparecendo no último minuto pra salvar os humanos é uma fórmula que já não surpreende mais. Ainda assim, o filme é cativante e, assim como o longa anterior, tem cenas de ação que te fazem prender a respiração e agarrar a poltrona do cinema. Seja na erupção do vulcão ou nas cenas da mansão Lockwood, eu levei vários sustinhos e fiquei imóvel de expectativa, tamanha a tensão que Reino Ameaçado causa.

jurassic world reino ameaçado 2.png

Nesse longa, o objetivo dos vilões é transformar os dinossauros em armas, leiloando-os a ricaços pelo mundo inteiro (fica aqui a crítica pro estereótipo tosco de comprador russo). O animal mais precioso do “catálogo” é o Indoraptor, uma espécie de fusão entre a Indominus Rex (do filme anterior) com o velociraptor. Além da crítica à ganância humana em si, que brinca com a natureza sem pensar nas consequências, o filme também mostra os maus tratos aos animais, que ficam sofrendo agressões em jaulas minúsculas. Essa atitude causa ainda mais desconforto quando percebemos que os animais sentem dor, medo e outras emoções – como fica nítido no caso de Blue, que demonstra também sentir empatia.

jurassic world reino ameaçado 4.png

Os personagens principais seguem carismáticos, e eu gosto muito da dinâmica de gato e rato de Claire e Owen. A nova adição infantil ao elenco, Maisie, também conquista (e está envolvida em um plot twist bem mindblowing, mas que não tem impacto na trama). A menina é neta de Lockwood e tem um papel fundamental no desfecho do longa. Aliás, o final deixa uma possibilidade de continuação incrível, questionando como será possível que a humanidade conviva com os dinossauros, que agora estão em liberdade. Devo dizer, inclusive, que a condução dos fatos nesses novos filmes me lembram a nova trilogia Planeta dos Macacos: inicia com um macaco que passa por experimentos, aí no segundo filme eles ganham o mundo e, no terceiro, há uma batalha pela sobrevivência. Ficarei de olho no terceiro longa de Jurassic World pra ver se vai rolar mais alguma semelhança. 😛

jurassic world reino ameaçado 3.png

Jurassic World: Reino Ameaçado é um filme de ação com várias cenas que deixam o espectador tenso e na expectativa pelo que vai acontecer (ainda que eu não tenha achado que seja uma vibe de terror, como outras críticas na internet comentaram). É um excelente entretenimento, que diverte e empolga durante sua duração. Recomendo!

Título original: Jurassic World: Fallen Kingdom
Ano de lançamento: 2018
Direção: Juan Antonio Bayona
Elenco: Chris Pratt, Bryce Dallas Howard, Justice Smith, Daniella Pineda, Rafe Spall, Isabella Sermon, James Cromwell, Toby Jones, Jeff Goldblum

Anúncios

Review: Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros

Oi gente! Como estão?

Junho foi um mês especialmente corrido, com o fim do semestre. Felizmente, passei em todas as disciplinas e estou oficialmente de férias! \o/
Aproveitei o mês para matar a minha saudade de ir ao cinema! E no post de hoje, trago a resenha de um dos filmes que assisti (e adorei): Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros!

poster

Sinopse: O Jurassic Park, localizado na ilha Nublar, enfim está aberto ao público. Com isso, as pessoas podem conferir shows acrobáticos com dinossauros e até mesmo fazer passeios bem perto deles, já que agora estão domesticados. Entretanto, a equipe chefiada pela doutora Claire (Bryce Dallas Howard) passa a fazer experiências genéticas com estes seres, de forma a criar novas espécies. Uma delas logo adquire inteligência bem mais alta, logo se tornando uma grande ameaça para a existência humana.

Eu não fui assistir Jurassic World movida por um sentimento de nostalgia em relação a Jurassic Park. Apenas vi o trailer e achei incrivelmente empolgante, o que acabou me surpreendendo, já que eu não estava cogitando assistir no cinema. Fico feliz por ter feito isso, o filme é muito bom!

3

A história se passa 22 anos após Jurassic Park. O parque temático na Ilha Nublar está funcionando perfeitamente e é um grande sucesso. Para manter os investidores e atrair mais público, os cientistas agora não se contentam com os dinossauros “comuns” (quão irônico isso soa? :P) e passam a criar novas espécies em laboratório. O mais novo dinossauro criado por eles é uma fêmea, denominada Indominous Rex, uma espécie com genoma base de T-Rex e mais diversos outros tipos de DNA. As coisas ficam complicadas quando Claire, uma das principais cientistas do parque, e Owen, um adestrador de velociraptors, percebem que a Indominous é uma espécie inteligente e cruel que não apenas consegue escapar de seu cativeiro como também mata outros dinossauros por diversão. A situação fica ainda mais complicada para os dois porque Claire tem dois sobrinhos no parque, e devido à sua negligência em acompanhá-los no passeio, os meninos acabaram se perdendo. Claire e Owen optam por se unir para encontrá-los, auxiliar na evacuação do local e bolar a melhor estratégia para impedir a Indominous Rex.

4

Não dá para dizer que o filme não é clichê, pois ele de fato o é. Mas ele cumpre tudo a que se propõe: traz efeitos especiais incríveis, um protagonista extremamente carismático e um enredo construído de maneira a deixar o espectador tenso o tempo todo. Eu fiquei presa na poltrona do cinema, esperando ansiosa pelas próximas cenas, pelas próximas descobertas (e, é claro, pelos próximos dinossauros).

O romance entre os protagonistas, apesar de previsível, foi construído de uma maneira que me agradou bastante. É mostrado que eles já saíram juntos antes – o que embasa uma atração entre os dois – e que não havia dado certo, pois Claire é extremamente controladora e Owen é o oposto, agindo muito mais por impulso e emoção. Por isso, quando os dois ficam juntos, soa menos forçado do que se não houvesse essa “preparação” antes. Owen é um ótimo protagonista. Chris Pratt é um ator carismático e transmite o espírito livre de Owen muito bem. Claire é a personagem jovem e cheia de responsabilidades nos ombros, o que reforça sua personalidade obsessiva por controle. Os dois irmãos, Gray e Nick, sobrinhos de Claire, também têm uma dinâmica interessante, com a relação de irmão mais velho protegendo o mais novo. E, por fim, temos o núcleo de personagens que representam a ganância e só visam o lucro, sem pensar nas consequências que as experiências genéticas podem causar, representado principalmente pelo cientista Henry Wu e Vic Hoskins, líder da segurança do parque, que deseja usar os dinossauros como armas militares.

2

Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros foi um filme ótimo para ser visto no cinema em particular, já que os efeitos especiais são ótimos, mas eu realmente gostei da história e da “pegada” tensa do desenvolvimento. Durante a duração do filme eu me mantive entretida o tempo todo e gostei muito do que vi. Pra quem gosta de filmes de ação, ainda que com clichês, ou quer sentir a nostalgia dos dinossauros, eu recomendo muito! 😀

Título original: Jurassic World
Ano de lançamento: 2015
Direção: Colin Trevorrow
Elenco: Chris Pratt, Bryce Dallas Howard, Nick Robinson, Ty Simpkins, B. D. Wong, Vincent D’Onofrio, Irrfan Khan