Meus favoritos de 2015

Oi gente, tudo bem? Como foram de Réveillon? 😀

Seguindo o clima de virada de ano, no post de hoje eu resolvi fazer uma retrospectiva de tudo que me marcou em 2015, de livros até música! Teve muita coisa boa no meu ano, e espero que gostem da seleção dos meus favoritos. \o/

Melhor leitura

a queda garth nix

A Queda (Garth Nix): Na verdade, A Queda trata-se de uma releitura. Como expliquei na resenha do livro, eu li essa série há anos, quando era criança, e sempre tive comigo as memórias do quanto eu gostava da história. A releitura foi incrível e eu fiquei com mais vontade ainda de reler todos os volumes. 😀

Melhor filme

poster star wars o despertar da força

Star Wars: O Despertar da Força: O que dizer desse Episódio VII? O filme foi o mais aguardado do ano, bateu recordes como a maior bilheteria e é a continuação de uma das sagas mais icônicas do cinema. Todos esses títulos são justos, porque o filme é sensacional. ❤ Tem review aqui no blog, confiram (sem spoilers). 😉

Melhores animações

poster divertida mente e o pequeno príncipe

Divertida Mente e O Pequeno Príncipe: Libriana indecisa como sou, foi muito difícil escolher de qual animação eu gostei mais. Considerando tramas novas, eu opto por Divertida Mente, mas O Pequeno Príncipe me levou às lágrimas desde o trailer, e trouxe um filme com uma arte incrível, de encher os olhos. Contudo, devo dizer que os personagens e o enredo inovador de Divertida Mente foram os que mais me cativaram em 2015 (juro que não tentei fazer uma piadinha infame). ❤

Melhores séries

poster breaking bad e demolidor

Breaking Bad e Demolidor: Outro caso no qual fiquei absolutamente dividida. Breaking Bad definitivamente mexeu muito mais com as minhas emoções. Conforme expliquei na resenha, foi uma série à qual dei uma segunda chance, que me levou do “ódio” ao amor de forma muito intensa e que me surpreendeu (positivamente) demais. Já Demolidor foi uma série que me agradou desde o primeiro episódio em todos os aspectos (não à toa assisti 7 episódios em um dia). Por isso, as duas foram as melhores séries que assisti esse ano. 😀

Melhores shows

nightwish e tarja turunen

Nightwish e Tarja Turunen: Como comentei nesse post, o ano de 2015 foi recheado de shows incríveis. Dois deles foram da minha banda e cantora favoritos: Nightwish e Tarja Turunen. Em termos de show propriamente dito (playlist, animação do público, vibe) eu diria que Nightwish foi o mais marcante. Porém, o sentimento que a Tarja carrega ao cantar, a atenção que ela dá ao público (gente, ela desceu do palco, sabe!) e, é claro, o quanto eu gosto da sua carreira solo, fizeram com que o show dela fosse muito marcante pra mim. ❤

Melhor descoberta musical

james bay

James Bay: Gente, faz tempo que estou querendo falar desse menino pra vocês (e ainda pretendo). ❤ Conheci James Bay no rádio, ouvindo Hold Back The River. Adorei a música, achei super diferente, e fui procurar mais canções dele no Youtube. Sabem o que é gostar de TODAS? Tipo, sem exceção? Isso raramente acontece comigo! A cada música que eu ia colocando eu ia curtindo mais e mais. E desde então esse rapaz britânico se tornou um dos meus cantores favoritos. ❤

Bom, pessoal, essa foi a minha seleção de tudo que eu mais gostei em 2015. 😀
Me contem nos comentários o que foi mais marcante pra vocês ao longo do ano que passou, vou adorar conhecer as escolhas de vocês!

Beijos e até semana que vem! 😉

Review: Divertida Mente

Oi gente! Como estão?

A resenha de hoje trata-se do melhor filme de animação que vi nos últimos tempos: Divertida Mente! Eu estava ansiosa desde os trailers e, quando o filme finalmente estreou, corri pra conferir! E bah, eu amei! ❤

poster

Sinopse: Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza. A líder deles é Alegria, que se esforça bastante para fazer com que a vida de Riley seja sempre feliz. Entretanto, uma confusão na sala de controle faz com que ela e Tristeza sejam expelidas para fora do local. Agora, elas precisam percorrer as várias ilhas existentes nos pensamentos de Riley para que possam retornar à sala de controle – e, enquanto isto não acontece, a vida da garota muda radicalmente.

O filme traz Riley, uma garota apaixonada por hóquei que tem um relacionamento super bacana com os pais. Porém, os verdadeiros protagonistas são as emoções dela. No universo do filme, nossa mente é controlada pelas seguintes emoções: Alegria, Tristeza, Nojinho, Medo e Raiva. No caso de Riley, quem opera o “centro de comando” da mente da menina é a Alegria, e ela trabalha duro pra que a maioria das lembranças de Riley sejam alegres. O Medo fica responsável pelas precauções, a Nojinho cuida da aparência e das “relações públicas” de Riley e a Raiva cuida dos momentos de explosão. Quem é sempre jogada de lado, principalmente pela Alegria, é a Tristeza. Contudo, as coisas ficam complicadas quando, após a Tristeza tocar em uma memória base de Riley (memória responsável por criar “ilhas de comportamento” da menina, que são os principais guias da personalidade de Riley, como a paixão por hóquei, as amizades e a boa relação familiar), a Alegria se desespera e tenta impedir o efeito triste sobre a lembrança. Com isso, Alegria e Tristeza acabam indo parar fora da sala de controle, e a mente de Riley fica uma bagunça sob o comando dos três sentimentos remanescentes.

2

Sabe aquele filme que não só atende às suas expectativas como também as supera? Pois bem, foi assim com Divertida Mente! Fazia muito tempo que eu não sabia o que era CHORAR DE RIR até perder o fôlego com um filme! Mas chorei um pouquinho pelas cenas tristes também hahaha! O filme tem equilíbrio entre piadas que agradam às crianças e aos adultos, e também traz temas que o público mais velho provavelmente já passou na vida ou consegue compreender: mudanças, conflitos com os pais, um turbilhão de sentimentos com os quais temos dificuldades em lidar… Ou seja, é impossível não se identificar!

4

Divertida Mente também aborda de maneira super divertida diversos aspectos da nossa mente: há “funcionários” que descartam memórias inúteis e que também gostam de zuar (como quando colocam uma música de um comercial pra tocar na cabeça de Riley), há um setor responsável pelos sonhos, entre outros. Cada cena da Alegria e da Tristeza fora da sala de comando é mais divertida do que a outra, porque elas passam por várias áreas da mente de Riley e criam situações inusitadas e divertidas!

3

Todas as emoções têm seus pontos fracos e fortes, mas a que eu mais gostei foi a Tristeza! ❤ Ela é MUITO engraçada! HAHAHA! Eu não vou contar falas ou cenas específicas pra não estragar a experiência de quem pretende assistir, mas eu dei muitas risadas por causa dela! Já a Alegria é bastante irritante. Ela não só impede a Tristeza de participar de todas as decisões sobre a Riley como impõe que sentir-se alegre é tudo de que a Riley precisa. E isso é muito chato! Porém, aos poucos, convivendo com a Tristeza e percebendo que ela não consegue resolver todos os problemas das pessoas apenas com alegria, ela percebe que um equilíbrio não é apenas saudável, como fundamental. É aquele clichê super verdadeiro: não existe alegria sem tristeza. Os seres humanos são muito complexos pra serem guiados por apenas um sentimento, e a vida não é feita apenas de coisas boas. E não tem problema nenhum! Um dos maiores aspectos de amadurecimento é justamente passar pelos momentos ruins, permitir-se ficar triste e, depois, se reerguer! 😀 E o filme passa essa lição de uma forma incrível. ❤

1

Sério, não sei mais o que dizer que possa expressar o quanto eu gostei desse filme! Disney e Pixar estão de parabéns mais uma vez! :’) O filme é criativo (foi comparado inclusive a Toy Story e Monstros SA), divertido e traz uma abordagem inusitada, já que trata dos sentimentos dos próprios sentimentos! Recomendo muuuito Divertida Mente a todos!

Título original: Inside Out
Ano de lançamento: 2015
Direção: Pete Docter
Elenco original: Amy Poehler, Mindy Kaling, Lewis Black, Phyllis Smith, Bill Hader, Kaitlyn Dias
Elenco no Brasil: Miá Mello, Dani Calabresa, Léo Jaime, Katiuscia Canoro, Otaviano Costa, Isabella Guarnieri