Dica de Série: Cobra Kai

Oi galera, tudo bem?

A indicação de hoje é perfeita pra quem está buscando entretenimento puro de qualidade: Cobra Kai!

poster cobra kai

Sinopse: Décadas depois da competição que mudou suas vidas, a rivalidade entre Johnny e Daniel está de volta nesta sequência da trilogia Karatê Kid.

Antes de começar a falar sobre a série em si, é importante dizer que eu nunca assisti a Karatê Kid inteiro (e muito menos seus sucessores). Eu sempre acabava pegando o filme já rolando na TV mas, por ser uma história clássica, sei o que acontece de tanto ver referências na internet. Por que essa introdução é importante? Porque mesmo sem ser um fã dos filmes originais, eu me apaixoneeei e me diverti demais com Cobra Kai.

A trama acontece, obviamente, muitos anos depois daquele embate que culminou na vitória de Daniel-san. Enquanto este se tornou um bem-sucedido dono de uma franquia de automóveis de luxo, Johnny viu sua vida afundando cada vez mais: ele trabalha como faz-tudo, mora em uma kitnet, não se dá bem com o filho e vive de cerveja barata. Certo dia, ele vê uma briga de adolescentes envolvendo seu vizinho, Miguel e, quando a briga o atinge pessoalmente (ou melhor, ao seu carro), Johnny intervém e bate em todo o grupo que agredia o jovem. Isso é o bastante para que Miguel implore que Johnny seja seu sensei, o que o impulsiona a reabrir o Cobra Kai. Ao ficar sabendo do retorno do dojo que tanto lhe causou sofrimento, Daniel se coloca como um antagonista aos objetivos de Johnny.

cobra kai 2

Tem uma coisa muito engraçada que me fez querer conferir Cobra Kai: sou fã de How I Met Your Mother e, nela, o personagem Barney alega que o verdadeiro vilão de Karatê Kid é o Daniel, e não o Johnny. O William Zabka inclusive fez participações especiais na série e são bem engraçadas. Mas o propósito de Cobra Kai é muito claro: mostrar que para toda história existem dois lados e, como diz um amigo meu, “ninguém é o vilão da própria história”. A série nos permite entender o background de Johnny e simpatizar com o personagem, que na série esbanja carisma – ainda que tenha inúmeros defeitos, especialmente por ser antiquado e meio machista. Por outro lado, a postura moralista e cheia de boas intenções de Daniel pode ser lida como preconceito e presunção, especialmente porque ele não dá margem ao diálogo. Ou seja, a vida real não é preto no branco e todos estamos suscetíveis a errar.

cobra kai

É legal perceber a inversão de papéis que acontece em Cobra Kai. Se no filme oitentista o dojo de Johnny era símbolo de bullying e agressão, agora ele é o local que jovens que sofrem disso procuram para se defender e se empoderar. Ainda assim, a série não é irresponsável de fazer com que os ensinamentos do Cobra Kai sejam vistos com romantização: há um personagem em especial que é diretamente influenciado pelo lema do dojo (ataque primeiro, ataque com força e não tenha misericórdia) e se torna um agressor. Ainda assim, ele é uma exceção à regra e, com o passar dos episódios, o próprio Johnny vai aprendendo com seus erros e entendendo que o seu passado não foi pautado em honra, mas que seu futuro vai ser. E ao buscar ensinar a diferença entre não ter misericórdia e não ter honra, percebemos a grande evolução do personagem.

cobra kai 3

A rivalidade está presente não apenas entre Johnny e Daniel: seus pupilos também herdam esse comportamento. A segunda temporada trata disso com mais peso, especialmente porque os envolvidos em ambos os dojos têm ligações pessoais bastante fortes, de modo que as emoções ficam à flor da pele. E conforme os treinamentos dos dois senseis progride, as consequências dessa rivalidade vão ficando cada vez mais sérias – até um final CHOCANTE que faz o espectador implorar pela terceira temporada.

cobra kai 4

Além de entreter com um ritmo envolvente e uma narrativa cheia de ação, Cobra Kai conta com ótimos personagens. Além dos já citados Johnny e Daniel, o núcleo de adolescentes também é muito bom. Miguel é o meu queridinho, o típico good guy que tenta sempre fazer o que é certo. Ainda que ele cometa erros, o que é esperado de qualquer jovem de 16 anos, ele busca se redimir e evoluir. O mesmo acontece com o filho de Johnny, Robby, que encontra no karatê um modo de fugir da negligência da mãe e do abandono do pai. A única personagem que não me desce é a Samantha, filha de Daniel: ela tem uma postura de boa moça e se coloca num pedestal, mas quando sua antiga amiga sofreu bullying nas mãos do seu novo e popular grupo, ela não fez nada para impedir. Por fim, fica um elogio a Amanda, esposa do Daniel, também conhecida como pessoa mais sensata da série. 😂

Com episódios curtos, ritmo envolvente e muito carisma, Cobra Kai foi uma série que me divertiu do início ao fim. É aquele entretenimento puro, que faz você mergulhar de cabeça, te distrai e te faz vibrar e sofrer com os personagens. Tudo isso com uma trilha sonora cheia de clássicos dos anos 80 e uma ótima temática – afinal, como não se empolgar com uma luta de karatê? 😉 Vale conferir!

Título original: Cobra Kai
Ano de lançamento: 2018
Criador: Josh Heald, Jon Hurwitz, Hayden Schlossberg
Elenco: Ralph Macchio, William Zabka, Xolo Maridueña, Tanner Buchanan, Mary Mouser, Courtney Henggeler