#Lista 4: Melhores leituras de 2018

Oi, galera! Como estão?

Dezembro chegou e aquele clima de retrospectiva já tomou conta de mim.
Nesse post vou contar pra vocês quais foram minhas leituras favoritas em 2018. A ordem da lista é cronológica, não necessariamente por preferência.

Bora lá! 🙌

P.S.: Ainda Amo Você – Jenny Han

capa ps ainda amo voceResenha | Compre aqui

Esse foi meu livro favorito da trilogia Para Todos Os Garotos Que Já Amei. Lara Jean está mais interessante, há uma discussão importante sobre slutshaming e tem também o fofo do John Ambrose McClaren! ❤

Escândalos na Primavera – Lisa Kleypas

escandalos na primavera lisa kleypasResenha | Compre aqui

Meu queridinho da série As Quatro Estações do Amor. Daisy foi a melhor protagonista, e Matthew é um homem dos sonhos! O romance deles não tem drama desnecessário e eles se amam e se respeitam demais. Nenês! ❤

O Segredo do Meu Marido – Liane Moriarty

capa o segredo do meu maridoResenha | Compre aqui

Meu primeiro contato com a escrita da Liane Moriarty foi muito positivo. A autora faz um excelente trabalho ao destrinchar as relações familiares e os segredos ocultos que muitos de nós fazem de tudo para esconder. Foi no epílogo que meu queixo caiu e eu fiquei completamente arrebatada pela história.

Boneco de Neve – Jo Nesbø

boneco de neve jo nesboResenha | Compre aqui

Como uma grande fã de romances policiais, adorei a experiência com Boneco de Neve. Os crimes brutais, o mistério por trás da identidade do assassino e as cenas de ação eletrizantes fizeram desse livro uma ótima experiência.

Clube da Luta Feminista – Jessica Bennett

clube da luta feministaResenha | Compre aqui

Esse é um daqueles livros que todo mundo precisa ler. A jornalista Jessica Bennett utiliza de sua experiência pessoal e também dados estatísticos para falar sobre o machismo sutil no ambiente corporativo, dando dicas para combatê-lo e incentivando o empoderamento feminino.

O Poderoso Chefão – Mario Puzo

o poderoso chefão mario puzoResenha | Compre aqui

Trazendo as tensões das diversas Famílias da máfia italiana como fio condutor, O Poderoso Chefão acompanha as relações da Família Corleone, uma das mais importantes de Nova York, e desenvolve seus personagens ambíguos com maestria.

Warcross – Marie Lu

warcross marie luResenha | Compre aqui

Ambientado em um futuro no qual a tecnologia teve grande avanço e um gadget permite a interação entre real e virtual, Warcross é uma ficção científica cheia de ação e ótimos personagens. O final do livro é surpreendente e faz o leitor implorar pela continuação!

A Mulher na Cabine 10 – Ruth Ware

a mulher na cabine 10 ruth wareResenha | Compre aqui

Claustrofóbico e envolvente, esse livro é um ótimo thriller psicológico ambientado em um cruzeiro de luxo. A protagonista, Lo, sofre de TEPT e tem certeza de que ouviu um assassinato na cabine ao lado da sua; o problema é que ninguém acredita nela.

O Conto da Aia – Margaret Atwood

o conto da aia margaret atwoodResenha | Compre aqui

Esse livro é uma obra-prima, e eu não estou exagerando. Ele narra um futuro distópico no qual as mulheres perderam seus direitos civis e viraram propriedade de um governo autocrático e religioso, sendo separadas em “castas” de acordo com sua função. É visceral e perturbador.

Espero que tenham gostado da lista, pessoal. 😀
Já leram ou pretendem ler alguma dessas obras? Me contem nos comentários!

Beijos e até o próximo post!

Anúncios

Resenha: Boneco de Neve – Jo Nesbø

Oi gente, tudo certo?

Cá estou para resenhar mais um thriller policial – já deu pra sacar que sou apaixonada por esse gênero, né? Estou falando sobre Boneco de Neve, do sueco Jo Nesbø. 

boneco de neve jo nesboGaranta o seu!

Sinopse: No dia da primeira neve do ano, na fria cidade de Oslo, o inspetor Harry Hole se depara com um psicopata cruel, que cria suas próprias regras. O terror se espalha pela cidade, pois um boneco de neve no jardim pode ser um aviso de que haverá uma próxima vítima. No caso mais desafiador da sua carreira, Hole se envolve em uma trama complexa e mortal, com final surpreendente.

Boneco de Neve foi minha primeira experiência com Jo Nesbø. Apesar de ser o sétimo livro da série de Harry Hole (nome do investigador protagonista), devo dizer que não me senti perdida ou prejudicada durante a leitura – ainda que, provavelmente, existam detalhes que talvez eu não tenha captado tão bem em função de ser uma série em andamento. Nesse volume, acompanhamos Harry Hole investigando um serial killer cruel, cujas vítimas são mulheres – mães e esposas aparentemente sem conexão. Quando a primeira neve cai em Oslo (cidade na qual a trama acontece), uma morte a acompanha, causada pelo assassino conhecido como Boneco de Neve. Durante sua investigação, Harry ainda precisa lidar com sua nova e eficiente colega de trabalho, Katrine Bratt, e com os sentimentos mal resolvidos que tem pela ex-namorada, Rakel.

Harry Hole foi um personagem que me lembrou muito Cormoran Strike, de Robert Galbraith: um investigador na faixa dos 30-40 anos cheio de amarguras do passado, com cara de poucos amigos, mas muito bom no que faz. Talvez seja um estereótipo do gênero mas, ainda assim, Harry me agradou. O personagem é sagaz e tem certa fama por ter desvendado um caso envolvendo um serial killer no passado. Apesar disso, ele sabe ouvir seus colegas e dá ouvidos às suas ideias e teorias. A dinâmica com Katrine é ótima, e ela é uma policial determinada e competente – ainda que repleta de segredos. Outra semelhança de Harry com Cormoran são os sentimentos conflitantes e ainda presentes pela ex. Harry tem uma ligação muito próxima com o filho de Rakel, Oleg e, por conta disso, acaba sendo próximo dela também. Rakel agora tem um relacionamento com um médico prestativo e gentil, Mathias, que acaba sendo uma peça-chave durante a investigação. Mas ok, prometo que parei por aqui com as comparações. 😛

resenha boneco de neve jo nesbo.png

O desenrolar da investigação é o ponto forte do livro. Jo Nesbø constrói uma história envolvente e impossível de largar. As cenas nas quais as mortes ocorrem causam aflição e medo, devido a crueldade dos atos do assassino. Assim como Harry Hole, nos sentimos perdidos e sem nenhuma pista de quem pode estar por trás dos crimes. Entretanto, uma crítica negativa em relação ao caso é que, pra mim, ficou bastante óbvio o motivo pelo qual o criminoso escolhia suas vítimas e fazia o que fazia. Por outro lado, demorei muito a desconfiar do culpado, o que ocorreu em um momento muito próximo da revelação. Esse é um aspecto que eu apreciei bastante, pois estava sentindo falta de ser surpreendida em um thriller.

Um aspecto curioso que vale mencionar foi o estranhamento com o local no qual a trama se desenrola: foi a primeira vez que li um livro ambientado na Noruega e, por isso, foi um tanto difícil decorar alguns nomes. Confesso pra vocês que diversas palavras eu lia “de qualquer jeito” e, provavelmente, de modo incorreto. 😂 Mas, sinceramente, eram tantas consoantes que nem eu mesma me julgo por isso HAHAHA!

Boneco de Neve foi uma ótima experiência para conhecer a escrita tão elogiada de Jo Nesbø. Com sua trama envolvente, o leitor nem sente que já se passaram 420 páginas. Contudo, preciso ser sincera e admitir que não pretendo seguir lendo os outros livros da série Harry Hole porque, simplesmente, muitos deles não me chamaram a atenção. Mas Boneco de Neve está mais do que recomendado a todos que apreciam um bom romance policial. 😉

Título Original: Snømannen
Série: Harry Hole
Autor: Jo Nesbø
Editora: Record
Número de páginas: 420
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤