Sobre medo, escolhas e mudanças.

Eu tenho medo de mudanças.
Uso franja desde os 12 anos e por muito tempo não deixei nenhum cabeleireiro cortar o meu cabelo.
Desde que comprei meu primeiro All Star nunca mais consegui usar outro tênis.
Fiz uma faculdade que eu não gostava por três anos.
Eu tenho hábitos consolidados e aspectos bem marcantes da minha personalidade.

Mas eu não sou acomodada. Estagnação me desagrada. Reclamar e não sair do lugar me faz perder a paciência. E, analisando tudo isso, eu percebi que eu também precisava de mudanças. Que muitas vezes, por medo, eu parei. Que eu também reclamava sem fazer nada a respeito.

De uns tempos pra cá, eu tenho tentado mudar em muitos aspectos. Um deles é acreditar em mim mesma e fazer as coisas darem certo. A minha versão adolescente que só sabia reclamar sobre o quanto a vida estava difícil foi (e está) dando lugar a alguém que resolveu fazer cursinho pré-vestibular junto com a faculdade e que conseguiu passar muito bem colocada pro curso que queria; a alguém que foi no cabeleireiro e cortou um cabelo que estava lá pelo fim da cintura na altura do sutiã; a alguém que trocou de emprego/estágio, porque sabia que uma oportunidade melhor e mais desafiadora a esperava.

Nenhuma decisão foi fácil. Tive medo em todas elas. Ponderei muitas coisas antes de dar a palavra final.
Mas ninguém muda completamente, e não tem problema nenhum em sentir medo! É normal. Então, sim, eu ainda tenho medo de mudanças. Mas acho que aprendi que elas podem ser muito boas.

Mudar e amadurecer é importante, desde que não altere a nossa essência. É fácil se acomodar, mas parafraseando Dumbledore: às vezes precisamos decidir entre o que é certo e o que é fácil. Eu sei que estou no caminho certo. 🙂 Então, se você acredita de verdade em alguma coisa: não tenha medo! E, se você tiver, junte a sua coragem para vencê-lo. Acredite que você pode realizar as coisas que você deseja. Vá em frente. Eu prometo, vai valer a pena.