Review: Morte no Nilo

Oi gente, tudo bem?

Quando Assassinato no Expresso do Oriente estreou, eu simplesmente me apaixonei, e toda vez que o filme está passando eu paro pra assistir. Por isso, a expectativa pra conferir Morte no Nilo também era alta e, como não pude vê-lo no cinema, vibrei quando chegou no Star+. Hoje vim dividir com vocês se a nova adaptação desse livro famoso da Agatha Christie me encantou tanto quanto seu predecessor. Bora?

Sinopse: As férias do detetive belga Hercule Poirot à bordo de um glamouroso cruzeiro no Egito se transforma em uma caçada a um assassino quando a lua de mel de um famoso casal é interrompida.

Morte no Nilo já começa com uma sequência que fez meu estômago virar: Jacqueline de Bellefort e Linnet Ridgeway são duas amigas, sendo a primeira uma moça de origem humilde e a segunda uma herdeira riquíssima. Jacqueline está nas nuvens porque finalmente vai se casar com Simon Doyle, por quem é perdidamente apaixonada, e deseja apresentá-lo à amiga. Ela pede então que seu noivo dance com Linnet pra que eles possam se conhecer melhor e, para a surpresa dela (e do espectador), o que vemos é uma cena cheia de tensão sexual que revela uma posterior “furada de olho” detestável. Sim, Linnet e Simon se apaixonam e se casam, deixando uma amargurada Jacqueline para trás. E é na lua de mel que os principais acontecimentos de Morte no Nilo acontecem, com um assassinato que vai colocar os vários envolvidos no cruzeiro de férias do casal em posições suspeitas. Mas para a sorte (ou não) dos personagens, um dos convidados de honra do casal é o detetive brilhante Hercule Poirot, que desejava uma viagem de férias mas ganhou mais um caso pra resolver.

Bom gente, o que posso dizer… Se envolveu uma amizade traindo a outra pelo bofe/pela mina, já começou mal. Por isso, Morte no Nilo não conquistou minha simpatia e eu não me comovi nem um pouco com a ansiedade dos recém-casados, cujos temores de algum atentado por parte de Jacqueline se mostraram coerentes. Além disso, a lista de convidados para o cruzeiro de lua de mel dos dois era uma verdadeira salada mista que incluía um ex de Linnet, um grande amigo de Poirot (Bouc), a nova namorada de Bouc, a acompanhante de Linnet, entre outros personagens aleatórios cuja falta de carisma me fez até esquecer seus nomes e papéis na trama.

Diferente do que acontece em Assassinato do Expresso do Oriente, que oferece um ambiente verdadeiramente claustrofóbico, não senti essa mesma aflição em Morte no Nilo. Os personagens ficam, sim, isolados no cruzeiro, mas param em alguns pontos turísticos egípcios que fazem com que a ambientação não cause tanta angústia. Quando o assassinato acontece, não é como se o longa realmente conseguisse colocar todos os personagens num ponto-chave que os transforme em verdadeiros suspeitos, o que inclusive tornou o final previsível.

Falando nas atuações, achei todas medianas, sem grandes destaques – com uma exceção negativa e uma positiva. Curti muito a Jacqueline de Emma Mackey (de Sex Education), cuja performance deu vida a uma personagem cheia de mágoa, ressentimento e ódio pela ex-amiga, assim como pelo desejo de ter seu ex-noivo de volta. Em contrapartida, Gal Gadot nos oferece uma personagem linear e sem graça, não trazendo 1% do magnetismo de Mulher-Maravilha, por exemplo.

Infelizmente, Morte no Nilo foi um filme esquecível pra mim, que não atendeu às expectativas que eu tinha de me divertir e – quem sabe – até me emocionar, como aconteceu no desfecho de Assassinato no Expresso do Oriente. Hercule Poirot segue como um personagem carismático, mas aqui acabou sendo mais um coadjuvante do que protagonista. Ainda que o longa tenha tentado aprofundar seu passado e dar mais camadas ao personagem, esses pequenos lampejos de “interessância” (com o perdão da expressão errada haha) foram ofuscados por uma trama bem sem sal. Olhando pelo lado positivo, fiquei feliz por não ter pagado caro nos ingressos de cinema. 🤷‍♀️

P.S.: e que elenco cheio de gente Chernobyl e/ou cancelada, hein? Se procurarem pela Gal, pela Letitia Wright e pelo Armie Hammer no Google vocês vão sacar do que tô falando. 👀

Título original: Death on the Nile
Ano de lançamento: 2022
Direção: Kenneth Branagh
Elenco: Kenneth Branagh, Gal Gadot, Armie Hammer, Tom Bateman, Emma Mackey, Letitia Wright, Russell Brand, Rose Leslie

4 comentários sobre “Review: Morte no Nilo

  1. Olá, Priih.
    Diferente de você, odiei Assassinato no Expresso do Oriente. O Poirot do Kenneth não poderia ser mais diferente do original. Por isso nem quis assistir esse. E lendo agora seus comentários vejo que acertei em não assistir hehe.

    Prefácio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s