Resenha: Pelo Amor de Cassandra – Lisa Kleypas

Oi pessoal, tudo bem?

A série Os Ravenels se aproxima da reta final, e hoje vim contar pra vocês como foi minha experiência com Pelo Amor de Cassandra, a última Ravenel a protagonizar a série (pois o próximo livro não tem a ver com a família o que é bizarro).

Garanta o seu!

Sinopse: Tom Severin, o magnata das ferrovias, tem dinheiro e poder suficientes para realizar todos os seus desejos. Por isso, quando resolve que está na hora de se casar, acha que deve ser fácil encontrar a esposa perfeita. Assim que ele pousa os olhos em lady Cassandra Ravenel pela primeira vez, decide que ela é essa mulher. O problema é que a bela e perspicaz Cassandra é tão determinada quanto ele, e faz questão de se casar por amor – a única coisa que Tom não pode oferecer. Além disso, ela não tem o menor interesse em viver no mundo frenético de alguém que só joga para vencer. No entanto, mesmo com o coração de gelo, ele é o homem mais charmoso que Cassandra já conheceu. E quando um inimigo recém-descoberto quase destrói a reputação dela, Tom aproveita a oportunidade que estava esperando para conquistá-la. Ao contrário do que pensa, porém, ele ainda não conseguiu o que queria. Porque a busca pela mão de Cassandra pode até ter chegado ao fim, mas a batalha por seu coração está apenas começando.

Diferente da irmã gêmea, Pandora, Cassandra sempre quis se casar por amor e construir uma família. Por isso, quando Tom Severin, amigo de longa data de seus primos Devon e West, a pede em casamento, ela recusa: o homem se encanta por ela à primeira vista e deseja oferecer uma vida de rainha a Cassandra, mas é muito claro sobre não ser capaz de oferecer amor. Apesar de serem totalmente diferentes nesse sentido, os dois têm uma afinidade instantânea, a conversa flui fácil e a atração mútua é óbvia. Ainda assim, Cassandra está determinada a não deixar seu coração ser partido, e segue recusando as propostas de Tom. Quando um escândalo recai sobre a família, Tom vê a oportunidade de conseguir o que tanto quer: a mão de Cassandra.

Começo essa resenha dizendo o quanto amei ler a perspectiva de Tom Severin nesse volume! Até então, o personagem era apresentado como alguém genial para os negócios, mas muito frio – inclusive tentando passar os próprios amigos pra trás em uma negociação lá em Um Sedutor Sem Coração. Porém, aqui vemos Tom se abrindo para os aspectos emocionais que qualquer relação (inclusive de amizade) envolve. Ele é um homem pragmático e lógico, tendo uma facilidade enorme de deixar o coração de lado, mas ao perceber que magoou seus amigos, ele entende que cometeu um erro. E por que estou dizendo isso? Porque é mais um elemento que ajuda a construir a mudança do personagem, que é fundamental para prepará-lo para o romance com Cassandra.

É nítido que Tom fica obcecado pela jovem e sua beleza de imediato. Mas logo ele também se encanta com sua personalidade, sua doçura e seu senso de humor. Ele faz Cassandra se sentir querida e apreciada, e pra ele isso é o bastante em um casamento – mas pra ela não. A jovem também fica fascinada pela inteligência de Tom, bem como pelos seus olhos de tons diferentes de verde com pontinhos azulados. Ela o admira, o deseja e contribui para que Tom se abra para o afeto. Um exemplo disso é o fato dela ser tão incisiva sobre Tom cuidar de Bazzle, um menino que trabalhava nas ruas e que ele contratou para varrer sua empresa; Tom também teve um começo de vida sofrido (e justamente por isso é tão fechado e rigoroso com suas emoções), e Cassandra mostra a ele como existem traços em comum com esse jovem menino que rapidamente conquista o coração de ambos.

Porém, nem tudo são flores nesse volume. Depois que o casal principal finalmente fica junto, a obra perde o fôlego. São poucas as cenas hot pra dar uma movimentada nas coisas, e também temos uma espécie de marasmo na trama que faz com que seja necessário dar às últimas páginas uma empurrada com a barriga. Fiquei muito mais entretida com as histórias individuais dos dois e aquele clima de tensão sexual do que encantada pelos dois como um casal formado. Além disso, os antagonistas são fraquíssimos e não são suficientes pra dar o senso de urgência que Lisa Kleypas provavelmente esperava. Em contrapartida, fica o elogio para a condução da união dos dois: Tom e Cassandra decidem negociar juntos os acordos do casamento em um formato de contrato (mais Tom, impossível), e essas passagens são divertidas e fofas ao mesmo tempo. É nítido o esforço de Tom para ser flexível, ao passo que Cassandra busca aplicar e compreender a lógica analítica dele. Essa negociação é uma das minhas partes favoritas dos dois como casal e é lindo de ver como eles vão aprendendo a ceder e encontrar um meio-termo. 

Pelo Amor de Cassandra não é meu favorito da série Os Ravenels, mas é um bom livro. Temos um casal formado por dois personagens muito bacanas, especialmente o protagonista masculino, mas infelizmente eles ficam um pouco sem sal depois que finalmente se unem. Apesar de tudo, fiquei muito feliz de ver o desenvolvimento pessoal de Tom Severin e ele se tornou meu terceiro mocinho favorito da série (sendo Devon e West os primeiros, é claro). Tirando as pequenas ressalvas, é uma bela história de amor e recomendo pra quem gosta do gênero. 😀

Título original: Chasing Cassandra
Série: Os Ravenels
Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 272
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤

13 comentários sobre “Resenha: Pelo Amor de Cassandra – Lisa Kleypas

  1. Eu amo romance de época, mas confesso que li alguns livros da Lisa e não gostei muito dos personagens masculinos de alguns deles. Preciso dar outra oportunidade para ela. Pelo que vi, vc gostou bastante dos protagonistas masculinos dessa série. Acho que vou tentar e ver o que acho. Ainda não li nenhum dos ravanels. Mas gostei do que vc falou sobre mostrar evolução do personagem.

    Só fiquei encucada com uma coisa, o próximo livro não é protagonizado por ninguém da família? nenhuma mínima ligação? :OOOO

    beijos

    • Menina, então!
      A única ligação com os Ravenels é porque o foco é num filho bastardo do Sebastian (se não me engano), que é um dos mocinhos da série As Quatro Estações do Amor e pai de duas pessoas que se casam com dois Ravenels. 🤡

  2. Oi Priih! Essa temática de casamento é um dos motivos pelo qual o gênero não me atrai… Tem histórias que parecem tão bacanas, mas o viés do casamento/romance sempre me desanima um pouco. :/

    E tenho que concordar com a Emi, fiquei SUPER curiosa para saber sobre o que é o último livro da série (como assim não tem a ver com a família?). Hahaha!

    • Eu fiquei chocada quando descobri que não é protagonizado por nenhum Ravenel também. A única ligação é porque o foco é num filho bastardo do Sebastian (se não me engano), que é um dos mocinhos da série As Quatro Estações do Amor e pai de duas pessoas que se casam com dois Ravenels. 🤡 Deveria inclusive ser um spin-off dessa outra série, na minha opinião rs.

  3. Oi, Priih.
    Eu gostei muito desse livro, também não é meu favorito, mas achei a história super gostosa. Eu amo o West mas ele duelou meu coração juntamente com o Tom. Achei o tom da história deles bem parecido, e por isso gostei muito do personagem.
    Ainda falta ler o último mas estou enrolando kkk
    Beijo!
    https://capitulotreze.com.br/

  4. Oi Priih,
    Confesso que me identifiquei com o Tom, eu tenho grande facilidade em agir muito mais pela razão do que pelo coração, mas entendo que em algumas situações preciso ser mais flexível. Acho legal quando o personagem evolui de forma verossímil durante o livro. Uma pena que a história fica linear e faltam mais plots pra dar uma animada na leitura.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

  5. Olá, Priih.
    Eu já amei tudo nesse livro e ele foi meu favorito. E até então o posto do mocinho era do West, mas me apaixonei perdidamente pelo Tom hehe. É uma pena que a autora inventou um outro livro da série que não tem nada a ver, podia ter terminado nesse mesmo.

    Prefácio

  6. Olá,
    Eu não acredito que a autora criou um bait na própria série mds hahaha
    Sobre esse volume, gostei que as gêmeas tem pensamentos diferentes sobre a tal união, espero curtir conhecê-las.
    Uma pena que em vários romances o casal perca um pouco do tom/sal quando as coisas se resolvem, parece que parte da personalidade desaparece.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s