Resenha: Evidências de uma Traição – Taylor Jenkins Reid

Oi pessoal, tudo bem?

Adoro romances epistolares e sigo entusiasmada para conhecer novas obras de Taylor Jenkins Reid. Por isso, não perdi a chance de conferir Evidências de uma Traição quando foi liberado ao Time de Leitores da Companhia das Letras. Bora de resenha? 🙌

Garanta o seu!

Sinopse: Uma jovem desesperada no sul da Califórnia se senta para escrever uma carta para um homem que ela nunca conheceu – uma escolha que mudará sua vida para sempre. Pouco a pouco, a correspondência entre Carrie Allsop e David Mayer revela os detalhes de um caso devastador entre seus cônjuges. Ao longo das cartas, eles confessam seus medos e compartilham sentimentos escondidos no fundo de suas almas, tentando decidir como seguir em frente. Contada inteiramente por meio de cartas, Evidências de uma traição é uma história de decepções, mágoas e segredos, mas também de perdão e recomeços, e de como, no caso de algumas pessoas, a dor pode libertar.

Carrie Allsop e David Mayer se conhecem da pior forma possível: descobrindo que seus cônjuges estão tendo um caso. Carrie descobre a traição primeiro ao encontrar cartas de uma mulher (Janet) nas coisas do marido, e envia sua própria carta a David na busca de mais informações a respeito, pedindo que ele lhe envie cartas de seu marido (Ken) que possam estar com a amante. David, de início, fica estupefato e se recusa a acreditar no que está acontecendo, até ele próprio descobrir as cartas que sua esposa guarda. No meio de tanta mágoa e ressentimento, Carrie e David guardam esse segredo até decidirem o que fazer.

Os capítulos são intercalados entre as cartas de Carrie e de David, com algumas semanas de diferença, já que não moram na mesma cidade. Eles desabafam sobre vários aspectos de seus casamentos: Carrie conta como o marido tem deixado-a de lado, enquanto David revela que as condições financeiras da família têm sido fontes de stress entre ele e a esposa, por exemplo. Aos poucos, as cartas vão ganhando cada vez mais nuances pessoais, e os dois protagonistas vão se desnudando um pro outro por meio das palavras. A confiança cresce por compartilharem uma dor em comum, mas aos poucos percebemos que eles têm bastante afinidade, e o teor mais “polido” das cartas vai dando lugar a um tom afetuoso. Quando os dois decidem se encontrar pessoalmente, o livro causa no leitor uma grande curiosidade pra saber como foi esse momento, mas infelizmente não temos essa visualização: o romance epistolar, justamente por ter esse formato, nos faz aguardar o relato parcial de como foi o café que Carrie e David tomaram juntos.

Consigo entender a reticência dos protagonistas em confrontarem seus parceiros, pois ambos acreditam que ainda existe amor em seus relacionamentos. Abrir mão dessa crença pode ser muito difícil, mas conforme eles encontram mais cartas trocadas entre os amantes, pior esse dilema se torna. Senti muita pena de Carrie, especialmente, porque seu marido é um embuste de marca maior. Ela se sente culpada por não conseguir gerar um filho, e a pressão dessa situação sempre recaiu sobre ela. Em nenhum momento seu médico e seu marido (também médico) pensaram em examinar a taxa de espermatozóides de Ken, por exemplo, pra descartar alguma dificuldade na concepção. Carrie abriu mão de seus estudos e de seu futuro pra ser uma dona de casa e mulher exemplar, para atender às expectativas do marido, mas sua vida se transformou em solidão. David, por outro lado, se ressente da quantidade de filhos que teve, ainda que os ame de todo coração. Uma das gravidezes foi acidental e gerou gêmeos, o que comprometeu o orçamento familiar e levou a uma ruptura na parceria entre ele e a esposa. Os dois acabam fingindo que esse tema não existe, mas o elefante na sala está sempre lá.

Eu achei que os dois personagens criados por Taylor Jenkins Reid são muito humanos, e suas motivações, compreensíveis. Gostei do desenrolar dos fatos e de como Carrie e David vão entendendo mais sobre os próprios sentimentos. Um influencia o outro de forma positiva, e é inevitável que o leitor passe a shippá-los. Porém, a autora nem sempre opta pelos caminhos óbvios, e as questões que envolvem o coração e a família são mais complexas do que parecem. O final traz uma reviravolta bacana e que dá um gostinho de justiça, além de colocar os personagens em posições nas quais eles gostariam de estar – a gente concordando ou não com eles.

Resumindo, Evidências de uma Traição é um bom livro sobre os dilemas envolvendo o casamento, a confiança e o amor próprio. Taylor Jenkins Reid é excelente em criar personagens verossímeis, cujos sentimentos nós também poderíamos viver em algum momento. Ademais, o livro tem um ritmo veloz devido ao formato de cartas, fazendo com que seja muito rápido terminá-lo e descobrir as decisões de Carrie e David. Apesar de não ter sido a experiência literária mais marcante da minha vida, é um livro bacana que eu recomendo. 😉

P.S.: aqui temos referências à Daisy Jones, pra quem já leu, e também ao insuportável e odioso Mick Riva (que eu detonei na resenha de Malibu Renasce). Será que já dá pra chamar de Jenkinsverso? 😂

Título original: Evidence of the Affair
Autora:
Taylor Jenkins Reid
Editora: Paralela
Número de páginas: 101
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤

Livro cedido em parceria com a editora.
Esse não é um publipost, e a resenha reflete minha opinião sincera sobre a obra.

9 comentários sobre “Resenha: Evidências de uma Traição – Taylor Jenkins Reid

  1. Oi Priih! Ainda não li este da autora, mas estou curiosa cobre a história. Realmente ela consegue criar personagens muito reais. Nem fala de Mick Riva, acho ele o maior cretino de todos os tempos. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

  2. Olá, Priih.
    Eu só li o livro da Evelyn Hugo da autora e senti bem isso que você falou dos personagens serem humanos. Tanto que eu queria pesquisar no google porque parecia real hehe. Esse eu não me interessei em ler por conta de gorar em torno da traição e eu não gostar de ler sobre esse assunto.

    Prefácio

  3. opa será que o jenkinsverso? Gostei do nome hahaha
    Eu ainda não li os livros da autora. Eu lembro que eu terminei sua resenha sobre malibu renasce com muito ódio no coração do mick hahahahaha não nego nada.
    Quando vi o título desse, pensei “eita mais traição”, mas me surpreendeu o que li na resenha. A comunicação entre as duas pessoas traídas e essa ajuda que um foi para o outro. Gostei bastante disso e acredito que gostaria desse livro. Se eu tiver a oportunidade, lerei.

    beijos

  4. Olá,
    Eu li essa noveleta pelo Unlimited, antes deles lançarem, e amo que ela tem essa construção maravilhosa em todos os livros. É narrativa de fofoca pura e a gente entra na onda, pq né hahaha
    O único que não me atiçou pra procurar real foi Evelyn Hugo – mas pq sou leitora assídua de sites de blind item fofoqueiros, então pesquei algumas coisas. =x
    Mick Riva está em Evelyn Hugo tb, a própria praga do jenkinsverso

    até mais,
    Canto Cultzíneo

  5. Oi Priih, sua linda, tudo bem?
    Nossa! Eu sou apaixonada por cartas, mas sempre pensei nelas sobre o lado romântico, ou de amizade, ou familiar. Deve ser devastador encontrar a troca dessas correspondência entre amantes, principalmente quando um deles é o seu parceiro, o amor da sua vida. Pelo o que vocês descreveu, acho que essa história tem tudo para me afetar, os personagens parecem bem humanos mesmo e seus dilemas também. Adorei sua resenha!
    beijinhos.
    cila.
    https://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s