Resenha: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes – Suzanne Collins

Oi pessoal, tudo bem?

Quando a gente tem a oportunidade de ler um livro novo de uma saga que amamos, as emoções ficam balançadas, né? Por isso que precisei de um tempo pra assentar minha opinião a respeito de A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, o prequel de Jogos Vorazes.

suzanne collins a cantiga dos passaros e das serpentesGaranta o seu!

Sinopse: É a manhã do dia da colheita que iniciará a décima edição dos Jogos Vorazes. Na Capital, o jovem de dezoito anos Coriolanus Snow se prepara para sua oportunidade de glória como um mentor dos Jogos. A outrora importante casa Snow passa por tempos difíceis e o destino dela depende da pequena chance de Coriolanus ser capaz de encantar, enganar e manipular seus colegas estudantes para conseguir mentorar o tributo vencedor. A sorte não está a favor dele. A ele foi dada a tarefa humilhante de mentorar a garota tributo do Distrito 12, o pior dos piores. Os destinos dos dois estão agora interligados – toda escolha que Coriolanus fizer pode significar sucesso ou fracasso, triunfo ou ruína. Na arena, a batalha será mortal. Fora da arena, Coriolanus começa a se apegar a já condenada garota tributo… e deverá pesar a necessidade de seguir as regras e o desejo de sobreviver custe o que custar.

Como um país vai do mais profundo pesar e desespero pós-guerra para uma alienação total à base de pão e circo? É isso que A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes se propõe a explicar. Aqui, conhecemos uma versão muito diferente daquele que viria a se tornar o temido presidente de Panem: Coriolanus Snow é um jovem sagaz que vê nos Jogos Vorazes a oportunidade de reconquistar o prestígio e a riqueza dos quais outrora sua família desfrutara ao atuar como mentor. Seu ânimo sofre um baque quando ele é designado à Tributo do Distrito 12, o menos prestigioso de todos. Mas, ao perceber o talento da jovem Lucy Gray (que encanta a todos ao cantar na Colheita), Snow decide utilizar esse elemento a seu favor.

Existe um abismo entre a Capital que conhecemos em Jogos Vorazes versus a Capital apresentada na Cantiga. Os efeitos da guerra ainda são muito recentes, Panem está em processo de reconstrução e mesmo famílias de linhagens importantes ainda flertam com a fome, como é o caso dos Snow. Coriolanus vive com a avó orgulhosa e a prima, Tigris, que faz tudo ao seu alcance para proporcionar um pouco de alegria e dignidade para a família. A ligação dos primos é bastante forte, o que torna mais triste pensar no futuro de Tigris e na corrupção moral de Snow.

Os Jogos Vorazes também não se aproximam em nada da versão antes apresentada. Esqueçam dos bailes luxuosos, dos jantares abundantes e do tratamento especial dedicado aos tributos. Em A Cantiga, vemos um lado ainda pior dessa punição já tão cruel: os tributos são tratados feito lixo, sendo deixados para passar fome e presos em uma cela no zoológico até o momento de entrarem na Arena. Diferente de todo o pão e circo conhecido, na 10ª edição o desafio dos Idealizadores (e dos mentores, incluindo Snow) é justamente fazer com que a prática se torne uma atração capaz de envolver as pessoas. E eu diria que esse é o maior mérito do livro: com transformações sutis e ideias que surgem de forma tímida, o leitor consegue perceber quais foram as atitudes que serviram como faísca para a transformação dos Jogos. Ao mesmo tempo em que ficamos desconfortáveis com o tratamento ainda mais desumano do que aquele que conhecíamos, é também fascinante perceber os primeiros passos na direção do grande espetáculo em que a Capital transforma os Jogos Vorazes. Esse aspecto de A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes foi, sem dúvida, meu favorito: para mim, o livro é sobre isso, sobre a transformação dos Jogos, muito mais do que sobre o Snow.

resenha a cantiga dos passaros e das serpentes

Falando em Snow, ressalto que os protagonistas definitivamente não me conquistaram. O livro consegue demonstrar com nem tanta sutileza assim que Coriolanus faz as coisas tendo interesses egoístas por trás. Ele não chega a ser um sociopata desalmado, mas mesmo achando os Jogos Vorazes difíceis de engolir, ele está mais preocupado com a recuperação financeira da sua família e sua própria ascensão. Em diversos momentos ao longo do livro seus pensamentos revelam a frieza com que ele lida com situações delicadas, o seu senso de superioridade e seu desprezo pelos costumes dos distritos e a maneira como ele mantém relações de acordo com que cada pessoa pode oferecer. Sua relação com Lucy Gray é confusa e, pra mim, não funciona (o final deixa isso ainda mais nítido, mas falo sobre isso mais pra frente). A personagem foi feita com a intenção de nos cativar, assim como cativou Coriolanus, mas ela é bastante linear e ganha pouco aprofundamento.

Os personagens secundários não têm carisma e brilho nenhum, e eu não fiz nenhuma questão de guardar seus nomes por saber que na trilogia original eles não causam impacto – com exceção de Tigris, que tem papel crucial em A Esperança, da Dra. Gaul, por ser a Chefe dos Idealizadores dos Jogos, e de Sejanus, que representa a voz da razão em meio ao massacre, nos lembrando de que o sofrimento dos distritos é muito maior do que o da Capital. O livro tem a intenção de narrar os traumas dos cidadãos da Capital em relação à guerra e mostrar o outro lado desse sofrimento; o problema é que não sabemos no detalhe os motivos dessa guerra, então um leitor mais desatento pode acabar sentindo uma empatia mal dimensionada pela Capital. Eu acho que tem muita gente inocente na Capital que sim, merece empatia, mas a gente não pode esquecer que uma vez que a guerra acabou a decisão deles foi de seguir com um massacre na forma de Jogos Vorazes. Pensando nisso, considero a narração em terceira pessoa uma escolha acertada da autora, pois nos afasta do risco de romantizar o ponto de vista do Snow e da Capital. Diferente da trilogia original, em que estamos dentro da cabeça da Katniss, aqui a gente tem acesso a uma visão externa que não mascara as falhas de caráter do personagem e nos ajuda a não esquecer do sofrimento dos distritos.

Assim como os outros livros da série, A Cantiga é dividido em três partes, e na terceira delas o livro tem uma “barriga” que torna a história bem arrastada. O dia a dia de Coriolanus no terço final da trama parece descolado de tudo que vimos até então, e sua dinâmica com Lucy Gray também não melhora. Existem cenas que só me pareceram servir como fanservice (envolvendo a palavra “katniss” e até a música da Árvore-Forca), e o final é abrupto, corrido e até meio sem sentido, de modo que fiquei “sério que isso tá acontecendo?”, tamanha minha descrença.

A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes é um livro bom, ainda que não seja espetacular, e ele não merece todo o hate que recebeu. Ele é competente em nos mostrar a transformação dos Jogos Vorazes e o papel da esperança em toda essa dinâmica da Capital e dos distritos – conceito este tão importante no futuro. Apesar de ser um livro mais longo do que o necessário e dividir um final tão frustrante quanto, achei melhor que A Esperança rs. Resumindo, vale a leitura, tendo em mente as ressalvas que mencionei. 😉

Título original: The Ballad of Songbirds and Snakes
Série: Jogos Vorazes
Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Número de páginas: 576
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤

26 comentários sobre “Resenha: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes – Suzanne Collins

  1. Oi, Pri como vai? Menina que resenha incrível, parabéns! Apesar de os pontos fracos e as falhas que este livro possui, eu gostei da leitura. Para mim o que mais me incomodou foi o número excessivo de páginas, que francamente não precisava. Outro ponto negativo para mim foi a leitura ter se tornado cansativa em certos momentos, ademais é um bom livro, que conseguiu me agradar de maneira satisfatória. Deu 4 estrelas, daí você sabe que o livro me agradou bastante. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

  2. Desde o lançamento eu tô muito interessada nessa leitura, mas vi tanta gente falando mal que desanimei um pouco. Mas eu gostei bastante da sua resenha, que você trouxe os pontos positivos e negativos. Acho que vou ter que tirar minhas próprias conclusões depois, porque afinal a beleza da leitura é isso, o mesmo livro pode afetar as pessoas de uma forma diferente. 😉

    • Oi, Priih

      Eu tinha comprado o livro na pré-venda, mas aí as resenhas gringas começaram a sair e eu acabei cancelando a compra. Hoje me arrependo e vou comprar novamente quando tiver uma promoção. Minha maior questão era essa possível romantização do Snow, vi um povo falando isso, aí fui na onda. Logo eu que prezo tanto minha própria opinião. A verdade é que acho que eu não queria pagar o valor exorbitante da pré-venda e arrumei um motivo pra cancelar a compra. Hahahaha Agora é esperar a adaptação!

      Beijos
      – Tami
      https://www.meuepilogo.com

  3. Olá!

    Achei interessante você pontuar essa questão dos primeiros passos no pós guerra, com certeza era um momento bem delicado. Eu gostei muito do primeiro livro da saga, mas não muito dos outros e não tenho interesse em ler esse quarto livro.

    Beijo,

    Samantha Monteiro
    Degrau de Letras

  4. Oi Pri, tudo bom?
    Um amigo me emprestou a série dos jogos vorazes, o trio uma vez, comecei a ler bem animada, mas logo no início a Katniss queria matar um gato! Um gato! Fiquei tão indignada que parei de ler imediatamente, shuahsauhauh, mas gostei dos filmes o suficiente pra assistir todos.
    Por isso fiquei bem perdida com a resenha desse livro e nem sabia que ele tinha recebido tanto hate assim, embora a forma que você fale dele também não anima muito pra ler. D:

    Beijos
    https://coonversa-paralela.blogspot.com/

  5. Oi, Pri! Tudo bom?
    Que bom tu não ter sofrido com essa leitura. Infelizmente achei um desperdício de tempo e papel que misericredo… Não consegui salvar quase nada na história, e real pra mim foi só um livro que o editor pediu pra ela escrever pra reviverem a grana da franquia, porque não acho que acrescentou em nada pro universo. Tudo que tava ali a gente já conhecia, personagens secundários não servem pra nada (a Lucy eu ainda tô???????????????? com aquele final sem sentido). Enfim, o ódio UHASUHASUHASUHASUHASUH

    Beijos, Nizz.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

  6. Oii Priih, tudo bem?
    Eu li Jogos Vorazes há um tempo e gostei tanto, comprei o segundo, mas até agora não consegui ler. Não consigo gostar muito desses livros que os autores lançam depois da série já ter se findado, mas conforme eu for lendo os demais livros, vou considerando se darei uma chance ou não à esse prequel. No momento não li muitas resenhas para não acabar pegando um spoiler perdido hahah, mas pelo que vi por cima, eram críticas bem negativas :/
    Beijos,
    https://treesdedezembro.blogspot.com/

  7. Amei a resenha. Quando o livro saiu, eu estava doida para ler, mas vi tana resenha negativa que decidi deixar de lado e tentar depois quando esquecesse o que li rs
    Eu gosto muito desse universo da Suzanne e fico com medo de me decepcionar rs
    beijos

  8. Adorei a foto que você usou! Ainda não tive oportunidade de ler os livros da autora, mas já adquiri todos, inclusive Cantiga dos Pássaros e das Serpentes. Essa não é uma leitura tão urgente no momento, mas eu sempre tive vontade de me aventurar por esses livros. O lançamento do Spin off me deu uma animada.

    Abraço

    Imersão Literária

  9. Oi Prii,
    estava esperando ansiosa por essa resenha, li as outras que fez.

    Esses dias em casa resolvi maratonar todos os filmes dos Jogos Vorazes, confesso que nunca li os livros e fico encantada com o filme, eu gosto demais. Eu quero ler agora todos os livros apesar das ressalvas mesmo assim gostei de saber que os personagens secundários não são tão encantadores assim, bom ue já vou ler preparada.
    E, amei saber melhor que não há tanto glamour nos intervalos dos jogos, não há festas e que eles ficam presos, acho que é um livro de alguma forma sofrido em partes.
    Depois volto e te conto o que achei.
    beijos.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

  10. Olha que coincidência, eu estava agora há pouco justamente comentando numa resenha sobre esse livro. Como eu disse lá, não cheguei a ler a série, só assisti os filmes. Acho legal livros dentro do universo, mas focado em outra parte da história. Mesmo não sendo perfeito, imagino que seja uma boa pedida pra quem acompanhou a série.

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    Romantic Girl

  11. Não importa quantas resenhas positivas/negativas eu veja dessa obra, não paro de ter uma grande expectativa com esse livro! A trilogia foi uma das que me empurraram pro universo literário e eu tenho um carinho muito grande e adoro a escrita da autora! Esse livro parece ser incrível, gosto de personagens que são vilões e tenho curiosidade de conhecer o Snow mais a fundo hahaha
    Beijoss, Blog Seja Agridoce ♥️♥️♥️

  12. Oi Prih,
    Adorei sua sinceridade, ótima resenha.
    Eu ainda não li nenhum livro da série – e de filme só vi o primeiro – mas ainda quero dar uma nova chance pra tudo, pois gosto das críticas que a autora transmite.
    Acho interessante o fato de vc ter curtido mais do que o último do orignal.

    tenha uma ótima semana 😀
    Nana – Canto Cultzíneo

  13. Olá, Priih.
    Eu ainda estou na duvida sobre ler esse livro ou não. Eu me interesso claro porque é de uma saga que amo. Mas o preço não está ajudando nada hehe. Talvez quando aparecer uma ótima promoção eu leia ele. Gostei de saber que é em terceira pessoa porque isso foi o que menos gostei na trilogia original, ficar só sabendo o que a Kat sabia.

    Prefácio

  14. Oi, Priiih. Tudo bem?
    Eu realmente estou com muita vontade de ler esse livro mesmo com todas as críticas da parte final, porque ainda quero ter a visão de mundo do vilão e como os Jogos Vorazes se tornou o pão e circo. E as duas primeiras partes apresentam essa sociedade da decadência da guerra para uma alienação e ainda quero ver como a autora trabalhou nisso.
    Amei sua resenhas e suas ressalvas.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

  15. Apesar de ser fã da saga, eu só conheço a história pelos filmes. Como sabia que teria diferenças absurdas entre a adaptação e o original, eu preferi ficar com a magia dos filmes até estar preparada para a leitura da saga inteira. Vendo esse último lançamento, eu esperava mais, sinceramente. Até porque conta o passado de Panen e mostra o prefeito antes de ser quem ele é em Jogos Vorazes. Até por isso acho que é desnecessário ter partes fanservice ali e já tirou minha vontade de ler. =/
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

  16. Oiii Prih

    Eu meio que ainda não sei se quero ler esse livro. Não é pelo hate (embora foi meio assustador a quantidade de reviews de ódio que ele recebeu no inicio la no Goodreads) mas porque eu acho que ja tive meu tempo de Jogos Vorazes, hj em dia me sinto totalmente desapegada da história + sem vontade de saber algo sobre o Snow. Enfim, fico feliz em saber que não é um livro ruim, como pareceu de inicio, mas sim um livro bacana que não vai mudar a vida de ninguém, mas cumpre o seu em entreter. Talvez leia futuramente… quem sabe

    Beijos, Ivy

    http://www.derepentenoultimolivro.com

  17. É, parece que deixou a desejar, né Priih? Eu não li a saga (nem vi os filmes), então sempre fico meio por fora quando o assunto é Jogos Vorazes. O gênero não é o muito a minha praia, então acabo nunca dando uma chance para a autora… Beijo, beijo :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s