Resenha: Uma Estranha Em Casa – Shari Lapena

Oi pessoal, tudo bem?

Ultimamente eu tenho tentado dar certa prioridade para livros que estavam na minha wishlist há muito tempo e, com isso, finalmente li o thriller Uma Estranha Em Casa.

uma estranha em casa shari lapenaGaranta o seu!

Sinopse: Karen Krupp acorda no hospital, sem ter a menor ideia de como foi parar nele. Tom, seu marido, diz que a porta estava destrancada quando ele entrou em casa, as luzes acesas, e que a esposa provavelmente saiu às pressas quando estava preparando o jantar, pelo que ele viu na cozinha. Karen perdeu o controle do carro enquanto dirigia a toda a velocidade e bateu de frente num poste. O mais estranho: o acidente aconteceu num dos bairros mais perigosos da cidade. A polícia suspeita de que Karen esteja envolvida em algo obscuro, mas Tom tem certeza de que não. Ele está casado com ela há dois anos, conhece muito bem a mulher. Será mesmo? Vai perguntar tudo a Karen quando chegar ao hospital, depois de dizer que a ama e que está feliz por ela ter sobrevivido, é claro. Mas Tom não obtém resposta nenhuma… porque ela não se lembra de absolutamente nada.

A história começa com a fuga de uma mulher de um restaurante abandonado. Ela entra no carro alucinada e dirige de forma imprudente até que bate num poste. A mulher em questão é Karen Krupp, e seu marido, Tom, fica transtornado ao chegar em casa e encontrar a porta destrancada, a preparação do jantar em curso abandonada e nenhum sinal de sua esposa. Quando a polícia bate à porta e o leva para o hospital em que Karen está, ele descobre que ela perdeu a memória de curto prazo graças ao traumatismo craniano provocado pelo acidente. Para completar a fórmula de incertezas, um homem é encontrado morto na região em que Karen bateu o carro, e ela vira uma peça-chave na investigação.

Uma Estranha Em Casa reúne vários elementos clichê de thrillers: um personagem desconfiado de alguém em quem sempre confiou, um aspecto físico/de saúde muito conveniente para manter o mistério e até mesmo uma vizinha enxerida (no caso, Brigid, melhor amiga de Karen e vizinha da frente). O desenrolar da trama é muito ágil e o livro tem uma característica que eu adoro: capítulos curtos. Graças a isso, e ao fato da narrativa em terceira pessoa focar em personagens diferentes, é muito fácil devorar as páginas.

resenha uma estranha em casa

Porém, Uma Estranha Em Casa é um livro simples. A investigação dos detetives não tem grandes reviravoltas, os personagens são meio estereotipados e lineares e os clichês que eu mencionei anteriormente o colocam numa posição bastante lugar-comum, ainda que segura. Lá pela metade do livro eu estava bastante desconfiada de determinada personagem e me vi tendo razão a respeito dela (que se revelou uma pessoa mesquinha e falsa). Por outro lado, o final em si traz um desfecho muito interessante pras pessoas envolvidas. Ele transmite uma ideia de “bem feito!” e eu achei legal que, de certa forma, os personagens paguem pelos seus erros.

As duas personagens pelas quais senti algum nível de afeição foram Karen, que está angustiada com a perda da memória, e o detetive responsável pelo caso, Rasbach. Ele é um homem determinado e vivaz, mas quanto mais ele investiga o passado de Karen, mais empatia ele demonstra. Tom é um fraco e eu não gostei de nenhum aspecto dele. SPOILER ALERT: tem um momento da história que ele trai Karen “por estar muito bêbado e precisar de conforto” e isso me enfurece. Eu odeio a autoindulgência masculina envolvendo traição e como eles ainda são retratados como “incapazes de se controlar”.

Enfim, resumindo: Uma Estranha Em Casa é um livro mediano, mas mediano não significa ruim. Ele se apropria de elementos que já vi em diversas outras obras do gênero e nos apresenta a uma história linear, mas envolvente. Não foi a melhor leitura do ano mas também não foi a pior, e pode ser uma boa opção pra alguém que esteja se aventurando nesse gênero literário pela primeira vez. 🙂

Título original: A Stranger in the House
Autor: Shari Lapena
Editora: Record
Número de páginas: 266
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤

16 comentários sobre “Resenha: Uma Estranha Em Casa – Shari Lapena

  1. Oi, Priih

    Eu li esse livro na época do lançamento e acho que nem cheguei a resenhar porque também achei ele muito simples. Não cheguei a achar ruim, pois, assim como você falou, mediano não significa ruim, mas não foi uma leitura que significou muita coisa pra mim, prefiro O Casal Que Mora Ao Lado.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  2. Oi, Priih!
    Que chato que a leitura deixou a desejar! Mas é verdade, mediano não significa ruim! Já li vários livros medianos que gostei, mas mesmo assim esperava mais.
    Fiquei curiosa com o desenrolar dos acontecimentos e vou guardar a indicação pro futuro ;D

    Estante Bibliográfica

  3. Oi Pri, tudo bem?

    Logo que esse livro foi lançando eu tive curiosidade de ler ele, mas ai o tempo foi passando e acabei perdendo o interesse na história. Apesar de alguns elementos clichês parece uma narrativa instigante para quem curti o estilo. Mas com certeza eu ficaria irritada com essa autoindulgência masculina.

    Beijos e um ótimo final de semana;*
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

  4. Oi Pri,
    Tinha muita curiosidade em relação a esse livro, mas acabei esquecendo dele. Na verdade, li parte de um outro e quando vi a postagem até achei que fosse, mas ao ler a resenha notei que não. hahaha
    Eu também tenho parte desses problemas com narrativas do estilo, principalmente a romantização de atos falhos, mas como amante do gênero fiquei tentada em ler – se eu lembrar.

    tenha uma ótima semana 😀
    Nana – Canto Cultzíneo

  5. Olá, Priih.
    Eu não me interessei muito em ler esse livro porque achei O casal que mora ao lado muito fraco e quando começou a sair as resenhas desse, todo mundo falava que seguia o mesmo nível. Pode até ser que eu ainda leia um dia porque gosto muito do gênero, mas não é uma prioridade não.

    Prefácio

  6. Olá Priih,
    Gostei bastante de ler sobre sua opinião em relação a essa leitura. Também não suporto traição, e adoro capítulos curtos, acho que a leitura flui muito melhor. Achei interessante os pontos que destacou e, sinceramente, não acho que seja um livro que me agradaria tanto. Acho que, principalmente no suspense, quanto mais lemos, mais exigentes ficamos com a trama desenvolvida.

    Beijo!
    http://www.amorpelaspaginas.com

Deixe uma resposta para Ray Cunha Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s