Resenha: Contágio – David Quammen

Oi pessoal, tudo bem?

Apesar de parecer contraditório após tantas dicas com entretenimento leve pra curtir na quarentena, acabei fazendo uma leitura que pode soar pesada para o momento: Contágio, de David Quammen. Por isso, antes de entrar na resenha propriamente dita, tem uma informação sobre mim que vocês precisam saber: eu sempre gostei muito de Biologia. Quase me formei em Nutrição (e curtia disciplinas como Microbiologia e Parasitologia, por exemplo) e vira e mexe assisto a programas do National Geographic ou do Animal Planet. Espero que isso ajude a entender por que decidi ler um livro chamado Contágio em plena pandemia de coronavírus rs. Introdução feita, bora pra resenha!

contagio david quammenGaranta o seu!

Sinopse: Em Contágio, publicado originalmente em 2012, David Quammen demonstra que havia consenso entre os especialistas sobre as características de uma próxima pandemia: o causador seria um vírus novo aos humanos, atingiria primeiro algum tipo de animal selvagem, como um primata ou um morcego, e seria altamente mutável, ao estilo de um vírus influenza ou de um… coronavírus. Escrito com ritmo de tirar o fôlego, o livro investiga os patógenos responsáveis pelas grandes epidemias da história — entre elas, a gripe espanhola, a aids, o ebola e a SARS — e os desafios que elas representam para os seres humanos. Quammen antecipa vários dos embates que enfrentamos hoje, indicando que temos muito o que aprender com os surtos pregressos para combater a atual pandemia. Como afirmou em uma entrevista recente: “Seja uma catástrofe ou algo que consigamos controlar, uma coisa que sabemos sobre essa nova pandemia é que não será a última”. Esta edição inclui um texto de Quammen publicado em 2020 no New York Times sobre o novo coronavírus.

Contágio (não confundir com o filme homônimo, fictício) é um livro de não-ficção escrito pelo escritor de ciência, natureza e viagens David Quammen, cujos textos já foram publicados na National Geographic, Rolling Stone, entre outros títulos importantes. O livro é dividido em capítulos focados em doenças zoonóticas (ou seja, de origem animal) distintas, responsáveis pelas maiores epidemias já enfrentadas. Esses capítulos contam com subcapítulos, nos quais o autor discorre sobre cada patologia: o surgimento dela, os locais onde houve picos, os estudos conduzidos por cientistas que fizeram a diferença e diversas explicações sobre como doenças infecciosas agem. Hendra (descoberta na Austrália), Ebola (endêmica em certos países da África), Malária (transmitida por um vetor) e HIV (cuja origem foram os chimpanzés) são alguns exemplos de doenças infecciosas descritas e explicadas em Contágio.

De modo geral, a leitura é acessível para leigos, e você se sente lendo uma grande matéria jornalística a respeito do assunto. Contudo, apesar de em geral não ter uma narrativa complexa, um aspecto negativo da leitura é que com frequência o autor é repetitivo nos subcapítulos, dizendo de formas diferentes a mesma coisa (talvez para facilitar a compreensão de leitores menos habituados a esse assunto). Sem esse recurso, provavelmente Contágio ganharia agilidade. Contudo, de maneira geral a estrutura narrativa do livro é bastante envolvente: o autor vai criando uma timeline dos eventos e consegue inclusive criar cliffhangers instigantes para as informações que estão por vir.

O autor também relata em detalhes ao longo das páginas sobre o processo investigativo quando surge uma nova doença. Desde pesquisas de campo em meio a florestas tropicais até à reconstrução da linha do tempo a partir do paciente zero são etapas complexas e arriscadas que muitas vezes levam os próprios profissionais a ficarem doentes e/ou falecerem. Esse comprometimento com a agilidade na busca pela solução do problema e pela compreensão do novo são o que nos permitem ter respostas mais rápidas às pandemias (o Covid-19, por exemplo, foi identificado pouco mais de um mês após seu surgimento, em dezembro de 2019). Depois de ler sobre todos esses processos (existem doenças que levaram duas décadas para serem compreendidas, sabe!) eu fico ainda mais abismada com a desvalorização da ciência.

resenha contágio david quammen

Contágio tem como objetivo explicar as origens e as consequências de importantes zoonoses, ou seja, doenças transmitidas de um animal para um humano, normalmente de modo acidental. E um ponto importante nesse processo, o fator comum às pandemias, reside no fato de que grande parte desse contágio é causado pela invasão humana à natureza, bem como predação de animais selvagens. A falta de equilíbrio ecológico, causado por queimadas, árvores derrubadas para plantio, caça a animais silvestres, entre outros fatores, saltou aos meus olhos como um grande problema responsável pela variedade de doenças às quais estamos suscetíveis. Evoluímos rapidamente em termos de tecnologia e conhecimento, mas a verdade é que existe uma infinidade de coisas que ainda não sabemos (e a pandemia do coronavírus é uma prova do perigo ao qual estamos expostos a micro-organismos ainda desconhecidos).

Com isso, fica evidente a necessidade de repensarmos nosso modo de vida e de consumo. O jeito que a sociedade se estrutura hoje não é compatível com um futuro sustentável e saudável. A pandemia de Covid-19 não foi uma surpresa total para os estudiosos da área, porque na verdade eles compreendem que a Próxima Grande Pandemia sempre está a um passo de acontecer – basta que um vírus ou bactéria “salte” para um ser humano (ou seja, faça um spillover, termo que designa o pulo de um animal hospedeiro para outro, no qual o patógeno também consegue se desenvolver). Pode ser por meio de um contato com uma árvore derrubada, com um animal morto na floresta ou proveniente do comércio de carne, mas a iminência de uma nova pandemia está à espreita.

Por mais que esse fato possa parecer sensacionalista e/ou assustador, é um assunto necessário. Acho praticamente impossível ler Contágio sem, no mínimo, refletir um instante sobre nossos hábitos de consumo. Não digo que você vai se tornar vegetariano ao fechar o livro. Mas quem sabe você vire. A questão é que, no mínimo, Contágio instiga o leitor a refletir sobre o nosso papel no ecossistema, e deixa uma mensagem muito clara: estamos todos juntos nisso. Não podemos esquecer de que também somos animais – porém, muito mais destrutivos e em total desequilíbrio com os outros que habitam o planeta. A leitura de Contágio nos relembra que somos um elo dessa grande corrente, e não necessariamente o mais importante. Nos resta ter humildade pra entender que somos um fragmento do ecossistema e que, se não buscarmos mais equilíbrio nas nossas relações, não podemos garantir nossa longevidade enquanto espécie.

Título original: Spillover: Animal Infections and the Next Human Pandemic
Autor: David Quammen
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 492
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤

Livro cedido em parceria com a editora.
Esse não é um publipost, e a resenha reflete minha opinião sincera sobre a obra.

26 comentários sobre “Resenha: Contágio – David Quammen

  1. Oi Pri! Eu não costumo ler livros como esse e o tema também não é o que procuro na situação atual, mas entendo que nós temos que ter consciência dos nossos atos e ações, pois não há dúvidas que o problema de hoje teve influência do homem. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

  2. Algo que sinto sempre que leio artigos ou livros mais acadêmicos é essa repetição, as vezes ela até me auxilia no maior entendimento da leitura, outras vezes só perco um tempo a mais! Porém adorei a sua resenha, a forma que consumimos merece ser repensada, vivemos em um ritmo impossível de ser sustentado a longo prazo, mas parece que apenas estamos esperando algo grande acontecer para pensar sobre isso, primeiro foi o covid-19 e o que virá depois? :/
    Beijoss, Blog Seja Agridoce ♥️♥️♥️

  3. oi, tudo bem?

    nossa, fiquei super interessado por essa obra. eu gosto bastante de ler não-ficção, e ainda mais um assunto assim… gosto muito de me inteirar sobre tais questões. também acho que essa pandemia do covid-19 está servindo para mostrar que o nosso estilo de vida precisa ser mudado para melhor, o quanto antes. vou pesquisar mais sobre essa obra, com certeza, e tentar ler.

    abraços!
    acampamento da leitura

  4. Oi, Priih. Tudo bem?
    Mas começou a resenha tirando minha imaginação do filme, hahaha. Não conhecia esse livro e acho muito interessante a temática de biologia também, mais por curiosidade não seria algo que eu cursaria. A parte do processo investigativo realmente é a parte que me faria comprar esse livro e entender o processo de como nossas ações afetam a natureza até no grau de gerações de pandemias.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

  5. Oiii Prih

    Te entendo total com a escolha de livro, sempre gostei demais de biologia também, era minha matéria favorita junto com História, tenho o fascinio por ambos.
    Em tempos de pandemia eu não sei se faria essa leitura, mas que o livor me aguça a curiosidade isso sim, gostei porque o tema é necessário, a linguagem é acessivel e parece bem escrito e explicadinho. Vi esses dias que ja encontraram nos suínos mais um virus com potencial pandêmico, é bem isso mesmo, sempre há uma possivel pandemia às portas e nesse estilo de vida que temos, tudo é muito complicado. Fiquei bem interessada nesse livro, ja anotei e quero ler sim.

    Beijos, Ivy

    http://www.derepentenoultimolivro.com

  6. Olá, Priih.
    Sabe que sinto, que as pessoas não querem mudar, parecem que não estão nem ai para o planta e para os que vão viver aqui futuramente. No ano passado implementaram um plano de sustentabilidade na empresa que trabalho e foi um sufoco fazer o povo entender. E até hoje tem gente que não entende. Acho o assunto do livro interessante, mas acredito que não leria ele.

    Prefácio

  7. Também gosto muito de biologia, eu sempre fui de humanas, haha. E eu vi esse livro na Amazon, se não me engano estava de graça para assinantes Prime, mas eu olhei rapidamente e achei que fosse uma revista.
    É interessante que esse livro traga reflexões sociais, pois algumas pandemias são mesmo resultado de hábitos ruins e ações do homem, então, é necessário que tenhamos conhecimento para evitar ficar doentes.
    Gostei muito da resenha Priih.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

  8. Oii Priih!
    Ao que me parece você se envolve bastante com esse assunto. Adorei a resenha e a reflexão sobre o tema. Veja como a pandemia nos levar a questionar tantas coisas, o quanto disso tudo sairá como resultado no comportamento futuro da humanidade?
    Foi boa a escolha da leitura, creio que é um momento propício para isso (desde que a pessoa não esteja fragilizada com os acontecimentos).
    Que possamos aprender e refletir bastante ainda em relação aos acontecimentos e encontrar melhores caminhos, não podemos aceitar passar por tudo isso e continuar fazendo tudo exatamente da mesma forma, não é?
    Boa semana 😊😉
    Bjos

  9. Olá!
    Não sabia que você quase tinha se formado em Nutrição, é uma profissão bem legal. Eu gosto desse tipo de leitura apesar de quase não ser as minhas opções. Gostei de saber que o livro aborda que o consumo excessivo e a forma como estamos usando o nosso planeta não condiz com uma boa relação de vida a longo prazo, precisamos nos conscientizar sempre disso. Vou procurar esse livro para ler pois, fiquei interessada.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

  10. Oi Pri, tudo bem?

    Eu quase estudei biologia também, mas no meu caso sempre fui apaixonada pelo mar e queria me especializar na vida marinha. Porém quando vi que às vezes teria que sacrificar um animal não tive coragem de seguir em frente, e acabei na Comunicação (rs…). Também não perco programas de veterinária e de animas fofos no National Geographic e no Animal Planet.

    O livro parece ser bem interessante, ainda mais o momento em que estamos vivendo. Ontem mesmo uma amiga minha ficou brava comigo, porque eu disse que a pandemia foi um mal necessário para fazer nós como seres humanos parar e rever a forma como estamos conduzindo as coisas.

    Claro que fico triste com o número de mortos e sou solidária as suas famílias. Tive parentes que ficaram internados em estado grave e sofri a consequência econômica dela, com a redução de 50% do meu salário. Mas sei também que o ser humano se acha o dono do mundo e que nas últimas décadas usamos os recursos naturais e destruímos a natureza sem pensar nas consequências que isso ia ter para o futuro.

    Agora somos obrigados a parar com o lembrete que assim como os dinossauros foram instintos e o planeta permaneceu vivo sem eles, o mesmo pode acontecer com a gente.

    Beijos;*
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

  11. Olá, Priscilla!
    Ao contrário do que muitos devem pensar, esse tipo de leitura, principalmente por esse momento que estamos passando, se faz necessária mais do que nunca. O ser humano precisa entender de uma vez por todas o quanto a sua presença anda sendo destrutiva pro meio em que vivemos, e como todas essas fatalidades de pandemias não ocorrem por acaso, ou porque uma força maior está testando a nossa humanidade ou qualquer outro tipo de romantização que muitos adoram fazer.
    Foi perfeita a forma como você apontou sobre a importância de revermos a forma como vivemos e que tudo isso está diretamente ligado a invasão a natureza e consumo da carne, além também de uma das coisas mais absurdas desse mundo que é o comércio e tráfico de animais silvestres.
    Tudo isso é muito triste e, como você falou, precisamos ter a noção e humildade de compreender que fazemos parte de um grande ecossistema e que temos que manter uma relação equilibrada com o ambiente e os outros seres que vivem nesse planeta, e repensar muitas coisas pra minimizar tragédias tão grandes, como está sendo o COVID-19, com possíveis novas doenças que possam surgir no futuro.
    Adorei sua resenha, me instigou bastante a ler o livro, me pareceu uma leitura muito importante a todos.

    Abraços!
    Blog Trívia

  12. Oi
    Parece ser uma leitura instrutiva, confesso que apesar de necessário eu meio que fujo desse tipo de leitura, atualmente só de ler as noticiais sobre a situação ando me fazendo mal por conta da ansiedade, imagine ler um livro.
    Pelo menos você aproveitou sua leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

  13. Oi, Priih!

    Durante essa quarentena, mais bem mais no início, fiz leituras e assisti muitos vídeos sobre esses tipos de contágios, e realmente, o que você escreve sobre não ser surpresa aos estudiosos a pandemia do coronavírus, e que deveríamos repensar muito mais em nossos hábitos e escolhas de consumo como um todo, é super verdade. Infelizmente, grandes empresas, latifundiários, governos, enfim, ajudam e muito a provocar todas essas tragédias ambientais. Gostei muito de saber sobre o livro, confesso que não me interesso em leituras relacionadas às áreas que ele engloba, mas acredito que, neste momento, poderia ser uma leitura bem instigante e esclarecedora em muitos aspectos.

    https://monautrecote.blogspot.com/

  14. Nossa Priih, o livro parece ser super interessante. Esse assunto é fascinante, especialmente agora, com tudo isso que estamos vivendo, né? Só não sei se eu teria estômago para ler agora… (risos de nervoso) 🙂

    Beijos :*

  15. Oi, Priih!

    Adorei a dica! Entendo sua paixão por biologia, sou biomédica e sempre me interesso bastante por livros que tenham a ciência como tema envolvido. De fato é hora de repensarmos em nosso consumo e no nosso próprio impacto ao planeta. Muitas doenças que existem atualmente são resultados de atitudes dos próprios humanos, como o próprio HIV, então sem dúvidas esse é um ótimo livro para conscientização. Um livro que gosto muito, mas que tem a ver com genética, é Gataca, já leu?

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

  16. Uau! Parece ser um livro didático e bastante esclarecedor. Fico estarrecido na letalidade do Coronavírus. É uma doença avassaladora.

    Bom fim de semana!

    OBS.: O JOVEM JORNALISTA está em quarentena de 22 de julho à 31 de agosto, mas comentarei nos blogs amigos nesse período.

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

  17. Eu cheguei em uma fase da pandemia onde eu não quero mais saber de entretenimento leve porque fiquei saturada. Achei esse livro muito interessante, já até salvei o nome para ler depois
    Beijos ♡ Blog | Instagram | Youtube

  18. Engraçado, enquanto se indica evitar esse tipo de leitura durante a quarentena, você foi na contramão… kkk Brincadeiras a parte, concordo que essa é uma leitura necessária. É uma maneira de repensar nosso consumo, seja com bens materiais, ou com comida. Claro que comer uma boa comida, com aquela carne suculenta, é maravilhoso, não vou negar. Mas se pensarmos no processo que levou até aquele pedaço de carne chegar ao seu prato, a gente não precisa ficar paranoico também, mas ao menos que podemos fazer nossa parte para minimizar alguns impactos. Pode parecer pouco, diante de tanta coisa que vemos no mundo, mas já é um começo.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

  19. Pingback: Assisti, mas não resenhei #6 | Infinitas Vidas

  20. Pingback: Dica de Série: Curta Essa com Zac Efron | Infinitas Vidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s