Resenha: Acima do Véu – Garth Nix

Oi pessoal, tudo bem?

Estava com saudades do universo construído por Garth Nix, então aproveitei minhas curtas férias para ler Acima do Véu, o quarto volume de A Sétima Torre.

resenha acima do veu garth nixGaranta o seu!

Sinopse: O Povo Inferior é incansável. Por muito tempo, essa gente se manteve quieta, ocupando os níveis mais baixos do Castelo. Mas, agora, vai se fazer ouvir… Tal e Milla não estão mais sozinhos na busca da verdade sobre seu mundo. O Corvo, um renegado do Povo Inferior, aliou-se a eles, juntamente com seu bando de rebeldes. Eles conhecem muitos segredos sobre o Castelo – e estão prestes a descobrir o maior de todos. A escuridão está ficando cada vez mais intensa. As sombras estão se tornando mais fortes. E, mais que nunca, Tal e Milla estão correndo perigo.

Seguindo o padrão da série, o livro inicia em uma sequência direta do volume antecessor, após o embate com o Mestre-das-Sombras Sushin (que não parece ter se abalado após a perfuração pela lâmina de chifre de Merwin de Milla). Durante a fuga dos protagonistas pelos níveis mais baixos do Castelo, eles reencontram os jovens que os ajudaram nos túneis de aquecimento, mas o clima não é amigável: comandados por um jovem chamado Corvo, o grupo se autodenomina Resistentes – ou seja, membros do Povo Inferior que se recusam a seguir a ordem dos Escolhidos. Apesar da animosidade, o grupo de Corvo, Tal e Milla se veem do mesmo lado, já que os Resistentes têm como líderes Ebbit e Jarnil, um antigo professor do Lectorium dado como morto. Quando Milla e Tal contam a eles sobre tudo que descobriram em Aenir (e Sushin), Ebbitt e Jarnil compreendem que o Véu que protege o Mundo das Trevas dos Aeniranos está em risco. Para restabelecer a segurança, é necessário impedir que Sushin se apodere das Grandes Pedras que o mantêm intacto.

Basicamente, esse é o fio condutor de Acima do Véu. Conforme a série avança, Tal e Milla vão descobrindo pouco a pouco os segredos mantidos tanto pelos Escolhidos quanto pelos Homens-do-Gelo a respeito da origem do Véu e da relação entre os dois povos. Enquanto Tal deseja apenas ter a normalidade de sua vida de volta (e impedir Sushin no processo), Milla ainda se ressente por ter perdido sua sombra natural e está determinada a voltar ao Gelo, contar tudo que descobriu às Matriarcas e dar fim à sua vida. Com isso, é nesse volume que o caminho dos dois protagonistas se separa: a jovem parte rumo ao seu povo enquanto Tal se alia (contra a própria vontade) ao Corvo. E eu acho que foi por causa dessa separação que não curti tanto a obra quanto esperava.

resenha acima do veu garth nix

A dinâmica de Tal e Milla é uma das coisas de que mais gosto na série de Garth Nix, além da criatividade do autor na concepção de seu universo (que eu sempre reforço nas resenhas e até hoje considero único). Quando os dois se separam, um pouco do carisma da narrativa se perde, porque sempre foi muito interessante acompanhar o equilíbrio proporcionado pela sua relação de gato e rato, mas cheia de aprendizado mútuo. Tal e Corvo, por outro lado, são muito clichês: o protagonista desconfia do rapaz hostil, enquanto este odeia Tal por ele ser um Escolhido. Apesar desse ponto negativo, Acima do Véu tem diversas cenas de ação, com capítulos que intercalam entre a missão de Tal e a de Milla. E, mesmo não curtindo a relação entre Tal e o Corvo, reconheço o mérito de sua missão: os dois passam por inúmeras situações capazes de deixar o leitor apreensivo, porque o risco de roubar uma Grande Pedra e não serem capturados por Sushin no processo é bastante considerável.

Em relação ao desenvolvimento dos personagens, Acima do Véu oferece poucos avanços. Como os livros acontecem em um espaço muito pequeno de tempo, sendo sequências diretas uns dos outros, a aventura de Tal desde sua queda para fora do Castelo iniciou há pouco mais de um mês. E eu compreendo isso, de verdade, mas também me decepcionei ao ver o protagonista repetindo preconceitos que eu já esperava que ele estivesse apto a, pelo menos, questionar. Com a intensidade de suas experiências com Milla e ao se dar conta de quão vasto é o mundo fora das paredes onde nasceu e cresceu, eu supunha que Tal já estivesse pronto para não olhar para o Povo Inferior como… inferior. Considerando que eu elogiei justamente o amadurecimento dos protagonistas no volume anterior, fiquei um tantinho chateada.

Acima do Véu foi o primeiro volume inédito desde que decidi revisitar a série A Sétima Torre. Por enquanto, a experiência tem sido bacana, apesar dos altos e baixos (reli minhas resenhas e percebi que intercalei entre “nossa, amei” e “hmmm só gostei” 😂). Estou curiosa para saber o que os dois últimos volumes da saga me reservam e pretendo concluí-la até o fim do ano. Continuo com a opinião de que a série é uma ótima opção pra quem gosta de livros de fantasia e buscam uma leitura rápida, mas criativa e instigante.

Título original: Above the Veil
Série:
A Sétima Torre
Autor:
Garth Nix
Editora:
Nova Fronteira
Número de páginas:
255
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! 

13 comentários sobre “Resenha: Acima do Véu – Garth Nix

  1. Olá,
    Eu não conhecia a série, mas acho que já ouvi falar no autor por um outro livro.
    Não sou muito habituada por fantasias, mas achei alguns fios interessantes. Se futuramente rolar posso conhecer – apesar das ressalvas em relação a esse volume.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

  2. Oi, Priih!
    Apesar de gostar muito de livros de fantasia, ando meio cansada do gênero. Parece que todos seguem a mesma fórmula e são compilados de outros livros conhecidos 😛
    Como você disse que o universo criado pelo autor é único, fiquei super curiosa! Não conhecia a série, mas vou salvar a indicação ♥

    Estante Bibliográfica

  3. Olá, Priih.
    Estava fazendo algumas postagens aqui para o blog e uma delas é uma tag de livros de fantasia e coloquei essa série como livros que deveriam ser mais conhecidos hehe. Eu acho essas capas horrorosas, mas a leitura vale a pena.

    Prefácio

  4. Oii Priih!
    Não conhecia a série, mas gostei da história, apesar de não parecer ter nada muito inovador. Uma pena quando se perde uma dinâmica boa entre personagens como aconteceu ali com os personagens Milla e Tal.
    Boa escolha para resenha 🙂
    Bom fim de semana!
    Bjos

  5. Oi, Priih. Tudo bem?
    Eu li alguns livros dessa série na minha época de escola porque pegava na biblioteca, mas nunca terminei. Eu me lembro claramente do primeiro livro, mas não muito dos outros, amei que você falou da evolução dos personagens não acontecer muito devido serem sequências imediatas, mas não lembrava do preconceito do personagem. Eu realmente quero reler essa série.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s