Dica de Série: Peaky Blinders

Oi galera, tudo bem?

Já que o isolamento me obriga a passar quase todo o tempo livre na frente da TV (como se eu já não fizesse isso antes), vim contar pra vocês o que achei de uma das séries que a que assisti recentemente: Peaky (“focking” – sim, com “o”) Blinders.

peaky blinders

Sinopse: Uma notória gangue da Inglaterra de 1919 é liderada pelo cruel Tommy Shelby, um criminoso disposto a subir na vida a qualquer preço.

Ambientada no início do século XX, a série dramatiza a história do grupo criminoso de mesmo nome. A gangue Peaky Blinders realmente existiu, mas sua influência na vida real foi bem menor. Nas telas, entretanto, vemos a ascensão do grupo – comandado por Thomas Shelby – nos territórios de corridas e apostas ilegais e, posteriormente, com outros tipos de contrabando.

Peaky Blinders é capaz de transportar o espectador para o tempo na qual se passa, dos cenários sujos de fuligem aos figurinos típicos da época. A produção, que se passa pouco depois da Primeira Guerra Mundial, trata de assuntos como Transtorno do Estresse Pós-Traumático, luta de classes, greves operárias, popularização de ideais comunistas, corrupção policial e, é claro, muita violência. Por meio de movimentos estratégicos inteligentes, mas também inúmeras lutas sangrentas com outras gangues e rivais, Thomas guia os Peaky Blinders por um caminho que os eleva a “donos” de Birmingham. Conforme as temporadas avançam, os Shelby buscam expandir seu território, entrando em conflito com outros gângsters e até mesmo com nomes importantes da política inglesa.

peaky blinders 2

Com a ressalva de ser uma série bastante focada na “virilidade” dos irmãos Shelby (aspecto que pode causar uma reviradinha de olho), Peaky Blinders tem um desenrolar bastante envolvente. A busca de Thomas por ascensão o coloca em diversas situações em que a sagacidade se faz necessária. Entre alianças e traições, o líder do grupo acaba sendo um anti-herói pelo qual nos vemos torcendo. Somado a isso, especialmente na primeira temporada, há toda a tensão causada pela existência de uma infiltrada em seus negócios: Grace é uma agente da coroa que passa a trabalhar em um  dos pubs dos Shelby para fornecer informações à polícia. A tensão sexual entre ela e Thomas vai crescendo com o passar dos episódios, e as reviravoltas no final da primeira temporada são ótimas.

peaky blinders 3

É difícil dizer que os personagens são exemplares porque, afinal, a maioria deles está envolvida com merda até o pescoço. Ainda assim, as atuações competentes e o desenvolvimento gradual da trama faz com que a gente comece a empatizar com eles, especialmente quando a fragilidade oculta pela dureza do cotidiano se manifesta. Thomas, por exemplo, é um líder implacável, mas também alguém atormentado pelas lembranças da guerra. Arthur, seu irmão mais velho, é um dos personagens mais emocionalmente quebrados da série: ele se questiona por não ser o líder da família (apesar de ser o primogênito), busca consolo nas brigas e na bebida, se envolve com drogas, enfim… tem diversos problemas emocionais com os quais ele não sabe lidar. E, com o passar dos episódios, a série vai revelando as nuances dos outros personagens também – com um foco maior, é claro, em Tommy.

Peaky Blinders trabalha bem a realidade e as dificuldades vividas pela sociedade inglesa no início do século XX. As cenas de violência podem incomodar um pouco os mais sensíveis, mas não chegam nem perto de ser grotescas ou gore. A qualidade da produção – da trama às atuações e ambientação – é inegável, e se você procura uma série capaz de envolver e transportar você pra realidade de outrora, vale a pena dar uma chance. 🙂

Título original: Peaky Blinders
Ano de lançamento: 2013
Direção: Steven Knight
Elenco: Cillian Murphy, Helen McCrory, Paul Anderson (XVIII), Annabelle Wallis, Joe Cole

14 comentários sobre “Dica de Série: Peaky Blinders

  1. Olá, Priih.
    Eu ao contrário estou lendo mais e assistindo menos. Como assisto no computador e meu cunhado está usando para o trabalho dele, tenho menos tempo para assistir. Quando uso é mais para fazer as postagens do blog hehe. Não conhecia essa série ainda e fiquei na dúvida se quero assistir ou não. Esse estilo de série não é um que me interesse tanto.

    Prefácio

  2. Oii, Priih
    Eu já tinha visto essa série em alguns locais mas nunca tinha procurado saber sobre o que de fato ela se tratava e parece ser interessantíssima a história, vou deixar anotada aqui. Ultimamente estou vendo muitas séries então quem sabe não inicie logo essa.

    Beijinhos

  3. Já tinha ouvido falar sobre essa série, tenho um amigo que me recomendou também, mas, no momento, estou sem conseguir ver coisas relacionadas à violência, rs Vou deixar na lista para assistir depois, com certeza. Gostei do texto apresentando a série, já sei mais ou menos o que esperar dela a partir do teu escrito ><

    monautrecote.blogspot.com

  4. Oii Priih!
    Gostei bastante dessa série. Inicialmente há um momento de se acostumar com o impacto do comportamento dos personagens, mas a série tem méritos ao conseguir gerar empatia com os personagens. Também é interessante poder enxergar a realidade vivida naquela época por meio dos olhos de fora da lei como a gangue dos Peakey Blinders.
    Bom fim de semana!
    Bjos

  5. Oi Priih,
    Voltei ao trabalho presencial essa semana, então espero voltar as maratonas de final de semana, porque na quarentena mesmo, eu não conseguia ver séries, acredita? Por sorte, a leitura super fluiu.
    Essa série está na minha lista, pois gosto muito da ambientação/fotografia. Não me incomodo de ser um pouco pesada, desde que faça sentido com a temática, que é o que parece ser.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s