Resenha: Mulheres na Luta – Marta Breen e Jenny Jordahl

Oi pessoal, tudo bem?

Graças à leva de e-books gratuitos disponibilizados nessa quarentena, tive a oportunidade de conferir Mulheres na Luta: 150 anos em busca de liberdade, igualdade e sororidade. Vamos conhecer? 🙂

mulheres na lutaGaranta o seu!

Sinopse: Há 150 anos, a vida das mulheres era muito diferente: elas não podiam tomar decisões sobre seu corpo, votar ou ganhar o próprio dinheiro. Quando nasciam, os pais estavam no comando; depois, os maridos. O cenário só começou a mudar quando elas passaram a se organizar e a lutar por liberdade e igualdade. Neste livro, Marta Breen e Jenny Jordahl destacam batalhas históricas das mulheres — pelo direito à educação, pela participação na política, pelo uso de contraceptivos, por igualdade no mercado de trabalho, entre várias outras —, relacionando-as a diversos movimentos sociais. O resultado é um rico panorama da luta feminista, que mostra o avanço que já foi feito — e tudo o que ainda precisamos conquistar.

Antes de entrar no conteúdo propriamente dito, a primeira coisa que gostaria de pontuar é que, mesmo sendo e-book, o app do Kindle oferece a experiência de leitura necessária. O que isso quer dizer? Mulheres na Luta é contado essencialmente por meio de ilustrações e quadrinhos. Imaginei que, por conta disso, a leitura no app seria prejudicada, o que não acontece: cada clique para virar a página leva você para o quadrinho seguinte, de maneira bastante fluida. Confesso que o movimento por vezes me deu um pouco de enjoo, mas acho que é uma particularidade minha enquanto leio (às vezes me sentia enjoada no ônibus também). 😛

Dito isso, afirmo que gostei muito de conferir Mulheres na Luta. A obra narra as ondas feministas e fala sobre os principais nomes que fizeram parte das conquistas das mulheres. Contudo, diferente de Extraordinárias, que tenta sair do lugar-comum ao trazer nomes pouco lembrados, Mulheres na Luta dá mais espaço para a visão branca e de classe média do movimento.

resenha mulheres na luta

Apesar desse porém, o livro é muito legal e de fácil leitura. Para quem está se interessando pelo assunto, a obra é ilustrativa e didática, trazendo drops da história do movimento feminista de maneira envolvente. As ilustrações também são muito bacanas e vale a pena dedicar alguns momentos para conferi-las com atenção.

Mulheres na Luta é uma obra mais introdutória a respeito do feminismo, mas nem por isso dispensável. Por meio de tirinhas e ilustrações, o livro passa sua mensagem de maneira leve, mas ainda assim relevante. É uma leitura que eu indicaria especialmente para meninas mais jovens, por exemplo, para instigar a curiosidade a respeito do movimento. E, é claro, pra todo mundo que se interessa em saber um pouco mais sobre a história da luta que possibilitou nossas conquistas. Quando nos damos conta de que não faz muito tempo que determinados direitos foram adquiridos é que a gente percebe que não podemos relaxar. Que a luta das que vieram antes nos inspire sempre. 🙂

Título Original: Women in Battle
Autor: Marta Breen e Jenny Jordahl
Editora: Seguinte
Número de páginas: 128
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤

22 comentários sobre “Resenha: Mulheres na Luta – Marta Breen e Jenny Jordahl

  1. Oi, Pri como vai? Este livro deve ser muito bom, embora introdutório presumo que haja nele conteúdo suficiente e interessante para mostrar as mulheres mais novas por onde e como começar. Como sempre sua resenha ficou maravilhosamente bem escrita. Você já deve estar cansada de ler eu escrevendo elogios às suas resenhas, mas é que eu gosto de ler análises bem elaboradas e, suas resenhas estão entre as melhores que conheço. Parabéns! Abraço.

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

  2. Deve ser muito bom livro. Relata um tema muito polêmico. As mulheres conquistando seu espaço, em todas as áreas.

    Obter o Outlook para Android

    ________________________________

  3. Olá, Priih.
    Eu também peguei esse livro de graça esses dias. Ainda bem porque ele custa quase 40 reais hehe. Acho muito interessante o assunto abordado e assim que der vou ler ele. Espero não ter essa dificuldade que você teve. mas como não tenho problema em ler em ônibus acredito que não terei hehe.

    Prefácio

  4. Oi Priih, eu nunca tinha lido pelo app do celular, pois tenho o próprio leitor kindle. Mas agora com o celular da minha mãe, estou fazendo a experiência com o app e é até legal. A vantagem é que é colorido, então para quadrinhos, certamente funcionou um pouco melhor, embora você tenha ficado enjoada… =/ Com relação à obra, eu achei legal a iniciativa, ainda mais para meninas, para já ir sabendo um pouco de nossa história nessa luta.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

  5. Oi, Pri. Tudo bem?
    Acho que meu kindle está desconfigurado, estou com dificuldade para ler quadrinho nele. Mas amei sua resenha, eu sempre via esse ebook e não imaginava que era quadrinhos. Aliás amo que seja quadrinhos contando histórias de mulheres e que não seja ficcção.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

  6. OI Vanessa, tudo bem? Nossa, um livro necessário, não? Acho que precisamos sempre conhecer mais sobre essa luta, sobre as conquistas alcançadas e sobre tudo o que ainda precisamos batalhar. Legal ser baseado em ilustrações e mesmo assim estar bem adaptado ao kindle. Movimentações na tela também me dão enjoo. Mas acho que isso é particular de algumas pessoas.
    beijos
    Chris

    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest

  7. Parece mesmo ser um livro introdutório ao movimento feminista, mas achei interessante que ele é ilustrado, e realmente, chama a atenção dos mais jovens.
    Eu não sinto enjoo ao ler no Kindle, mas meu marido sente ao ler qualquer coisa em qualquer lugar que faça movimento, ou seja, acho mesmo que isso é algo bem pessoal, haha. E que bom que ler de forma digital não te tirou a experiência com as ilustrações, pois eu tbm já li até HQ’s no Kindle e não tive problemas.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

  8. Oie Pri, tudo bem?

    Tantos anos de luta e ainda precisamos todos os dias continuar lutando por nossos direitos. Sempre converso sobre isso com a minha mãe e meus amigos, que embora o progresso pareça enorme em algumas coisas e outras ainda estamos patinando.

    Torço para que no futuro as mulheres se sintam de fato seguras, tenham bons salários e conquistem mais espaço na política. Porque enquanto a maioria que dita as regras continuar sendo machista e preconceituosa, vamos continuar a andar a passos lentos.

    Beijos;*
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s