Resenha: A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro – Amanda Lovelace

Oi pessoal, tudo bem?

Pensei um pouco antes de decidir trazer a resenha do livro de poemas A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro, em função da experiência negativa que foi conferi-lo. Mas acho importante usar esse espaço pra trocar com vocês não apenas sobre as coisas que funcionam, mas sobre as que não funcionam também. Vou explicar o porquê. 😉

a bruxa nao vai para a fogueira neste livroGaranta o seu!

Sinopse: Aqueles que consideram “bruxa” um xingamento não poderiam estar mais enganados: bruxas são mulheres capazes de incendiar o mundo ao seu redor. Resgatando essa imagem ancestral da figura feminina naturalmente poderosa, independente e, agora, indestrutível, Amanda Lovelace aprofunda a combinação de contundência e lirismo que arrebatou leitores e marcou sua obra de estreia, A princesa salva a si mesma neste livro, cujos poemas se dedicavam principalmente a temas como relacionamentos abusivos, crescimento pessoal e autoestima.

Eu não sou a maior fã de poesia, mas Outros Jeitos de Usar a Boca, da Rupi Kaur, se revelou uma ótima leitura. Sua maneira contundente de abordar o universo feminino me tocou e dialogou comigo, e me surpreendi com o quanto gostei da experiência. Isso me motivou a dar uma chance ao A Bruxa (…), da Amanda Lovelace, pois acreditei que a temática feminina pudesse ter alguma semelhança. Ledo engano.

A autora (não sei se consigo chamá-la de poetisa rs) usa a metáfora das bruxas queimadas na fogueira pra tratar da opressão histórica feminina. Bruxa, fósforo e fogueira são palavras que permeiam a maior parte dos poemas, focados em explorar a crueldade dos homens em relação às mulheres ao longo do tempo – inclusive no presente. A ideia é bacana e o assunto é importante, o que me fez apostar no potencial da obra. Na prática, porém…

A verdade é que A Bruxa (…) é um amontoado de frases de efeito que poderiam ter sido escritas por adolescentes raivosas no Tumblr. A repetição extenuante de palavras e recursos linguísticos torna o livro muito, muito, mas muuuito pobre. Teve uma hora que eu pensei “se eu ler mais algum poema com fósforo nessa porra eu jogo o Kobo na parede”. Quando decidi dar uma chance aos poemas, imaginei que a metáfora das bruxas (que foram queimadas por usarem seus saberes de uma maneira que os homens da época não entendiam) seria utilizada de uma forma mais rica; afinal, é de fato uma maneira interessante de abordar o machismo que sofremos até hoje. Porém, foi apenas uma desculpa para falar em fósforos, fogueira e fogo o tempo todo mesmo.

resenha a bruxa nao vai para a fogueira neste livro

Eu costumo defender a ideia de que temos, sim, motivos pra ter raiva – especialmente do sistema patriarcal que ainda regula nossas vidas. Mas Amanda Lovelace não consegue pegar essa raiva, esse “fogo”, e transformar em algo que provoque reflexão. Parece só uma garotinha revoltada escrevendo mil vezes a mesma coisa com palavras (nem tão) diferentes. Não sei nem se serve pra provocar debates – porque, se servisse, poderia ter utilidade mesmo com a baixa qualidade narrativa. Mas, ao contrário do efeito provocado por Rupi Kaur, aqui não consegui gostar de nem um único poema, pois as palavras não envolvem e, mesmo quando abordam temas pesados, não emocionam.

Respeito quem possa gostar de A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro, mas eu não recomendo a leitura. Se você deseja uma reflexão mais profunda, diversa e madura sobre as vivências femininas, Outros Jeitos de Usar a Boca é uma escolha muito melhor.

Título Original: The Witch Doesn’t Burn in This One
Série: As mulheres têm uma espécie de magia
Autor: Amanda Lovelace
Editora: LeYa
Número de páginas: 208
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤

15 comentários sobre “Resenha: A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro – Amanda Lovelace

  1. Oi, Pri como vai? Sinto muito de a leitura ter lhe causado tanta raiva. Eu particularmente amo livros poéticos, no entanto eu não li esse livro e depois de ler sua resenha sobre o mesmo, acredito que o livro não me agradará, embora eu goste por demais ler livros de poemas. Presumo que a leitura tenha sido terrível pra você, visto que, as palavras são repetitivas, sem contar o fato de você não curtir ler livros de poesias. Que chato. De todo modo a leitura deva agradar alguns leitores não é mesmo. Eu não arriscarei a leitura desse livro, infelizmente. Ótima resenha, como sempre você muitíssimo competente em elaborar uma resenha bem feita. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

  2. Oi Priih, então, eu amei os dois livros da Rupi e quando peguei um livro desta autora para ler, nossa, foi decepção, eu até abandonei e o que foi mais engraçado, fui ler achando que poderia encontrar algo como nos dois livros da Rupi.
    Amei sua resenha sincera viu!!

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

  3. Oi, Priih

    Eu também não sou fã de poesia. São raras aquelas que conseguem passar alguma mensagem concreta para mim, por isso raramente tento fazer alguma leitura do gênero.
    Que pena que você resolveu abrir essa exceção e acabou se decepcionando com as frases adolescentizadas. Eu sempre digo que para haver feminismo não precisa haver misandria, essa forma raivosa de externalizar as coisas me irrita profundamente. Enfim, é uma obra que com certeza não irei conferir.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  4. Olá, Priih.
    Quando vi esse titulo eu fiquei com muita vontade de ler o livro. Dai vi que não era ficção e deixei de lado. É uma pena que não funcionou com você porque li algumas resenhas bem positivas dele. Realmente não basta ter raiva e sim levar o povo a pensar e mudar suas atitudes.

    Prefácio

  5. NOSSA, você chegou na mesma conclusão que eu quando li o livro. Comprei por ter um nome, capa e tema bem chamativos, já que é bem raro de se encontrar livros que abordem feminismo e achei a ideia de envolver a metáfora das bruxas, algo bem interessante mas quando li, senti apenas sono. Parecia que era tudo a mesma coisa e no final isso foi decepcionante.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

  6. Oi
    Gostei da sua resenha, eu estava pensando uma coisa completamente diferente sobre esse livro e já tinha até pensado em comprar, mas depois de ler a sua resenha, vou dar uma olhada no livro com calma pra ver se vou gostar dessa leitura…

  7. Gostei da resenha, Priih! Uma pena o desperdício do tema do livro, não é mesmo? Vou pesquisar o tema, pois muito me interessa. Descobri o seu site pela NS Moraes, estou adorando! Sucesso!

    miloambrus.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s