Dica de Série: Queer Eye

Oi gente, tudo bem?

Eu tenho um novo vício (por sinal, assisti inteiro em uma semana e meia) e ele se chama Queer Eye. ❤ Hoje vim contar um pouquinho mais pra vocês desse reality que, como o próprio subtítulo já diz, é muito mais que um makeover.

queer eye poster

Sinopse: As caras são novas, mas as missões continuam fabulosas! Estes gênios do makeover são muito mais que rostinhos bonitos.

Eu não sou uma espectadora de reality shows, de maneira geral. Entretanto, buscando por algo leve para passar o tempo, decidi conferir o elogiadíssimo Queer Eye. O reality é um remake da série Queer Eye for the Straight Guy e é formado pelos Fab Five (ou Fabulous Five): Jonathan, responsável pela aparência; Bobby, responsável pelo design e arquitetura; Tan, responsável pela moda; Antoni, responsável pela gastronomia e Karamo, responsável pelos aspectos sociais e psicológicos. Inicialmente, os episódios focavam em homens hétero no sul dos Estados Unidos (já dá pra imaginar o conflito cultural, né?), mas com o passar das temporadas outros tipos de participantes são selecionados.

queer eye

É impossível falar de Queer Eye sem falar do carisma dos Fab Five. Eles são homens gays especializados em coisas distintas, mas cujo maior objetivo é ajudar a mudar a vida das pessoas que participam do reality. Os membros do grupo são empáticos, gentis, sensíveis, educados e, quando precisam, não hesitam em pontuar verdades (algumas delas bem difíceis) que os participantes precisam ouvir. Além disso, com o passar dos episódios também vamos descobrindo detalhes das vidas particulares dos Fab Five, e percebemos que o rótulo “homem gay” é restrito demais para resumir toda uma identidade.

queer eye (2)

Tan, por exemplo, é casado há anos com outro homem, mas nunca tinha adentrado o universo trans até trabalhar com o participante trans. Bobby cresceu frequentando a igreja e, devido ao preconceito religioso que sofreu, se afastou dela – o que torna difícil pra ele quando precisam ajudar uma senhora que vive dedicada à igreja e também tem um filho gay. Esses são apenas exemplos da diversidade de experiências e sentimentos que as pessoas (sejam elas gay ou não) sentem e vivem. Colocar pessoas em caixinhas jamais vai contemplar as inúmeras nuances, crenças, valores e sentimentos que elas podem sentir, e Queer Eye evidencia isso.

queer eye (3)

Outro aspecto muito interessante é, como mencionei antes, o choque cultural que a série provoca em muitos episódios. Por exemplo: os Fab Five visitam a casa de um homem que votou no Trump, sendo que além deles serem gays, um dos membros tem ascendência paquistanesa e o outro é negro. O desconforto é óbvio, né? Mas isso não impede que as pessoas envolvidas tentem se entender e, principalmente, ouvir uns aos outros. Diálogos sobre machismo, racismo, xenofobia, transtornos psicológicos e muito mais fazem parte do reality. Resumindo, Queer Eye dá margem para discussões fundamentais e leva esses debates a pessoas que talvez não tivessem a chance de tê-los.

queer eye (4).png

Queer Eye realmente vai muito além de um makeover. A aparência é apenas um dos aspectos que os Fab Five utilizam para elevar a autoestima dos participantes. Eles buscam entender todos os problemas que a pessoa está vivenciando naquele momento e que a impedem de buscar seus objetivos ou aquilo que realmente querem ser. Tudo isso em meio a diálogos maravilhosos, MUITO carisma e bom humor e uma infinidade de cenas emocionantes (eu chorei em 95% dos episódios, sério). Assistam, vocês não vão se arrepender! ❤

Título original: Queer Eye
Ano de lançamento: 2018
Criador: David Collins
Elenco: Antoni Porowski, Tan France, Karamo Brown, Bobby Berk, Jonathan Van Ness

24 comentários sobre “Dica de Série: Queer Eye

  1. Oi Priih! Eu confesso que não conhecia esse reality (e não sou muito adepta desse tipo de programa, rs). Mas gostei bastante da ideia, pois são pessoas incríveis pelo visto, dando um banho na sociedade que ainda insiste em manter padrões. Amei principalmente a questão dos desafios, principalmente nas discussões políticas, que até nos fazem pensar sobre nossa atual situação aqui no Brasil…
    Valeu pela dica! =)
    Bjks!

    Mundinho da Hanna | Instagram

  2. Olá, Priih.
    Eu vi reality e já torci o nariz. Mas fui lendo sua resenha e fiquei muito interessada em assistir. Imagino como deve ser emocionante ver as diferenças entre eles sendo encaradas e resolvidas. Sou meio manteiga então já vou com um lencinho hehe.

    Prefácio

  3. Oi Priih, tudo bem?
    Não conhecia a série e também não sou muito fã de reality, principalmente daqueles que simplesmente colocam participantes presos em algum lugar no estilo “se virem e que um vença”. Já quando é uma competição de culinária, ou com um objetivo mais interessante como esse que você citou eu até assisto. Realmente fiquei curiosa e com vontade de assistir Queer Eye depois de ler sua resenha. Parece ser muito interessante e emocionante.

    Adorei seu blog! Já está na minha lista de leituras!

  4. Oi Pri!

    Eu particularmente não curto realitys, pois de verdade acho que é tudo armado desde o começo. Talvez por esse motivo, não conhecia a sua indicação. Achei a premissa bem interessante e até mesmo divertida. O problema é ter tempo para assistir, já que ultimamente nem para ler ando conseguindo.

    Mas a dica está anotada!

    Beijos;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

  5. Oi, Priih!
    O amor da minha vida tem nome e se chama Antoni Porowski hahahaha Apesar de amar reality shows, esse também caiu no meu colo sem querer e me apaixonei. Menina, super te entendo quando você disse que chorou em 95% deles, porque até agora eu só não chorei em um HAHAHAHA Não tem como não se sentir tocado pelas histórias de vida de cada um deles, seja participante ou um dos Fab Five, né? Sou apaixonada por eles ❤
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

  6. Quando também quero algo leve para assistir, eu vejo alguns episódios dessa série. Não sabia que era um remake, mas realmente imagino como devia ser contraditório homens héteros tendo a ajuda de cinco gays em um makeover, haha. Aliás, devia ser um tapa na cara da sociedade! Queer Eye faz muito isso, ele desrotula as pessoas.
    Amei seu post, quando a série é boa a gente tem mesmo que compartilhar e indicar!
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥ | Instagram – Vem interagir no Insta tbm!

  7. Pingback: Séries leves na Netflix pra assistir na quarentena | Infinitas Vidas

  8. Pingback: Dica de Série: Say I Do | Infinitas Vidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s