Dica de Série: The ABC Murders

Oi gente, tudo bem?

Depois de And Then There Were None e Ordeal by Innocence, cá estou pra falar de mais uma minissérie da BBC que adapta um livro de Agatha Christie: The ABC Murders. Vamos descobrir o que achei? Lembrando que não li o livro, então minhas opiniões são exclusivamente sobre o que foi mostrado na série. 😉

the abc murders

Sinopse: O icônico detetive criado por Agatha Christie, Hercule Poirot (John Malkovich), investiga um inimigo mais inteligente e desafiador do que ele jamais imaginou. Em uma Inglaterra da década de 1930 cada vez mais dividida, um assassino em série conhecido apenas como A.B.C. assola a população. Em cada cena do crime a única pista deixada é um guia de trens popular na Inglaterra de título “ABC”.

A minissérie de 3 episódios adapta uma das aventuras de Hercule Poirot, que agora é um idoso sem a notoriedade de outrora. Visto pelos outros como decadente, Hercule vive uma vida discreta, ainda que demonstre melancolia em sua expressão. Porém, o brilhante detetive é obrigado a entrar em cena novamente quando um criminoso, que se autodenomina A.B.C., lhe envia uma carta, instigando-o a encontrá-lo e demonstrando motivações pessoais para acioná-lo. Quando o primeiro assassinato acontece (cujo local e vítima tinham nomes iniciados em A), Hercule percebe que os planos do assassino são meticulosos e não vão parar. Entretanto, o novo inspetor da polícia – Crome, um jovem querendo provar seu valor – não parece inclinado a deixar Hercule colaborar.

the abc murders 3.png

Que o gênero policial é meu favorito não é novidade, então sempre fico animada para conferir tramas assim, com a perseguição de algum serial killer, um embate entre duas mentes brilhantes e um mistério bem desenvolvido. A primeira coisa que me chamou a atenção em The ABC Murders é que, aparentemente, o último elemento não existia: a série mostra o rosto do homem chamado Alexander Bonaparte Cust logo de cara. No decorrer dos três episódios, acompanhamos duas perspectivas: a de Alexander e a de Hercule, que acaba sendo contratado pelo irmão de uma das vítimas para investigar o caso oficialmente.

Hercule está um tanto abatido em The ABC Murders. Na época em que a trama acontece, a Inglaterra está promovendo campanhas segregacionistas, e é nítido o desconforto do detetive belga, que há anos vive no país e colabora com ele tanto quanto qualquer cidadão inglês. Além desse clima separatista desconfortável e injusto, o detetive também está inseguro com sua idade e com a falta de propósito que parece lhe acometer, e foi bem surpreendente ver Hercule Poirot tão vulnerável. Entretanto, ele é inabalável e em nenhum momento pensou em desistir de investigar o caso, cujo número de vítimas só crescia.

the abc murders.png

O que me decepcionou em The ABC Murders foi o fato de que Poirot não brilhou – e isso não tem a ver com o fato de ele estar “decadente”. Sua inteligência e sagacidade seguiram presentes ao longo da trama, mas de algum modo a série não conseguiu transmitir isso. Senti, enquanto assistia, que as contribuições de Hercule para o caso eram pequenas demais, e portanto a resolução do crime também acabou perdendo um pouco o impacto. Entretanto, para ser justa, a revelação final foi muito boa, transformando uma motivação gananciosa em uma psicopatia e um gosto por matar. Outro ponto fraco está no ritmo dos episódios. Por diversas vezes há flashes do passado de Poirot que prometem uma revelação (que, de fato, surpreende); o problema é que esse recurso é usado de modo repetitivo, cansando o espectador. Ainda sobre o ritmo, a série peca em não causar aflição em quem assiste. Em nenhum momento prendi o fôlego ou temi pelos personagens, o que foi uma pena.

As atuações me surpreenderam, especialmente de Andrew Buchan (Franklin Clarke), Eamon Farren (Alexander Cust) e Rupert Grint (Inspetor Crome). Aliás, gostei de ver essa nova faceta de Rupert Grint. Fora Harry Potter, eu só tinha visto outra série com ele, Sicknote, mas detestei e larguei na segunda temporada. Mesmo não tendo curtido a série, já tinha percebido que Rupert tem potencial, e The ABC Murders me confirmou isso. A potterhead que vive em mim espera vê-lo em mais produções por aí. 😀

the abc murders 2.png

Em suma, The ABC Murders não é uma série ruim, mas também não é memorável. Ela tem um plot twist bem bacana (o que fez ganhar pontos comigo), mas peca no ritmo dos episódios e no tratamento dado a Poirot. Apesar disso, a proposta da trama em si me agradou e me deixou com vontade de ler o livro: quero muito ver as diferenças existentes, especialmente na resolução do caso (espero que Poirot seja mais participativo!). Se você tiver um tempinho de sobra e quiser conferir uma série bem produzida, mas não perfeita, vale a pena espiar The ABC Murders. o/

Título original: The ABC Murders
Ano de lançamento: 2018
Direção: Sarah Phelps
Elenco: John Malkovich, Rupert Grint, Eamon Farren, Andrew Buchan, Tara Fitzgerald, Freya Mavor

24 comentários sobre “Dica de Série: The ABC Murders

  1. Olá, Priih

    Bom, como já mencionei algumas vezes, não sinto interesse por ser uma adaptação de uma obra da autora.
    Interessante você falar isso sobre o Poirot, sobre ele não brilhar, pois meu problema é exatamente achar isso desde sempre. Pra mim ele não tem nada demais e minha grande decepção com a autora vem daí. Dentre os detetives/investigadores/policiais e afins que eu já tive a oportunidade de conhecer, Poirot, pra mim, tá quase lá no fim da fila.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  2. Olá, Priih.
    Eu até estava querendo muito assistir. Mas depois que fiquei sabendo que ignoraram a existência do capitão Hastings, perdi a vontade porque sei que vou passar raiva. Como assim o Watson do Poirot não está na série? E agora ainda lendo que ele não brilha é que não vou assistir mesmo.

    Prefácio

  3. Oiii Prih

    Também gosto demais do gênero policial, e o personagem do Poirot criado pela Agatha, transmite uma magia que pra mim só perde pro meu favorito Sherlock Holmes. Uma pena que a série não consegue transmitir essa aura de genialidade do Poirot, pois era ai que residia o encanto todo. Parece ser uma série interessante mas nada espetacular, acho que veria só mesmo por curiosidade, porque ainda não deu pra conferir Rupert Grint em outros personagens

    Beijos, Ivy

    http://www.derepentenoultimolivro.com

  4. Eu amo as obras da Agatha Christie, e as adaptações dela tb. Essa eu ainda não vi, e é uma pena que não tenha sido tudo o que vc esperava. Mesmo assim ficou claro que continua sendo uma boa pedida, então eu verei com certeza, hehe!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

  5. Oi Prih,
    Eu não li o livro também, mas curti bastante essa mini, apesar de não ser minha fav.
    Gostei de darem um olhar no Poirot como se ninguém o conhecesse.
    E amei terem escalado o Eamon, adoro o trabalho dele.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

  6. Oi Priih, estou doida para conferir essa série. Também amo gênero policial e Agatha é a rainha dele né? Fiquei triste só pelo fato do Poirot não ser tão trabalhado. Logo ele que é tão inteligente e resolveu tantos casos. Não custava nada colocar ele num papel mais representativo… Mas enfim, verei mesmo assim.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna

  7. Pingback: Dica de Série: The Witness for the Prosecution | Infinitas Vidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s