Review: Aladdin

Oi gente, tudo bem?

Apesar de não ser a maior fã da animação, fiquei curiosa com a quantidade de elogios ao novo filme do Aladdin. Fui conferir também e não é que eu adoreeei? ❤

aladdin poster.png

Sinopse: Aladdin (Mena Massoud) é um jovem ladrão que vive de pequenos roubos em Agrabah. Um dia, ele ajuda uma jovem a recuperar um valioso bracelete, sem saber que ela na verdade é a princesa Jasmine (Naomi Scott). Aladdin logo fica interessado nela, que diz ser a criada da princesa. Ao visitá-la em pleno palácio e descobrir sua identidade, ele é capturado por Jafar (Marwan Kenzari), o grão-vizir do sultanato, que deseja que ele recupere uma lâmpada mágica, onde habita um gênio (Will Smith) capaz de conceder três desejos ao seu dono.

O novo filme da Disney não muda a essência da trama original: Aladdin é um jovem ladrão que vive na cidade de Agrabah. Quando Jafar, o vizir do sultão, percebe suas habilidades, o convoca para roubar uma lâmpada na Caverna dos Tesouros. O plano dá errado (para Jafar), mas Aladdin fica de posse do objeto, que ele descobre ser mágico: na lâmpada vive o Gênio, um ser extremamente poderoso que pode realizar 3 desejos ao seu amo. Decidido a conquistar a princesa de Agrabah, Jasmine, que Aladdin conheceu por acaso enquanto a jovem fingia ser plebeia, o rapaz elabora um plano para “ser digno” da princesa.

aladdin.png

Apesar de não alterar praticamente nada do desenrolar da trama, o novo Aladdin traz adições muito válidas quando comparado ao filme original. Os sentimentos dos protagonistas são mais bem desenvolvidos aqui: Aladdin em diversos momentos aborda a sensação de desgosto por ser considerado somente um ladrão, sabendo que tem mais a oferecer; Jasmine, por sua vez, não está preocupada somente com seu direito de escolher com quem se casar, ela também deseja ter participação política e herdar o título do pai.

E esse aspecto da personalidade da princesa foi uma das coisas de que mais gostei nesse live-action. Jasmine sempre foi uma personagem mais afrontosa e decidida, mas seus anseios no filme original ainda giravam em torno do amor romântico e do casamento. Na versão 2019, o filme entende o contexto sociopolítico atual, e Jasmine – que é princesa de uma terra fictícia inspirada na cultura islâmica, onde as mulheres têm seus direitos bastante diminuídos –, quer que sua voz seja ouvida. Ela sabe que é capaz de governar e que não precisa de um homem para ser seu marido e conduzir o reino. Ela é racional, pacífica, justa e preocupada com o povo. E justamente por saber seu valor ela não admite ser silenciada pelos homens que a cercam – o que rende uma das mais belas canções do filme, que não existia no original.

aladdin jasmine.png

Os figurinos e ambientação também são de cair o queixo. Aladdin é um verdadeiro musical, exatamente como os desenhos da Disney costumavam ser, e eu adorei o modo como encaixaram as canções ao longo da trama. Com um clima bem Bollywood nas coreografias e cores, cada cena é um encanto. Eu fiquei tão apaixonada que mesmo cenas e canções que eu não curtia tanto no original (como a do Gênio) me conquistaram totalmente no live-action.

aladdin (2).png

Em relação ao elenco, eu adorei praticamente todas as atuações. O Aladdin de Mena Massoud é carismático, gentil e tem um sorriso que te faz simpatizar com ele na hora. O Gênio de Will Smith é muito bom, dosando muito bem as cenas de humor e as de maior seriedade. Realmente curti muito o trabalho dele nesse papel. Há também uma grata surpresa: trata-se de uma nova personagem, cujo humor inocente é muito bem-vindo. Jasmine, como eu já disse antes, é maravilhosa. O sultão não é o personagem bobo e atrapalhado do longa original, tendo uma personalidade mais realista e uma verdadeira preocupação com o bem-estar da filha (apesar dos erros cometidos).

aladdin genio.png

Entretanto, nem tudo são flores, e o maior ponto fraco do filme está justamente em seu vilão. Ao contrário do imponente Jafar da animação, o antagonista do live-action não intimida nem impressiona. Além da voz fina (que já destoa da lembrança que eu tinha do Jafar original e sua voz marcante, tanto em inglês quanto em português), o vilão não tem a imponência necessária para que a gente o considere uma verdadeira ameaça. As únicas coisas bacanas a seu respeito são: seu senso de inferioridade é bem trabalhado e o filme consegue demonstrar suas habilidades como ladrão, essenciais para a reviravolta envolvendo a lâmpada. Além de Jafar, um outro detalhe que incomoda é o CGI envolvendo o Gênio: fiquei bem agoniada olhando a cabeça do Will Smith no corpo computadorizado, parecia que ela tava descolada. 😂

aladdin jafar.png

O live-action de Aladdin me surpreendeu e me conquistou, trazendo uma trama atualizada, novas cenas e personagens, mas ainda assim respeitando a essência da animação que o originou. Visualmente muito bonito, com uma trilha sonora maravilhosa e boas atuações, o filme realmente consegue encantar. Se eu não era a maior fã de Aladdin antes, agora posso dizer que me tornei fã de sua versão live-action. ❤

Título original: Aladdin
Ano de lançamento: 2019
Direção: Guy Ritchie
Elenco: Mena Massoud, Naomi Scott, Will Smith, Marwan Kenzari, Nasim Pedrad, Navid Negahban

Anúncios

14 comentários sobre “Review: Aladdin

  1. Olá, Priih.
    Quero muito assistir esse filme mas ainda não consegui ir. Eu sou fã do Will e já comecei gostando de saber que ele ia ser o gênio. Achei bem legal esse acréscimo na vida da Jasmine, acho que são novos tempos e precisamos mostrar a realidade a nossa volta. Assim que der vou assistir.

    Prefácio

  2. Jasmyne deve mesmo estar um encanto com todo esse girl power, ao contrário de Jafar, que até mesmo nas fotos e trailer parece bem sem graça. Fico feliz que o live action esteja tendo críticas positivas, já que o filme/desenho original, assim que estreou em 1992 não foi bem visto pela comunidade islâmica e do Oriente Médio.
    Ainda pretendo assistir essa belezura ❤
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

  3. Ai gente, Aladin esteve muito presente na minha infância. Pense que eu amava demais esse desenho. Infelizmente eu não consegui assistir ao filme, estou chateado por isso, mas de fato só leio elogios. E a escolha dos atores para mim não poderia ter sido melhor. Pelo menos na questão da representação.

    Bjão,
    Diego | Vida & Letras
    http://www.blogvidaeletras.blogspot.com

  4. Ai, Priih, eu tô doida pra assistir esse filme. A animação tb não é uma das minhas favoritas da Disney não, mas gosto bastante. Esse filme deve ser show, mesmo com os pontos negativos ressaltados (Jafar de voz fina não dá, kkkkk)

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

  5. OI Prih,
    Eu não cresci com coisas da Disney, então tem muito filme clássico que nem nunca vi
    Aladdin eu conheço mais pelo jogo que meu tio tinha haha
    Eu adoro que um monte de gente tava esperando o flop desse filme e tudo virou elogio.
    To muito ansiosa pra conferir, principalmente pelas coisas que contou da construção da Jasmine.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

  6. Oi Priih!
    Xatiada por não poder ver no cinema, queria *-*
    Parece bem bonito msm o filme! Muito válido esse desenvolvimento a mais na personagem da Jasmine. Todo mundo falou mal desse ator que fez o Jafar, tadinho kkkk
    Bjs
    A Colecionadora de Histórias ❤️ Tem SORTEIO DE LIVROS rolando no blog!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s