Resenha: O Livro do Cemitério: Volume 1 – Neil Gaiman e P. Craig Russell

Oi gente, tudo bem?

Eu adoro graphic novels e, em maio, tive a oportunidade de ler o primeiro volume da adaptação ilustrada de O Livro do Cemitério, de Neil Gaiman. Foi minha primeira experiência lendo algo do autor (ou talvez, melhor dizendo, uma adaptação de uma obra dele).

o livro do cemitério volume 1.pngGaranta o seu!

Sinopse: Bestseller do The New York Times e premiado com as medalhas Newbery (EUA) e Carnegie (Reino Unido), o romance O livro do cemitério, do cultuado escritor Neil Gaiman, ganha versão em quadrinhos adaptada por P. Craig Russell, parceiro de Gaiman em diversos livros, incluindo a versão em HQ de outro clássico do autor, Coraline. O livro é o primeiro de dois volumes que acompanham a trajetória de Ninguém Owens, ou Nin, um garoto como outro qualquer, exceto pelo fato de morar em um cemitério e ser criado por fantasmas. Cada capítulo nesta adaptação de Russell acompanha dois anos da vida do menino e é ilustrado por um artista diferente, apresentando uma variedade fascinante de estilos que dão ainda mais vida à atmosfera ao mesmo tempo afetuosa e sombria da história.

O livro inicia com o homem chamado Jack (sim, é desse modo que a obra se refere a ele) assassinando uma família (quase) inteira. Porém, ao chegar no quarto do último membro, um bebê, o homem chamado Jack encontra somente um berço vazio. A verdade é que, atraído por um aroma envolvente, o bebê caminhou até o cemitério da cidade, no qual foi encontrado por um casal de fantasmas, o Sr. e a Sra. Owens. Eles decidem adotá-lo e, depois de muita deliberação com os outros membros do cemitério, a criança é aceita – e é chamada de Ninguém Owens. A partir daí, acompanhamos a vida do menino conforme os anos passam, sob a proteção do cemitério.

Nin é um menino vivo que tem a “liberdade do cemitério”, ou seja, pode entrar em lugares e fazer coisas que outras pessoas vivas não podem. Além dos pais adotivos, ele também é protegido por Silas, seu guardião, um vampiro sábio e misterioso, responsável por contar a Nin tudo que existe fora dos muros de onde vivem. A passagem do tempo acompanha também as mudanças naturais da infância, e Nin vai se tornando um menino cada vez mais inquieto e curioso, cheio de vontade de saber mais sobre o mundo e sobre a vida – o que é paradoxal, já que todos ao seu redor, que podem dar algum vislumbre de como ela funciona, estão mortos.

resenha o livro do cemitério volume 1.png

O Livro do Cemitério é uma literatura fantástica no sentido literal da palavra: a trama é fantasiosa, cheia de cenas meio malucas e muita criatividade. O problema, pra mim, é que cada capítulo parece um “conto” à parte, explorando diversas mitologias diferentes (como os sabujos de Deus e a dança macabra) e cuja única coisa em comum com o anterior ou posterior é o núcleo de personagens. Eu não senti como se a obra estivesse evoluindo para um “objetivo final” – e talvez nem fosse essa a ideia; talvez o livro queira somente explorar situações da vida de um menino vivo em meio aos mortos. Seja como for, isso acabou me desestimulando um pouco ao longo da leitura, por não saber aonde a história queria chegar.

O aspecto que me prendeu, pra falar a verdade, foram as artes maravilhosas. Cada capítulo é ilustrado por um artista diferente e, além de amar ilustrações de modo geral, eu também adorei observar com atenção cada quadro, absorvendo e reparando nas diferenças de estilo dos ilustradores. Os traços e cores são fantásticos e imersivos, criando uma atmosfera envolvente e mágica.

resenha o livro do cemitério volume 2

O Livro do Cemitério: Volume 1 tem um estilo narrativo que não me conquistou, mas vou ler o Volume 2 para chegar a conclusões mais embasadas sobre a trama e seus objetivos. A qualidade gráfica da obra é inegável e as ilustrações são belíssimas, o que certamente vai encantar quem já é fã de Neil Gaiman ou da versão original de O Livro do Cemitério. E aguardem, em breve volto com minha conclusão final a respeito da trama. 😉

Título Original: The Graveyard Book: Volume 1
Autor: Neil Gaiman e P. Craig Russell
Editora: Rocco Jovens Leitores
Número de páginas: 192
Gostou do livro? Então adquira seu exemplar aqui e ajude o Infinitas Vidas! ❤

Livro cedido em parceria com a editora.
Esse não é um publipost, e a resenha reflete minha opinião sincera sobre a obra.
Anúncios

21 comentários sobre “Resenha: O Livro do Cemitério: Volume 1 – Neil Gaiman e P. Craig Russell

  1. Oi Priih! O livro do cemitério é meu preferido do Gaiman e a HQ veio para complementar a obra para mim. Eu gostei bastante desta versão e estou ansiosa para conferir o segundo volume. Leia o livro, acho que você vai sentir a história melhor explicada nele.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

  2. Oi Priih, eu nunca li nada do Neil Gaiman, talvez esse livro não seja o ideal para começar, né? Eu gostei da resenha. Mesmo com os problemas de narrativa, achei interessante isso dele ser ilustrado por artistas diferentes, deve dar uma dinâmica bacana para as histórias. Vou procurar para dar uma olhada na livraria. Um beijo!

  3. Oi, Priih!
    Cenas meio malucas e muita criatividade é a marca do Gaiman hahahhahhaha
    Eu não sou muito de HQs e graphic novels, mas vou esperar sua opinião sobre o outro volume para saber se dou um chance ou não.
    Beijos
    Balaio de Babados

    • Oi Ana, tudo bem?
      As graphic novels conseguem trabalhar direitinho a história (em breve trarei a resenha do volume 2), mas aqui nos comentários houve leitores dizendo que o livro explica melhor alguns pontos que, na minha opinião, a graphic novel não explora tão bem.
      Eu recomendo, se possível, a leitura de ambos! O livro pra dar um panorama mais completo e a graphic novel pra se encantar com as ilustrações. 😍
      Beijos!

  4. Olá, Priih.
    Eu achei a premissa da história muito interessante. Mas já li outros livros do autor e não gostei tanto assim e como sua opinião também não foi muito favorável acho que não leria.

    Prefácio

  5. Ooli Prih, tudo bem?
    Quanto tempo não passa por aqui. Eu achei a premissa da história interessante, e mesmo com os objetivos da leitura não muito claros, fiquei curiosa por causa das ilustrações que são belíssimas. Estou voltando a ler aos poucos, mas espero ter a oportunidade de ler algo assim em breve. Dica anotada.
    Abraços,
    Amanda (apenasAva)

  6. Oi, Priih!

    Olha, honestamente, eu não sei se esse é um momento que eu leria uma obra dessas, com tanta fantasia e imaginação. A arte é realmente muito bonita, e foi a primeira coisa que me chamou a atenção. Mesmo assim, vou esperar sua opinião do segundo volume pra decidir se eu leria ou não hahahha

    Beijos,
    Caverna Literária

  7. Pingback: Resenha: O Livro do Cemitério: Volume 2 – Neil Gaiman e P. Craig Russell | Infinitas Vidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s