San Andrés e Providencia: o que você precisa saber sobre o Caribe colombiano

Oi gente, como estão?

Muitos de vocês demonstraram interesse em saber mais sobre San Andrés e Providencia, meus destinos de férias! E é claro que eu não iria decepcioná-los, né? 😉 Por isso, planejei alguns posts pra contar pra vocês tudo que precisam saber para conhecer e aproveitar o melhor do Caribe colombiano. Neste primeiro post, vou trazer algumas dicas gerais sobre o destino e outras informações importantes. Nos próximos, vou dar dicas do que fazer em cada ilha. Vamos lá? ❤

Sobre San Andrés e Providencia

Essas duas ilhas pertencem à Colômbia, apesar de estarem geograficamente mais próximas da Nicarágua. Não é necessário passaporte, mas o funcionário da imigração recomendou que fizéssemos para as próximas viagens. A moeda usada lá são os pesos colombianos (COPs) e os idiomas falados são espanhol, inglês e crioulo. Em San Andrés, a comunicação foi mais fácil em espanhol, mas em Providencia vimos mais pessoas falando inglês e crioulo. Eu tenho um pouco de conhecimento em espanhol e me viro bem no inglês, então a comunicação foi bem tranquila e as pessoas são muito solícitas, então muitas vezes a mímica era útil quando alguma palavra do vocabulário nos faltava hahaha!

san andrés

Praia de Spratt Bight, em San Andrés.

Passagens aéreas

Meu namorado e eu começamos a pesquisar as passagens com cerca de 6 meses de antecedência. Nós tínhamos o mês de março programado para nossas férias, e o escolhemos porque dizem ser o mês mais seco em San Andrés. Para economizar, colocamos alertas de passagens em diversos sites, como Skyscanner, Voopter e Kayak. Sendo bem sincera? Nenhum deles valeu a pena. Até recebíamos algumas promoções, mas quando íamos ver o site que estava vendendo (porque esses sites que mencionei agrupam ofertas de diversos outros), eram endereços que não confiávamos e que não aceitavam parcelamento. Ou seja, as promoções nunca eram vantajosas, principalmente pela desconfiança com o site que as vendia (um deles, cujo nome não me recordo agora, tinha várias reclamações no Reclame Aqui).

Felizmente, vimos o Melhores Destinos divulgando no Twitter uma promoção para San Andrés em março. Tivemos que ajustar os dias que pretendíamos ir (coisa de 1 ou 2 dias, no máximo), e com isso conseguimos um valor excelente: R$ 1.682 por pessoa, saindo de Porto Alegre, em voos com duração bem decente (e não aqueles de 24h de viagem, com escalas/conexões gigantescas. Pegamos somente uma conexão ruim, de 5h, na viagem de retorno, mas todo o resto foi super rápido).

Então minha dica é: acompanhem diariamente os preços das passagens aéreas. Eu fiz uma planilha e colocava os valores delas todos os dias, para ter propriedade sobre os custos e realmente saber quando encontrasse uma boa promoção. Valeu a pena, deixamos de pegar “promoções” que nem eram tão boas assim, encontramos uma realmente vantajosa e economizamos mais de R$ 400. \o/

south west bay providencia

Praia de South West Bay, em Providencia.

Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia

Esse certificado é obrigatório para viajar a diversos países, Colômbia inclusa. É necessário tomar a vacina da Febre Amarela e depois solicitar o certificado. Há duas formas de fazê-lo: online, pelo site da Anvisa, ou agendando uma visita ao posto físico da Anvisa na sua cidade. Nós tivemos que fazer das duas formas, por garantia hahaha! Explico: acontece que fizemos online e, segundo o site, o prazo para ficar pronto era de 8 dias úteis. Quando chegou o 9º dia útil (e nossa viagem foi ficando próxima), resolvi ligar para a Anvisa (ansiosa, né mores). E ainda bem que liguei, porque o atendente nos disse que o prazo estava sendo maior em função do grande número de solicitações. Top, né? sqn Felizmente, ele nos instruiu a ir diretamente ao posto presencial, afirmando que os funcionários poderiam nos encaixar. E foi isso que fizemos: na segunda-feira, uma semana antes da viagem, fomos à Anvisa e fizemos o procedimento, que não durou nem 5 minutos (é só imprimir um papel e carimbar). Na sexta-feira, chegou o certificado da solicitação online hahaha! Mas né, melhor prevenir que remediar. Sem esse certificado, você NÃO embarca, então meu conselho é fazê-lo com antecedência. Nós fizemos, mas os feriados de Carnaval e a demora do sistema acabaram nos deixando nervosos, já que passou do prazo correto. Enfim. 😛

Que moeda levar?

Nós enviamos todo o nosso dinheiro via Western Union, uma empresa que oferece serviços financeiros. Pelo aplicativo, escolhemos a quantia que queríamos enviar e ele já nos informou a cotação (a melhor que encontramos). É necessário pagar uma taxa de R$ 9,90 + IOF, mas ainda assim valeu a pena. Enviamos duas remessas, pra que não fosse necessário sacar todo o dinheiro de uma única vez lá na ilha (achamos mais seguro sacar aos poucos, para o caso de alguma emergência ou problema, tipo furto ou coisa do tipo).

Porém, para os gastos iniciais (principalmente táxi e comida, se der fome no aeroporto), é necessário ter um pouco de dinheiro com você. Trocamos dólares aqui em Porto Alegre mesmo, porque a cotação dos COPs estava péssima nas casas de câmbio, mas não valeu a pena. Precisamos trocar os dólares novamente por COPs no aeroporto de Bogotá, já que a maioria dos restaurantes que vimos não estava aceitando a moeda americana. Conseguimos usá-la somente para pagar a tarjeta de turismo (falarei sobre em seguida), e acabamos pagando mais caro do que teria sido em COP. Acho que teria sido mais vantajoso ter levado COPs em vez de dólar, apesar da cotação ruim. Mas agora já foi, paciência. 😛

san andrés (2)

Praia de Spratt Bight, em San Andrés.

Seguro Viagem

Essa é uma daquelas coisas pelas quais você paga torcendo pra não usar. Afinal, quem quer ficar doente durante a trip, né? Mas eu não teria coragem de viajar sem seguro, então contratamos o da Allianz. Pegamos um cupom de desconto bem bacana, que deixou o valor em R$ 66 por pessoa. Não foi necessário usá-lo, então não sei dizer pra vocês se o seguro é bom ou não, mas certamente viajei mais tranquila por saber que o tinha.

Tarjeta de turismo

Esse documento é necessário para entrar e sair de San Andrés e também é exigido em Providencia. As tarjetas nos custaram US$ 74 para o casal, mas vi alguns relatos de quem comprou em peso dizendo que está custando 109.000 COPs. Essa tarjeta precisa ser guardada com todo amor e carinho porque, caso você a perca, é necessário pagar novamente para poder sair das ilhas. Nós as apresentamos chegando na imigração de San Andrés, no aeroporto de Providencia e no aeroporto de San Andrés novamente, ao voltarmos para casa.

south west bay providencia (2)

Pôr do sol na praia de South West Bay, em Providencia.

Dicas gerais

– Pessoas de cabelo comprido: levem creme hidratante ou comprem na ilha! Além de passar muito tempo no mar, o sol é forte e a água que sai dos chuveiros é salobra, então podem ter certeza que os fios vão sofrer hahaha! Eu levei um potinho de creme e ele me salvou, ajudando a hidratar e a desembaraçar o cabelo.

– A água na maioria dos hotéis é fria, então se vocês forem como eu (alguém que toma banho quente até no verão), preparem o psicológico hahaha!

– Comprem protetor solar e gel pós-sol na ilha, são muito mais baratos do que aqui (e eles têm potes enormes!).

– Façam compras no supermercado, compensa demais. A Pringles grande, por exemplo, custava menos de 7.000 pesos (ou seja, menos de R$ 9). Para o passeio em Johnny Cay, por exemplo, levamos Pringles e Oreo para comer, já que a comida lá era cara e (dizem) ruim. Economizamos com itens desse tipo e sobrou para jantares melhores e mais passeios, então acho que compensa demais. 😉 Dá pra comprar pão, iogurte, frios, snacks e vários outros itens que salvam a vida. Em Providencia, por exemplo, almoçamos ou jantamos sanduíches triplos várias vezes. Era gostoso, não era tão ruim nutricionalmente falando e alimentava bem. Só sucesso.

– Em Providencia o Wi-Fi é MUITO ruim, de verdade. Meu conselho é que vocês levem filmes e séries no computador para passar o tempo à noite, pois a vida noturna lá é inexistente (ao contrário de San Andrés). Além disso, levem prints de informações necessárias também (como dicas de passeios, restaurantes e endereços), para evitar ficarem dependentes do Wi-Fi.

– Também em Providencia, invistam em mototáxi ou aluguel de moto. A ilha é pequena, mas é difícil caminhar por lá pois há muitas lombas, o que torna o processo cansativo. Além disso, diferentemente de San Andrés, as praias são mais distantes e de acesso um pouco mais difícil. O mototáxi custa 5.000 pesos por pessoa e os motoristas levam até 2 pessoas na moto (JURO! hahaha), então vale a pena. Não fiquem enfurnados no hotel, porque se não o tédio é certo.

De dicas e informações gerais, acho que é isso! Lembrando que as informações e valores mencionados no post são referentes a março de 2019.
De qualquer forma, se vocês tiverem qualquer dúvida, fiquem à vontade para me perguntar nos comentários, será um prazer ajudar. 😉

E aguardem os próximos posts com roteiros, dicas de passeios e lugares bacanas pra comer. Estou pensando em tudo com muito carinho e espero que vocês gostem! 😘

Anúncios

21 comentários sobre “San Andrés e Providencia: o que você precisa saber sobre o Caribe colombiano

  1. OI Priih! Gostei das dicas e acho que são super válidas para quem quer conhecer este e outros locais, não nego que é bem burocrático, mas acho que pelo visto valeu a pena. Boa semana.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

  2. Geeeente, como assim a água do hotel é fria? Eu ia ter que preparar o meu psicológico mesmo.
    Sobre comprar comida no supermercado acho que essa dica é válida para qualquer viagem à ponto turístico, haha. Ahh e me diga, é necessário ter passaporte para visitar as ilhas?
    Gostei muito do seu post.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

  3. Oi, Priih

    Excelentes dicas! Eu nem sabia que esses lugares existiam até ver você falando. Praias lindíssimas!
    Não sei se para viagens aqui na América do Sul é opcional o seguro viagem, mas para a Europa, por exemplo, é obrigatório um que cubra até U$10.000. Nas duas vezes que viajei tive que mostrar minha apólice na imigração. Mas é um gasto que geralmente a gente nem usufrui, mas o seguro morreu de velho, como diria minha mãe. Hahahaha

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  4. Oi Prih,
    Nossa que lugar lindo. Ia querer ficar aí pra sempre haha.
    Eu nunca viajei para fora do país – nem fora do Rio saio direito haha – então, adoro esses posts cheio de informações sobre viagens, já nos prepara e traz conhecimentos em várias coisas.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

  5. Que tudoooo!!!! Priih, eu amei essas dicas. Nunca viajei para o exterior, mas tenho muita vontade – e zero ideia dos procedimentos envolvidos, hehe.
    E que lugar lindo, hein?! Que bom que vc conseguiu aproveitar a sua viagem! ♥

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

  6. Pingback: O que fazer e onde comer em San Andrés | Infinitas Vidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s