Review: Homem-Aranha no Aranhaverso

Oi gente, tudo bem?

Fui conferir o comentadíssimo Homem-Aranha no Aranhaverso e hoje conto pra vocês o que achei desse filme surpreendente.

homem aranha no aranhaverso

Sinopse: Miles Morales é um jovem negro do Brooklyn que se tornou o Homem-Aranha inspirado no legado de Peter Parker, já falecido. Entretanto, ao visitar o túmulo de seu ídolo em uma noite chuvosa, ele é surpreendido com a presença do próprio Peter, vestindo o traje do herói aracnídeo sob um sobretudo. A surpresa fica ainda maior quando Miles descobre que ele veio de uma dimensão paralela, assim como outras versões do Homem-Aranha.

Eu já tinha lido diversas críticas positivas em relação ao filme mas, ainda assim, fui de coração aberto sem saber bem o que esperar em relação à trama. Para a minha surpresa, o filme já me impressionou nas primeiras cenas pela incrível direção de arte: apesar de ser uma animação 3D, há referências claras a animações 2D e quadrinhos. Até alguns recursos das HQs estão lá, como balões de fala e hachuras, por exemplo. É muito prazeroso de assistir e um verdadeiro espetáculo visual!

homem aranha no aranhaverso (5)

A história também convence: nessa realidade, Peter Parker já está estabelecido como Homem-Aranha. O novo protagonista é Miles Morales, um adolescente que acidentalmente também é picado por uma aranha radioativa, ganhando habilidades muito semelhantes às de Peter. Porém, o Rei do Crime causa a morte do Homem-Aranha original e, em uma experiência perigosa com um colisor de partículas, provoca uma espécie de buraco no espaço-tempo, trazendo para a nossa dimensão outras versões do Homem-Aranha. A missão de Miles a partir de então é cumprir a promessa que fez ao Peter Parker de sua dimensão antes que ele morresse: destruir o colisor e impedir que a realidade seja apagada. Para isso, ele precisa aprender a dominar os seus poderes e, obviamente, lidar com as responsabilidades (sorry não resisti rs).

homem aranha no aranhaverso (6).png

Miles é um personagem bastante carismático e com conflitos pessoais que fazem com que o espectador simpatize com ele. Há grandes expectativas por parte de sua família, que deseja que ele seja um estudante exemplar, mas não entendem que as paixões do garoto são a arte, a música e o grafitti. Seu tio Andrew parece ser o único capaz de compreendê-lo, mas ele não é exatamente bem-vindo em sua família. Esses detalhes sobre seu background e sobre sua personalidade enriquecem o personagem, que tem a difícil missão de conquistar um espaço que até então pertencia somente a Peter Parker.

homem aranha no aranhaverso (3).png

Os outros Homem-Aranha (e Mulheres-Aranha, por que não?) que chegam de diferentes dimensões também são ótimos. Há um Peter Parker do futuro (desiludido com a vida e já cansado), Gwen Stacy como Spider-Gwen, um Homem-Aranha Noir, outro vindo direto de um cenário de cartoon e uma Homem-Aranha inspirada em animes. É muito divertido como o filme brinca com as origens de cada um, fazendo uma retrospectiva rápida sobre suas histórias nos quadrinhos. Esse estilo narrativo é diferente de tudo que eu já vi antes e eu adorei o bom humor do longa em trazer esses elementos para o espectador de forma didática e engraçada.

homem aranha no aranhaverso (2)

Falando em graça… Eu gargalhei DEMAIS assistindo a Homem-Aranha no Aranhaverso! O Peter Parker do futuro foi um dos maiores responsáveis por isso, mas de forma geral o tom do filme é alto astral. Apesar disso, o longa também foi capaz de me levar às lágrimas nos momentos necessários. Existem mortes importantes (como não ficar chocada ao descobrir que no universo de Miles Morales o Peter Parker morre?!) e diálogos que conseguem comover.

homem aranha no aranhaverso (4)

Resumindo, Homem-Aranha no Aranhaverso é uma animação sensacional, que vale totalmente o ingresso do cinema. Além da riquíssima experiência visual, a trilha sonora também é envolvente e a trama nunca deixa de ser interessante. Se o universo atual do aracnídeo (interpretado por Tom Holland) não me causa muita euforia, podem ter certeza que Homem-Aranha no Aranhaverso conseguiu causar. Recomendo muito e já quero ver de novo! 😉

P.S.: essa participação do Stan Lee foi de aquecer e partir o coração ao mesmo tempo! 😢 ❤

Título original: Spider-Man: Into the Spider-Verse
Ano de lançamento: 2019
Direção: Bob Persichetti, Peter Ramsey, Rodney Rothman
Elenco: Shameik Moore, Jake Johnson (XVI), Hailee Steinfeld, Mahershala Ali, Brian Tyree Henry, Lily Tomlin, Liev Schreiber, Stan Lee

24 comentários sobre “Review: Homem-Aranha no Aranhaverso

  1. Oi, Priih.
    Vi esse filme um dia desses e achei realmente muito legal, visualmente muito bonito, cheio de referências aos quadrinhos, o que me deixou meio desnorteado pq tinha muitas informações ao mesmo tempo.
    Tem algumas reviravoltas e personagem que vira vilão.
    Mas no final é um bom filme.
    Bela resenha.
    Abraços.
    Diego || Visite Diego Morais Viana

  2. Oi Priih,
    Engraçado que quando vi o trailer no cinema, eu não me interessei pelo filme. Achei tão… BLEH? Sabe? rs
    Achei que não era o público alvo e esqueci que ele ia ser lançado. PORÉM, depois da estreia o filme fez um BUUUUM e tooooodo mundo tá falando que é ótimo e eu fico: SÉRIO???? HAHAHAH
    Ir ao cinema, não vou, mas quando sair na Net vou conferir 😉
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

  3. Olá, Priih.
    Eu estou vendo bastante comentários positivos sobre o filme. Mas não sei se quero assistir. Prefiro os filmes “com pessoas” hehe. Mas achei interessante essa coisa de ter vários diferentes.

    Prefácio

  4. Hey Prihhh
    Fiquei chocada !
    tava sem vontade nenhuma de ver no cinema esse filme mas depois da sua resenha
    fiquei interessada… Uma animação com um tom diferente? Fiquei curiosa!
    E também pela origem e por fornecer ideias paralelas me deram esperanças de algo novo!
    Que legal Prih, adorei a review ❤

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

  5. Oi, Priih

    Eu vou assistir com meus sobrinhos semana que vem, acho. Íamos ver essa semana, mas eles quiseram assistir Dragon Ball ao invés desse, foi um martírio! Hahahaha
    Eu confesso que fiquei meio boiando no conceito e fiquei meio sem entender o porquê desse filme sendo que em breve teremos um live action novamente, o timing não me parece inteligente.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  6. Pingback: Review: Homem-Aranha: Longe de Casa | Infinitas Vidas

  7. Pingback: Review: A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas | Infinitas Vidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s