Dica de Série: O Justiceiro

Oi gente! Tudo certo?

Tenho falado muito sobre super-heróis aqui no blog, né? Então, pra variar, o tema hoje é a história de um anti-herói. 😛 Vim contar pra vocês o que achei de O Justiceiro, a nova série da Marvel e da Netflix.

poster o justiceiro.png

Sinopse: O ex-marine Frank Castle só quer punir os criminosos responsáveis pela morte da sua família, mas torna-se alvo de uma conspiração militar.

Frank Castle, o Justiceiro, fez sua primeira aparição na segunda temporada de Demolidor e acabou roubando a cena. O personagem era interessante e sua trama, envolvente. Os fãs ficaram enlouquecidos esperando por sua série solo, então um trailer sangrento deixou os ânimos ainda mais alvoroçados e no último dia 15 ela finalmente chegou. E foi intensa!

Após matar todas as pessoas que ele sabia ter envolvido na morte de sua família, Frank passou a trabalhar como pedreiro sob o pseudônimo de Pete Castiglione. Vivendo um dia de cada vez e enfrentando seus fantasmas na forma de pesadelos e noites mal dormidas, seu dia a dia era extremamente solitário. As coisas mudam quando ele recebe uma ligação de um homem que se autodenomina Micro. O homem misterioso alega que Frank e ele podem ser de grande ajuda um para o outro e, após alguns percalços, acabam tornando-se aliados improváveis. Micro é na verdade David Lieberman, um antigo funcionário da NSA (Agência de Segurança Nacional) que foi fingiu a própria morte para não ser assassinado pelo governo americano. Ele foi responsável por enviar à agente Dinah Madani um vídeo que revelava uma ação secreta da CIA que culminou no assassinato de um policial afegão. E, é claro, Frank fazia parte de tal ação. Unidos por motivos distintos, Frank e David passam a trabalhar juntos para descobrir a verdade por trás dos fatos.

o justiceiro frank david.png

Vi alguns comentários por aí reclamando que O Justiceiro é uma série parada, com diálogos demais e desenvolvimento lento. Eis o primeiro ponto que sou obrigada a discordar. A série é sim violenta e visceral – mas ela não é somente isso. A trama aborda de maneira exemplar o estado psicológico no qual Frank se encontra e dá ao espectador um pano de fundo muito maior em relação à morte de sua família. Graças ao desenvolvimento gradual da trama, percebemos as conexões que faziam parte da vida de Frank na época do exército (como a amizade com Billy Russo) e também o quanto o personagem culpa a si mesmo pela tragédia que aconteceu. Aliás, a atuação de Jon Berthal é impecável ao trazer toda essa angústia e impotência que o personagem sente. Outro aspecto incrível é que O Justiceiro também mostra Frank se conectando a outros seres humanos – especialmente Karen Page, com quem ele tem uma ligação muito forte, mas também David e sua família -, o que humaniza e enriquece o personagem (que deixa de ser uma simples “máquina de matar badass”). Eu sei que o personagem é pautado na violência e que o trailer possa ter levado os fãs a esperarem por isso. Entretanto, os aspectos que mencionei não deixam a trama monótona, mas sim enriquecem a série e a tornam verdadeiramente interessante. Afinal, se eu quisesse assistir apenas violência gratuita, era só colocar qualquer filme de ação pastelão na TV.

karen page frank castle.png

Outro aspecto bacana de O Justiceiro é que, em determinado momento, novamente a série obriga o protagonista a confrontar suas ações ao ser comparado com o terrorista Lewis Walcott, um jovem ex-soldado mentalmente perturbado que aparentemente sofre de Transtorno do Estresse Pós-Traumático. Quando o rapaz utiliza Frank como exemplo para o que faz, Frank se vê em um conflito moral. Além disso, esse plot traz um contraponto muito interessante ao patriotismo americano, ao amor desse povo pelas armas (e pela violência) e à “glamourização” da vida militar. A série mostra que há complicações e danos muitas vezes irreparáveis na vida dos soldados (aliás, aproveito para indicar o livro Nada de Novo no Front, resenhado aqui no blog, que também faz isso muito bem).

o justiceiro 2.png

Uma adição valiosa para a trama foi Dinah Madani, uma agente íntegra e determinada que está disposta a tudo para desmascarar a podridão da CIA. A personagem tem um crescimento notável durante a trama, principalmente após ser obrigada a lidar com as trágicas consequências de suas decisões como líder. Karen Page, outra mulher importante no enredo, infelizmente não teve tanto espaço quanto eu imaginava que teria (ainda mais protagonizando um dos pôsteres individuais da série). Ela acaba aparecendo em plots pontuais e acaba servindo mais como um motivador para Frank. A química entre os personagens é notável (prefiro mil vezes ela com o Frank do que com o Matt #prontofalei) e é possível ver uma centelha que pode ficar cada vez mais forte no futuro. Por fim, temos vilões infinitamente melhores do que os apresentados em Luke Cage, Punho de Ferro e até mesmo Os Defensores. Não direi quem são porque é spoiler, mas afirmo que eles são muito bem introduzidos e desenvolvidos ao longo da temporada. O vilão principal, inclusive, me fez sentir raiva e revolta graças às suas ações traiçoeiras e repletas de frieza.

o justiceiro dinah sam.png

As cenas de ação são fantásticas, mas também difíceis de assistir. Seja nos flashbacks de Frank no exército ou no presente, enquanto enfrenta seus inimigos, a violência está presente sem pudores. As cenas de tortura sempre são mais complicadas pra mim, e não faltam momentos poderosos nesse sentido. E, justamente por isso, admito que em determinado momento eu fiquei meio “como assim ele já tá fazendo isso se acabou de sofrer tal e tal coisa?”. Mas tudo bem, sou capaz de ignorar esses detalhes. 😛

o justiceiro.png

O Justiceiro é forte, instigante e também emocional. Abordando os traumas de Frank de modo muito mais profundo do que em sua participação em Demolidor, a série faz com que o espectador tenha empatia pela sua dor e compreenda suas ações (ainda que, muitas vezes, condenáveis). Frank Castle é um anti-herói multifacetado e cheio de fantasmas a serem exorcizados, mas que promete crescer cada vez mais. Amei a série e recomendo demais!

Título original: Marvel’s The Punisher
Ano de lançamento: 2017
Criador: Steve Lightfoot
Elenco: Jon Bernthal, Ebon Moss-Bachrach, Ben Barnes, Amber Rose Revah, Deborah Ann Woll

26 comentários sobre “Dica de Série: O Justiceiro

  1. Oi Priih! Eu não sei muito sobre o personagem, tenho conhecido mais lendo as resenhas desta série e fiquei curiosa sobre a trama e os diversos elogios que vem gerando. Assim que der vou conferir. Bom domingo! Bjos!! Cida
    Moonlight Books

  2. Oiê, tudo bem?
    Não curti tanto as temporadas de Demolidor, mas sem dúvidas o Justiceiro roubou a cena, eu fiquei bem ansiosa quando a Netflix anunciou uma série sobre ele, porém, confesso que acabei esquecendo, e olha que nem estava sabendo que já estava disponível no catálogo. Gostei muito da dica de hoje, quem sabe eu não animo de ver um dia, né? Fico feliz que tenha gostado! 🙂

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris – http://www.plasticodelic.com

  3. Oi, Priih

    Eu adoro o filme de 2000 e lá vai bolinhas, queria inclusive que tivessem feito continuações, mas não rolou. Curiosamente não estou tão empolgada para com esta série, para mim Frank é o Thomaz Jane! Hahahaha
    Mas tá aí uma coisa que eu não sabia: que o personagem tinha participado de.Demolidor!
    Eu gosto bastante de ação e pancadaria em filmes/séries do gênero, mas é bom que a série não é apenas sobre isso.

    Beijos
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

  4. Oi, Priih.
    Mais um seriado legal pra ver!
    São tantos… Tenho que me programar pra ver.
    Tenho uma lista grande, mas tenho que me organizar pra assistir, nem que seja devagarzinho.
    Essa série me interessa muito, pois gostei bastante do primeiro filme dele.
    Parece que é um pouco diferente e se tivesse só ação não teria graça mesmo.
    Bela resenha.
    Abraços

  5. Pri, também gostei bastante da série. Como digo aqui em casa e para alguns amigos é aquela série que tem tiro, porrada e bomba hahaha… e é uma série para os fortes hahaha…

    Uma série que vi recentemente e gostei bastante é Dark. Fica a dica para você conferir em breve!

    Beijos

    Vivian
    Saleta de Leitura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s