Review: Mãe!

Oi pessoal, como estão?

Apesar de ter visto Mãe! no cinema, outras pautas acabaram virando prioridade aqui no blog e demorei um pouquinho pra escrever o review. Porém, sem mais delongas, vamos à minha opinião sobre esse filme simbólico e controverso. 😉

poster mãe!.png

Sinopse: Um casal vive em um imenso casarão no campo. Enquanto a jovem esposa (Jennifer Lawrence) passa os dias restaurando o lugar, afetado por um incêndio no passado, o marido mais velho (Javier Bardem) tenta desesperadamente recuperar a inspiração para voltar a escrever os poemas que o tornaram famoso. Os dias pacíficos se transformam com a chegada de uma série de visitantes que se impõem à rotina do casal e escondem suas verdadeiras intenções.

Infelizmente, eu acabei lendo uma crítica com spoilers (odeio quem não avisa que a resenha tem spoiler) e já sabia qual era a simbologia principal do filme antes de assisti-lo. Achei que isso estragaria minha experiência mas, no fim das contas, fiquei absorta na história mesmo sabendo de antemão qual era a metáfora que o diretor estava fazendo.

Basicamente, Mãe! conta a história de um casal que vive tranquilamente em uma casa isolada. Ele (Javier Barden) é um poeta que enfrenta uma crise criativa; Ela, a Mãe (Jennifer Lawrence), é uma dona de casa devotada ao marido, que está empenhada em reformar a casa onde moram e transformá-la em um paraíso para o casal. A paz da personagem termina quando um visitante misterioso (vou chamá-lo pelo nome do ator, Ed Harris) chega ao local e é convidado pelo anfitrião a passar a noite. Posteriormente, o casal é incomodado novamente: a esposa de “Ed Harris” chega à casa e também se instala – mesmo contra a vontade da Mãe. A chegada dessa dupla misteriosa desencadeia eventos perturbadores.

mãe! filme.png

O forte de Mãe! não está nessa premissa, mas sim na metáfora e no simbolismo por trás de cada cena. A próxima frase tem spoiler, selecione se quiser ler: o diretor disse que o filme conta a história da Bíblia (de Gênesis ao Apocalipse), mas também existem outras interpretações possíveis. Podemos ver uma crítica ao modo como o ser humano lida com a Terra e os recursos naturais – explorando, machucando, destruindo; podemos também ver também o silenciamento feminino – já que o filme é um grito por socorro por parte da personagem de Jennifer Lawrence, que tem todos os seus pedidos negados. Acredito que cada espectador possa ter tirado uma lição diferente do filme, e isso é o mais interessante sobre o longa: ele te deixa com vontade de falar a respeito depois que você assiste.

mãe! poeta filme.png

Esse parágrafo tem spoilers, pule para o próximo se não quiser ler. 😉 A metáfora da Bíblia, contudo, é a mais interessante (e óbvia). Ele é um Deus egocêntrico e punitivo, que é apaixonado pela devoção humana. Não sou religiosa e nunca li a Bíblia, mas o pouco que sei e pesquisei me mostrou que no Antigo Testamento essas eram as características de Deus. Depois que a Mãe! engravida e perde o bebê por causa dos seres humanos, vemos o Deus benevolente, que crê que a humanidade merece perdão. No fim, a Mãe (ou a Terra) decide dar um fim a todo aquele ciclo de sofrimento, tortura e massacre.

Tenho que mencionar a atuação de Jennifer Lawrence, que deu tudo de si nesse papel e mostrou do que é capaz. Eu estava um pouco implicante com ela após X-Men: Apocalipse (no qual ela fez da Mística uma versão loira da Katniss), mas em Mãe! ela superou minhas expectativas. Durante todo o filme a expressão da atriz ficou em evidência, já que a câmera acompanhou cada passo seu e toda a narrativa foi dada pelo seu ponto de vista. Com isso, pudemos ver todas as nuances da interpretação: o medo, a fragilidade, a revolta, o sofrimento, a força.

mãe! filme 2.png

Mãe! é um filme que não agrada a todos os públicos, principalmente por lidar com tantas simbologias e trazer um tema tão controverso. Pra mim, foi uma experiência instigante e envolvente e, por isso, recomendo! 😉

Título original: Mother!
Ano de lançamento: 2017
Direção: Darren Aronofsky
Elenco:  Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Ed Harris, Michele Pfeiffer, Brian Gleeson. Domhnall Gleeson, Kristen Wiig

35 comentários sobre “Review: Mãe!

  1. Oiii Prih

    A Lawrence é a única atriz atual que eu amo de paixão e procuro sempre assistir aos filmes por causa dela mesmo, até mais do que por causa do roteiro, e olha que isso é raro em mim porque não sou de focar em uma pessoa. Enfim além disso temos Pfeiffer também, outra que gosto e não via há tempos, a premissa do filme é interessante porém confesso que não sei como me sentirei com essa parte religiosa do filme. Eu me considero religiosa, porém não fanatica, sou aberta à diversas opinioes embora reconheço que alguma idéia amsi forte as vezes me deixa desconfortável… Enfim, vamos ver né?

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

  2. Quando assisti o filme, fui sem saber o que esperar, só com o trailer na cabeça, sem saber da teoria sobre a Blíbia, então imagina o quão WTF eu fiquei durante o filme inteiro. Era tudo muito louco e nonsense, e minhas teorias passaram longe da Bíblia hahah mas é a que tem mais lógica, mesmo. É um filme bom, mas pra quem não sabe exatamente o que pensar, acaba nem gostando muito do filme.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

  3. Oi, Priih

    Eu não consegui ver o filme no cinema, mas ainda vou assistir. Eu não ligo muito de saber a essência do filme, pois acho que nem todas as pessoas são capazes de interpretar um enredo tão controverso. Talvez se eu já não tivesse lido a respeito eu não saberia interpretar, isso já aconteceu antes com outros filmes, wue tive wue assistir novamente depois de me falarem a metáfora por trás da história. Então não ligo de saber a intenção sem saber dos acontecimentos.
    Em breve assistirei e vamos ver se a Jennifer vai me convencer, pois acho que ela é uma atriz bem medíocre. Hehehhe

    Beijo
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

  4. Olá, Priih.
    Eu não vou assistir porque esse não é o tipo de filme que eu gosto de ver. Mas quando vi achei que ia ser de terror. Depois a Olivia, minha companheira de blog, me contou isso sobre o gênesis e vi que não era nada daquilo que estava pensando. Acho legal o filme fazer esse tipo de analogia.

    Prefácio

  5. Oi, Priih.
    Tô curioso pra ver esse filme bem controverso.
    Não li os spoilers pq gosto da surpresa.
    A atuação da Jennifer Lawrence nesse filme parece q combina com outras atuações dignas de indicações ao Oscar.
    Bela resenha.
    Abraços

  6. Pingback: Review: Estou Pensando Em Acabar Com Tudo | Infinitas Vidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s