Resenha: Ruínas de Gorlan – John Flanagan

Olá, pessoal!

A resenha de hoje trata-se de um livro que li há alguns anos, o primeiro volume da (extensa) série Rangers: Ordem dos Arqueiros, Ruínas de Gorlan.

rangers

Sinopse: Durante a vida inteira, o pequeno e frágil Will sonhou em ser um forte e bravo guerreiro, como o pai, que ele nunca conheceu. Por isso, ficou arrasado quando não conseguiu entrar para a Escola de Guerra. A partir daí, sua vida tomou um rumo inesperado: ele se tornou o aprendiz de Halt, o misterioso arqueiro, que muitos acreditam ter habilidades que só podem ser resultado de alguma feitiçaria. Relutante, Will aprendeu a usar as armas secretas dos arqueiros: o arco, a flecha, uma capa manchada e… um pequeno pônei muito teimoso. Podem não ser a espada e o cavalo que ele desejava, mas foi com eles que Will e Halt partiram em uma perigosa missão: impedir o assassinato do rei. Essa será uma viagem de descobertas e aventuras fantásticas, na qual Will aprenderá que as armas dos arqueiros são muito mais valiosas do que ele imaginava.

Há alguns anos atrás (em 2009, para ser mais precisa), eu me senti muito atraída pelas capas dos livros da série Rangers: Ordem dos Arqueiros. Sou fissurada nessa temática medieval e livros “épicos” sempre me chamaram muito a atenção. Porém, demorei um tempo até começar a leitura (acredito que isso aconteceu somente em 2010) e, infelizmente não foi bem o que eu esperava. Li diversas resenhas positivas a respeito e não me senti muito contemplada pela maioria. Bem, a leitura não foi uma experiência ruim, mas também não foi muito marcante.

O nosso protagonista, Will, é um adolescente órfão que vive no feudo Redmont, no castelo do barão Arald, e sonha em entrar para a Escola de Guerra do castelo para se tornar um guerreiro corajoso e destemido como seu pai fora. Todos os jovens precisam escolher uma “escola” na qual entrar no dia da Escolha, uma tradição que define o destino dos jovens candidatos. Porém, Will não é escolhido para a Escola de Guerra devido ao seu porte, que não é bem aquele desejado para um guerreiro: o garoto é franzino e baixinho, bem diferente do que se espera de um cavaleiro. Porém, Will tem outras qualidades, como a inteligência, a perspicácia e a agilidade, o que faz dele um candidato perfeito para ser um aprendiz de arqueiro. E é exatamente isso que acontece: Halt, um grande e misterioso arqueiro, o escolhe como seu pupilo. E é a partir dessa união que a história começa.

Halt é o personagem mais interessante do livro. Ele é o típico mestre exigente que raramente faz elogios, mas que no fundo cria um vínculo afetivo e deseja proteger seu aprendiz. Ele ensina Will os segredos da arquearia e da camuflagem, e também presenteia Will com um pônei muito divertido, Puxão. Diversas cenas cômicas são protagonizadas pelo inteligente pônei. Will também evolui durante a narrativa. Apesar de ter apenas 15 anos, a vida do rapaz nunca foi fácil, já que cresceu sendo órfão e sofrendo gozações graças ao seu sonho de entrar na Escola de Guerra com seu porte pequeno e frágil. Ao longo do livro é mostrado o potencial do garoto e o amadurecimento dele, que passa não só a admirar o mestre como também se orgulhar dos arqueiros. Outro personagem que vale a pena mencionar é Horace, o garoto que cresceu no castelo com Will e que foi um dos causadores do bullying sofrido pelo protagonista. Horace consegue entrar na Escola de Guerra e se mostra um guerreiro talentosíssimo, mas com o passar do tempo ele amadurece e abandona a postura covarde com que tratava Will e se torna um dos melhores amigos do garoto, fazendo tudo que está ao seu alcance para protegê-lo e ajudá-lo.

A trama ganha força quando somos apresentados ao terrível Morgarath, um vilão que há muitos anos entrou em guerra com o reino de Araluen. O senhor das Montanhas da Chuva e da Noite retorna e planeja o assassinato do rei como forma de vingança, e Halt e Will são peças fundamentais para evitar que Morgarath atinja seus objetivos. Halt, inclusive, foi o grande diferencial na antiga guerra, bolando uma estratégia que definiu os rumos da batalha, fazendo do arqueiro uma lenda viva.

A ideia geral de Ruínas de Gorlan é bem interessante, apesar do clichê “vilão em busca de vingança”. Eu gosto muito de livros com esse teor “RPGístico” e adoro as referências a castelos, a cavaleiros, a guerras épicas e a grandes heróis. O grande problema pra mim em Ruínas de Gorlan é o fato de ser um livro infanto-juvenil (beeeem infanto-juvenil). John Flanagan escreveu o livro com a intenção de fazer seu filho de 12 anos começar a se interessar por literatura, então a narrativa e a escrita são fluidas e superficiais, voltadas para uma faixa etária bem jovem. Gosto bastante de livros infanto-juvenis e vários deles estão na minha lista de favoritos, mas acho que não estava preparada para algo tão fácil quanto Ruínas de Gorlan acabou sendo. Não me senti muito envolvida com a história e tampouco me senti aflita ou ansiosa pelo destino dos personagens, porque pra mim era muito claro que as coisas acabariam dando certo. Mesmo assim, gostei da ideia da história e acabei lendo a continuação (li até o terceiro livro; até agora foram 11 volumes publicados no Brasil). Além disso, como vários outros livros voltados a um público mais jovem, Ruínas de Gorlan trata de temas como bullying e superação, além das lições de vida e metáforas que buscam ensinar e transmitir valores, mas sem um tom piegas desagradável. Outro elogio que não posso deixar de fazer: a diagramação! As páginas dos livros são lindíssimas e cada uma delas é decorada no canto inferior.

Ruínas de Gorlan é uma opção divertida pra quem gosta de histórias infanto-juvenis com temática medieval e pitadas de RPG. Não é uma leitura que exija muito tempo e pode ser uma boa opção pra quem busca algo mais leve pra passar o tempo. Porém, é válido lembrar que é uma série longa. Eu acredito que vou demorar bastante até finalizá-la, porque não sinto urgência em saber o que vai acontecer na história, mas pretendo sim conclui-la um dia. 🙂 Acredito que seja uma série bacana, mas não imperdível.

Título Original: Ranger’s Apprentice: The Ruins of Gorlan
Autor: John Flanagan
Editora: Fundamento
Número de páginas: 239

Anúncios

52 comentários sobre “Resenha: Ruínas de Gorlan – John Flanagan

  1. Oie Pri =)

    Morro de vontade de ler essa série, mas eu desanimo justamente por ser uma série longa =/
    A história parece ser fascinante *-* quem sabe um dia eu me anime em ler.

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias…
    @mydearlibrary

    • Oi, Ane!
      Ela é longa sim, mas é super fácil de ler, então compensa o esforço!
      Espero que seja uma leitura proveitosa pra você quando começar! 😀
      E muito obrigada pelo elogio! *-*
      Beijão!

  2. Já ouvi falar coisas boas a respeito da série..
    Mas, como você mesma lembrou, ela é muito extensa, e fico sempre adiando a leitura…

    Ao contrário de você não gosto muito das narrativas superficiais.. Sou mais adepta as bem emocionais e profundas, sabe?

    Adorei a resenha.. Parabéns!

    Thati;
    http://nemteconto.org

    • Oi, Thati!
      Acho que você não me entendeu muito bem… eu não sou fã de narrativas superficiais. 😦 Foi isso que me deixou impaciente com Rangers, pra falar a verdade. Claro, de vez em quando não tem problema, mas encarar 11 livros com essa proposta me parece um pouco cansativo. Pelo menos a história é bem divertida, então isso compensa um pouco. E o autor amadurece a escrita no volume seguinte. \o/
      Fico feliz que tenha gostado, muito obrigada!
      Beijão!

  3. OI Pri! Sempre vejo estes livros na parte de Infanto Juvenil nas livrarias, mas nunca me chamou a atenção. Já tenho a minha dose certa de RPG nos livro do World of Warcraft então…por enquanto não pretendo ler a historia de Will, mas quem sabe um dia né?

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    • Oi, Joi!
      Eu sou super fã de RPG, então sempre me encanto com o mundo medieval. *-*
      Porém Rangers vai ser uma série que vou demorar pra concluir, porque não me dá taaanta vontade de ler o próximo e sempre coloco outro livro na frente.
      Beijos!

    • Olá!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha e reconsidero em ler a série!
      Apesar de longa, os livros são bem fáceis e rápidos de serem lidos. Dá pra ir aos pouquinhos, conforme a vontade bater. 😀
      Beijos!

    • Olá! Tudo ótimo, e com você?
      Poxa, que bom que você não tem receio! Acho que, gostando da temática e sabendo que é infanto-juvenil, você tem tudo pra gostar! É uma série leve e divertida.
      Beijos

  4. Oi, oi! Eu conheci essa série por volta de 2009 também, mas por enquanto não li nenhum livro e não devo fazer isso tão cedo. :/ Gosto muito de obras infanto-juvenis, mas curto mais quando outras pessoas possam lê-las para encontrar algo mais, algo que talvez um público mais jovem não perceba e acredito que não verei isso em “Rangers: Ordem dos Arqueiros”. Mesmo sendo medieval (<3) e tendo um arqueiro (<3<3<3) eu ainda não acredito que a leitura será tão proveitosa quanto deveria ser se eu fosse mais nova. De qualquer forma, curti a resenha! Bjs
    Jéssica – http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    • Oi, Jéssica!
      Eu entendo a sua opinião de que é importante uma “lição” ou algo a ser aproveitado, mesmo que num livro infanto-juvenil. Rangers tem um pouco disso no primeiro volume, porque fala sobre bullying, sobre lidar com a decepção de não conquistar um objetivo e também de se abrir para uma nova oportunidade. 😀
      Fico feliz que tenha gostado da resenha!
      Beijos!

  5. Oi Pri! Este livro tem todos os elementos que me atraem no gênero, mas é o tamanho da série que me impede de começar a leitura, quem sabe um dia. Entendi seu ponto de vista, também já li livros aclamados que para mim não funcionaram, mas o gosto é pessoal. Bom domingo.
    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    • Oi, Cida!
      Apesar da série ser longa, os livros são rápidos e fáceis de ler. Quem sabe isso compense o seu esforço em começar a série? 😀 Me conta se por acaso ler o primeiro volume, hein! Hahaha
      Beijos!

    • Oi, Giulia!
      Pois é, indo com essa expectativa acho que pode ser uma ótima surpresa. Infelizmente eu não tive essa consciência quando vi as capas. 😦
      Te entendo quanto ao tamanho da série, mas aos poucos vamos avançando! hahaha
      Beijos, beijos

  6. Oie!
    Eu nunca tinha ouvido falar dessa série, e apesar de você ter mencionado no inicio da resenha que não te marcado, eu fiquei extremamente interessa pela história. No entanto, me desanimei um pouco quando você mencionou que o livro é beeem infanto-juvenil. Acredito que a história poderia ter sido mais explorada, o conteúdo que você abordou na resenha me fez ficar imaginando como reino seria, e fiquei com medo d’O Senhor das Montanhas da Chuva e da Noite… Fiquei curiosa em saber o por que de você não ter continuado a série: Foi por conta da ‘linguagem’ utilizada ou porque a trama não te agradou tanto?!

    Beijos
    http://www.procurei-em-sonhos.com

    • Olá!
      Infelizmente o reino em si e detalhes históricos são pouco abordados, exceto quando contam sobre a antiga guerra contra Morgarath. Mas mesmo assim vale a pena, a história é cativante!
      E eu li até o terceiro livro da série que, por sinal, melhorou bastante o nível da narrativa. A trama evolui e fica melhor, mas não senti aqueeela necessidade pelo próximo volume, sabe? 😦 Dai sempre acabava colocando algum outro livro na frente.
      Beijos!

    • Oi, Marcelo!
      Te entendo, quando eu vi na livraria também não imaginava que seriam tantos livros.
      Mas se te consola, eles são bem rápidos e fáceis de serem lidos. 😀
      Abraços

    • Oi, Juh!
      Eu também gostei, apesar das ressalvas. Pretendo continuar a série um dia, quando tiver tempo disponível. Ontem mesmo falei a respeito com um conhecido e ele disse que melhora muito!
      E nos livros 2 e 3 já se nota uma boa evolução na narrativa. 😀
      Beijos

  7. Nossa, essa capa me passou ideias completamente diferentes do real. Primeiro que eu achava que o livro fosse voltado mais para o público jovem/ adulto e segundo que ele fosse enorme. Mas isso de forma alguma diminuiu meu recém desejo de lê-lo ❤ Sou apaixonada por arqueiros desde sempre, então acredito que seja uma boa dica, apesar das ressalvas.

    Beijão

    • Oi, Sofia!
      Fico feliz que, mesmo tendo algumas “expectativas quebradas” você ainda tenha vontade de ler. *-*
      É um livro divertido e bacana, acho que vale a pena para quando se quer passar o tempo e não tem outro livro muito urgente na fila.
      Eu também amo arqueiros, e acho que você vai se apaixonar pelo Halt ❤
      Beijão!

  8. Wonderful blog! Do you have any helpful hints for aspiring writers?

    I’m planning to start my own site soon but I’m a little lost on everything.
    Would you suggest starting with a free platform like WordPress
    or go for a paid option? There are so many options out there that I’m totally overwhelmed ..
    Any recommendations? Thanks a lot!

    • Hello, Amelia!
      Thanks for the compliment! ❤
      I would say it depends on your budget. A lot of free layouts can be customized and look great. WordPress.com has one drawback: the free version doesn't allow much customization. 😦 So it depends on your goal! I cannot afford a paid option for now, so I've customized what I could and I liked the result.
      Good luck. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s